Parte XXVIII


Anteriormente:

– E a sua história foi revelada.

– Só porque todos souberam como eu morri, não significa que eu tenha me arrependido de ter me matado por você, mesmo sem necessidade.

– Mas Biel, aquilo não foi justo. – respondi chateada.

– A vida é assim. Logo em seguida a Solange foi seqüestrada e o Otávio reapareceu na sua vida.

– Não queria que aquilo tivesse acontecido.

Parte XXVIII

– O Otávio fez de tudo para que você ficasse com ele e a Solange com o Fábio. Depois que você finalmente conseguiu se livrar dos dois, você teve que fingir ser a Carla e o Fábio o Charles para novamente se livrar da Solange e do Otávio. – disse Gabriel.

– Você viu o Otávio? – perguntei.

– O Otávio não está morto. Mas depois falamos sobre isso. Quando estava tudo indo de mal a pior você descobre sobre os seus pais, e foge de casa, então sua melhor amiga morre, você salva o seu namorado e se livra de uma vez do Otávio.

– Mas você disse que ele não morreu. Como assim? Eu matei um homem aquele dia. Era o Otávio.

– Não posso te dizer nada sobre isso. Então voltando a sua história: você vai prender a Solange e ela se mata.

– Não foi culpa minha. – respondi com remorso.

– E quando o Fábio te pede em casamento você é atingida por dois tiros. Vendo deste jeito sua vida é ruim. Mas você tem chances de melhorá-la.

– Como assim? – perguntei.

– Quando eu cheguei aqui alguém veio me dizer que a minha vida poderia ser linda ao seu lado, mas quando completássemos 17 anos algo ruim iria acontecer com você. Então fui um covarde. Eu não quis me arriscar e resolvi ficar. – respondeu Gabriel.

– Isso é estranho. – respondi.

– Eu sei. Mas mesmo você tendo matado tantas pessoas, e algumas delas eram inocentes, podemos dizer que você sem sombra de dúvidas vai para o céu se desejar morrer, mas pense bem… Sua vida está ruim, mas vai melhorar. Então você vai ficar ou vai ser feliz? – perguntou Gabriel.

– Eu posso ser feliz ao seu lado. Eu no fundo te amo. – respondi meio sem saber o que estava dizendo.

– Eu sempre te amei, e para toda a eternidade vou te amar, mas não posso estragar a sua vida, aqui você não tem vida, estamos em um lugar que a única coisa que podemos fazer é olhar e rezar pelas pessoas amadas. E você ama o Fábio.

– Mas não temos condições de mudar nada quando estamos vivo. – respondi pensativa.

– Parece que não. Mas podemos. Se você não tivesse feito várias coisas que fez as pessoas não seriam assim como são hoje. Se você não existisse o mundo não seria assim.

– Se mudar para melhor… – respondi dando de ombros.

– Cada pessoa foi posta na Terra para cumprir uma missão, e se você pode escolher se quer ficar ou partir, significa que não está na hora de você morrer. Você ainda não cumpriu a sua missão.

– Se eu voltar tenho que sofrer por todos que perdi. Mas se ficar eu posso vê-los.

– Pode ver os que já foram, mas não os que estão vivos. – respondeu ele.

– Você mesmo disse que o que podemos fazer aqui é olhar e rezar pelas pessoas amadas.

– Olhar a pessoa escolhida para a sua missão deste lado.

– Isso não pode estar acontecendo. – disse chateada.

– Parece mentira, mas pode acreditar que isso é a mais pura verdade.

– Gabriel como você pode me abandonar? –perguntei.

– Não tive coragem de te ver morrer por minha culpa.

– Podíamos evitar isso. – respondi.

– Podíamos, mas eu não sabia como. Tati volta. Veja como eles estão sofrendo por não te ter por perto.

Olhei para algo estranho, tipo um buraco no tempo, e vi Fábio segurando a minha mão do lado da minha cama, minha mãe e meu pai chorando e conversando, e o Henrique rezando.

– Você está vendo? Eles vão sofrer mais ainda se você ficar. – respondeu Gabriel.

– Vai ser melhor para eles. – respondi incerta.

– Não. Vai ser melhor para eles e para você que você vá embora.

– Mas e você? – perguntei.

– Me contento em te ver, em tocá-la, sem que perceba, em beijá-la sem sentir o gosto da sua boca, em te consolar mesmo sabendo que você não está me escutando.

– Você não pode pensar assim. – respondi

– Posso. Eu fiz a escolha errada. E tenho que pagar por isso. Ou melhor, tenho que te ajudar, só que agora de outro jeito.

– Não tem. Se Deus é tão generoso como todos dizem, ele te perdoará. – respondi.

– Ele me perdoou, mas eu não me perdoei.

– Então volta comigo para a vida. – pedi.

– Não posso. Vá embora! No seu mundo já se passaram vinte dias.

– Como assim?

– O tempo não passa aqui. É a mesma coisa que cada minuto aqui fosse um dia lá.

– Quero ficar com você.

– Você ama o Fábio.

– Mas gosto de você também.

– Gosta como um irmão. Me dê um beijo de despedida e vá. Não te quero aqui.

– Mas por que não? – perguntei confusa.

– O seu futuro é lindo para ser desperdiçado. Saiba somente que te amo.

Dei um beijo no Gabriel, um beijo que nunca vou esquecer, e fiz como ele disse. Estava com o coração na mão, mas era a única coisa que eu poderia fazer pelo Gabriel.

Quando acordei senti como se aquele ar purificado que estava ao meu redor não tivesse ficado para trás, senti como se realmente tivesse traído o Fábio, mas ao mesmo tempo como se nada tivesse acontecido.

Eu parecia ter acordado de um sonho.

Fiquei mais alguns dias no hospital. Não tive coragem de contar o que aconteceu, mas fiquei com cada palavra guardada em minha mente. Quando ficava sozinha pensando naquilo eu até conseguia sentir o cheiro das flores como se ainda estivesse naquele conto de fadas, não sei se aquilo foi um sonho ou não, não interessa, só interessa que onde o Gabriel estiver sei que está rezando e torcendo por mim.

Quando finalmente Fábio veio me visitar para termos uma conversa tive a sensação que algo ao meu redor me impulsionava a dizer que sim. A conversa foi mais ou menos assim:

– Tati agora que você está melhor podemos conversar com calma. – disse ele.

– Você pensou bem no que me pediu antes? – perguntei.

– Mais do que você pode imaginar. Mas não mudei de idéia. Ainda quero me casar com você.

– Eu não posso casar só tenho 19 anos. – respondi.

– Eu tenho vinte. Mas não vamos casar imediatamente. Vamos noivar.

– Eu sei. Mas você tem certeza que é isso que você quer?

– A única coisa que eu quero saber é se você quer. A minha conduta sobre isso não vai mudar. – respondeu ele me olhando docilmente.

– É a coisa que eu mais quero no momento, mas preciso te contar uma coisa.

– Pode falar. – respondeu ele.

Falei sobre meu sonho ou a minha experiência. Não sei bem o que é…

– Então ainda quer casar comigo? – perguntei confusa.

– Claro Tati. Você disse que quer se casar comigo? – perguntou ele sem tirar o sorriso do rosto.

– Disse. Eu não quero ficar longe de você.

– Isso parece um sonho. – respondeu.

– Tem tantas coisas que parecem sonhos, mas podem se tornar realidade… – respondi pensando no Gabriel.

– Tipo o quê?

– O que te contei. Que espero que fique entre nós.

Ficamos noivos por cerca de dois anos, nos casamos e agora temos um casal de gêmeos. Henrique cuida da parte de administração da agência e eu da parte da segurança, para falar a verdade, não vou para as missões agora meus filhos Guilherme e Yasmim é quem vão para as missões.

Não poderia esquecer de citar que o JJ agora é o chefe do departamento dos robôs, e o JJ2 o seu ajudante.

Minha mãe está aposentada, e meu pai está fazendo uns pequenos trabalhos de administração de empreses para se distrair. Ele ensina alguns jovens.

Fábio está trabalhando junto com o Henrique, pois o Henrique falou que quer férias, e as férias dele vão durar anos…

Os pais do Fábio já estão sabendo sobre a agência e agora estão aprendemos algumas coisas comigo, claro que a mãe do Fábio não, pois não nos damos muito bem.

Sara a mãe da Solange foi para um hospício, pois ficou louca depois que soube que a Solange se matou.

Marcos, Antônio e Carlos (os chefes da segurança dos bancos assaltados), foram presos, pegaram à pena máxima na época. E Marcos está paralítico por causa dos tiros que dei na perna dele.

Cristofer o polícial que nos ajudou, foi promovido e agora está como gerente do banco, mas não deixou de ser polícial.

A Thais ficou presa seis anos e depois encontramos seu corpo carbonizado na cela.

O Henrique fez o que disse que iria fazer, foi atrás da pessoa que ele realmente ama, e hoje está casado e tem uma filha que se chama Patrícia em homenagem a minha mãe.

Do Otávio ninguém sabe. Temos certeza que enterramos um cara igualzinho ele, e que eu atirei nele, mas se o Gabriel falou que não era ele…

Quem sabe eu descubra isso um dia? Se descobrir eu conto.

Já disse tudo que eu tinha para dizer. “Quando vocês estiverem lendo este livro significa que eu já consegui realizar todos os meus objetivos”. Foi o que eu escrevi no começo, e agora saibam que eu realizei tudo que queria. E não posso esquecer de citar que ainda não sei se foi tudo um sonho ou realidade. Ah, não posso esquecer de dizer que nunca queiram viver uma vida como a minha, ou como foi a minha até hoje. Agora tenho que ir, pois o meu filho está me chamando. Hoje é a primeira missão dele e da Yasmim, vocês precisavam ver como eles estão lindos.

Amo o Fábio e somos muito felizes.

Estes aí somos nós na festa de aniversário de cinco anos dos gêmeos. Olha como o Fábio estava lindo vestido de pingüim! Eu estava com um vestido simples, o cabelo nem se fala, tinha cortado franja… Ficou muito feio então estou deixando o cabelo crescer de novo. Estou magrinha graças à correria da vida. Nunca fico em casa parada, também com duas crianças gênias em casa e que adoram fuçar em tudo, ficar parada fica muito complicado. Mas sou feliz e vou ser para sempre. Espero que contem a minha história para todos, pois aí poderei ficar mais tranqüila de saber que acreditam em mim e que a CMCC existe mesmo ninguém sabendo de sua existência. Cuidado… Se você fizer alguma coisa errada a CMCC vai atrás de você!

Parte Anterior


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.

Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.