O Martelo de Thor 6


Olá queridos,

Quem esta lendo a série Magnus Chase e os Deuses de Asgard? O primeiro livro da série já tem a resenha aqui no blog A espada do verão, e agora vamos para o segundo livro:

Autor: Rick Riordan

Editora: Intrínseca

ISBN: 9788551000700

Ano: 2016

Páginas: 400

Skoob

Tradutor: Regiane Winarski

Contra – Capa: Em A Espada do Verão, primeiro livro da série, os leitores são apresentados a Magnus Chase, um herói boa-pinta que é a cara do astro de rock Kurt Cobain. Morador de rua, sua vida muda completamente quando ele é morto por um gigante do fogo. Por sorte, na mitologia nórdica os heróis mortos vão parar em Valhala, o paraíso pós-vida dos guerreiros vikings. Lá, Magnus descobre que é filho de Frey, o deus do verão, da fertilidade e da medicina. Desde então, seis semanas se passaram, e nesse meio-tempo o garoto começou a se acostumar ao dia a dia no Hotel Valhala. Quer dizer, pelo menos o máximo que um ex-morador de rua e ex-mortal poderia se acostumar. Magnus não é tão popular quanto os filhos dos deuses da guerra, como Thor e Tyr, mas fez bons amigos e está treinando para o dia do Juízo Final com os soldados de Odin — tudo segue na mais completa paz sanguinolenta do mundo viking. Mas Magnus deveria imaginar que não seria assim por muito tempo. O martelo de Thor ainda está desaparecido. E os inimigos do deus do trovão farão de tudo para aproveitar esse momento de fraqueza e invadir o mundo humano

Resenha:

Neste segundo livro da trilogia teremos outra missão para Magnus, desta vez o martelo de Thor foi roubado e cabe a Magnus e seus amigos o recuperarem para complicar ainda mais as coisas Loki decide fazer uma aliança com os gigantes e promete Sam em casamento para um deles e claro que ninguém quer Sam casada com um gigante.

Uma coisa importante deste livro é a personagem nova Alex, ela é hibrida, ou seja, um dia é mulher, no outro é homem e no outro se transforma em algum bicho. O pessoal de Vanilla não aceita muito bem esta condição de Alex, filha de Loki e tem certo preconceito com ela.

“Aparentemente, os Estados Unidos estavam infestados de deuses antigos. Era uma verdadeira praga.”

No livro anterior virmos que Hearthstone tem um passado sombrio com sua família, principalmente pelo fato do anão ser surdo e neste livro entenderemos melhor esta relação com sua família, já que os mocinhos serão obrigados a enfrentar este passado para salvar alguém.

“Do que Blitz e Hearth estavam se escondendo? E quem, em sã consciência, ia querer gravar “Fly Me to the Moon” em norueguês antigo?”

Enquanto todas as aventuras estão acontecendo Sam ainda tem mais problemas, seu noivo não acredita que ela é fiel e tudo mais, e ela tem que convencê-lo que os deuses são reais.

“Aprendi uma coisa sendo filho de Frey: nem sempre era possível lutar as batalhas dos meus amigos. O melhor que eu podia fazer era estar presente para curar as feridas deles.”

O livro tem aventura por todos os lados, mesmo quando os personagens estão separados as coisas acontecem muito rápido. As 400 páginas voam durante a leitura, e você não acredita como tanta coisa pode acontecer em só 400 páginas. Os personagens evoluem bastante neste livro e Magnus fica ainda mais claro que arrisca qualquer coisa pelos amigos.

“O problema dos deuses é que não dá para simplesmente estapeá-los quando eles agem como idiotas.”

Temos também cenas cômicas como Thor sendo burro pakas, e outros deuses sendo bem lerdos. Assim como Alex mudando de homem para mulher sem ninguém perceber.

“Era covardia me esconder atrás de uma espada mágica falante?”

A série esta ótima e não acredito que o próximo será o último livro, principalmente com o epilogo com Annabeth conversando com Magnus sobre os gregos/romanos e deuses nórdicos. A coisa ficou ainda melhor. Não vejo a hora de lançar o próximo livro.


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

6 thoughts on “O Martelo de Thor