O diario de uma agente – Parte 15


Anteriormente:

– E o coreógrafo? – perguntou Lucas.

– Chegou atrasado algumas vezes na aula. – respondi.

– E por que não seriam os pais do Richard? – perguntou Yasmim.

– Eles têm até ficha na polícia. – disse Kelly.

– Isso é verdade, mas todos esqueceram de Richard.

– E o que tem haver o menino? – perguntou Fábio.

– Richard um menino gênio, estuda aqui na França e com seus 18 anos já têm 4 faculdades no seu currículo. Vocês não pesquisaram sobre ele não? – perguntei.

Parte 15

– Não! Ele não está no concurso. – responderam as crianças.

– Certo. Concordo que fizemos mal, mas por que isso impediria os pais dele de roubarem o dinheiro? – perguntou Fábio.

– Simples. Por que o menino é milionário. Seus pais não queriam o dinheiro. Queriam simplesmente vencer. – respondi.

– Mas o que o Richard estava fazendo para ajudar os pais? Escutei no telefone quando Jenifer falou com Richard. – disse Yasmim.

– Ele estava fazendo um robô para descobrir as coreografias dos outros grupos de dança. – respondi.

– Um robô? Mas como nunca o vimos? – perguntou Guilherme.

– Vimos sim. Só que ninguém percebeu a diferença.

– Não é um robô. É uma robô. – disse Fábio pensativo.

– Isso mesmo. – respondi.

– E quem seria? – perguntou Kelly.

– Estão olhando para ela. – respondi. – Esta é KLUP a robô criada por Richard. – respondi.

– A Fabiana que você odiava é um robô? – perguntou Yasmim espantada.

– Isso mesmo. Ela só estava tentando fazer Fábio contar alguns passos para ela. – respondi.

– E como você soube que ela era um robô? – perguntou Guilherme.

– Proibi seu pai de olhar para ela, de falar com ela, mas fiquei de olho nela, até que descobri que ela era diferente. Não bebia nada, só comia e depois ia direto para o banheiro, foi quando JJ ficou grudado na Yasmim que percebi que ele fazia à mesma coisa por causa do chip que ele tem. Ele sente fome, mas assim que come tem que descartar a comida assim como a Fabiana a fazia. Então fui observá-la na piscina e vi a marca, que nos robôs da agência têm nas costas, a da Fabiana é no pescoço. – respondi mostrando a marca.

– Caso resolvido então? – perguntou Yasmim.

– Resolvido. – disse Fábio ligando para o a agência de Paris.

Assim que chegamos em casa Fábio e eu fomos para o quarto dormir, mas Lucas foi falar conosco:

– Posso falar com vocês? – perguntou ele na porta.

– Pode. Entra ai. – disse Fábio.

– Queria pedir permissão para sair com a Yasmim amanhã de tarde.

– Vão para onde?- perguntei.

– Vou levá-la no cinema, e depois jantar fora.

– Pretende chegar que horas? – perguntei.

– No horário que a senhora mandar. – disse Lucas apressadamente.

– Posso ver a aliança? – pediu Fábio.

– Fábio! – o repreendi.

– O que? Só estou querendo ver. – disse ele.

– Claro. Aqui está. – disse Lucas mostrando a aliança.

– Muito linda. – respondemos.

– Então? Posso sair com a Yasmim? – perguntou ele ansioso.

– Pode, mas voltem antes das onze.

No dia seguinte as coisas estavam muito calmas. Henrique já tinha consertado a sala de Lucas e Yasmim, os fazendo deixarem à sala do Guilherme e da Kelly. Fábio e eu ficamos treinando a manhã inteira, mas como não tinha nada para fazer, lá para umas 4 da tarde resolvi ir para casa.

Depois de um tempo todos (exceto Yasmim e Lucas que tinham ido ao cinema) voltaram para casa também.

– O que houve com a mamãe? – perguntou Guilherme pelo canto da boca.

– Realmente não faço idéia. Depois de tantos anos convivendo com sua mãe, nunca a vi deste jeito. – respondeu Fábio sem tirar seus olhos de cima de mim.

– O engraçado é que a Yasmim nem está aqui. Afinal, é ela que gosta desse tipo de coisa. – disse Guilherme.

– A Yasmim que gosta de ficar se admirando no espelho e não sua mãe. – disse Fábio.

– Será que ela esta doente pai? – perguntou Guilherme parecendo preocupado.

– Vou chamar o Henrique. – disse Fábio saindo do meu closet.

Minutos depois Henrique também estava parado na porta do meu closet me olhando estranhamente e cochichando com Guilherme e Fábio:

– O que deu nela? – perguntou Henrique ao me ver.

– Te chamei aqui para me responder essa mesma pergunta. – disse Fábio.

– Nunca vi minha irmã agir assim. – disse Henrique distraidamente.

– Será que ela está ficando louca? – perguntou Guilherme.

– Há quanto tempo ela está ai? – perguntou Henrique.

– Faz mais de 3 horas que a Tati está ai se olhando no espelho e colocando essas roupas de gala. Ela nunca gostou nem de roupa de gala e nem de espelho e piorou de vestidos. – respondeu Fábio pensativo.

– Já sei como vamos a fazer voltar ao normal. – disse Guilherme.

– Como? – perguntou Henrique.

– Assim. – disse Henrique pegando as armas.

– Não entendi. – disse Kelly.

– Eu entendi. – disse Fábio. – Só que primeiro quero tirar uma foto. Ela está linda. – disse ele saindo para pegar a máquina.

Fábio entrou no quarto e ficou me olhando por algum tempo até que resolveu dizer algo:

– Você está muito linda, princesa.

– Obrigada Fá.

– Posso? – perguntou ele mostrando a máquina.

– Pode, mas quero que alguém tire comigo. Odeio tirar foto sozinha.

– Deixa comigo. – disse Henrique.

Depois da foto Guilherme entrou com as duas mãos para trás.

– O que foi filho? – perguntei.

– Quero te dar uma coisa mãe. – e mostrou as armas. – Pode pegar.

Eu não resisti tive que destruir alguma coisa com a arma. Desta vez foi à cômoda. Já estava velha mesmo.

– Essa é a minha esposa. – disse Fábio parecendo aliviado e feliz quando eu destruí a cômoda com uns 30 tiros.

– Você esqueceu de tirar as roupas de dentro da cômoda. – disse Kelly.

– Não tem problema. Yasmim ficará feliz em ir comprar mais. – respondeu Henrique rindo.

Horas depois Lucas e Yasmim chegaram com um grande sorriso nos lábios.

– Olha o que eu ganhei. – disse Yasmim mostrando a aliança para Kelly.

– E como foi o encontro? – perguntou Kelly puxando a amiga para um canto.

– Muito bom. – respondeu Yasmim.

– Quero detalhes Yasmim.

– Sinto muito. Prometi guardar segredo. – disse Yasmim.

– Conta logo Lucas. – pediu Guilherme.

– Sem chance. Já fiquei com vergonha de dizer tudo aqui na frente de tanta gente… Não conto. – disse o menino.

Todos tentaram descobrir como foi o encontro, mas até hoje não sabemos por isso não tem como eu escrever como foi, por que afinal tudo que sei, é por que alguém contou ou por que vi nas câmeras de segurança que tem espalhadas por aí, mas no restaurante que eles foram não tinha câmera. Só sabemos que realmente foi o encontro dos sonhos da Yasmim.

O JJ agora está treinando a Fabiana, ou melhor, a KLUP, para ajudá-lo. JJ diz estar apaixonado pela robô. Acho que isso nem é possível, mas…

FIM

Menu
Parte Anterior


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.

Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.