O diario de uma agente – Parte 13


Anteriormente:

Yasmim não pode responder Lucas, e muito menos pedir desculpas, por que quando Guilherme e Lucas voltaram com médico, Lucas não olhou para Yasmim, ele apenas saiu atrás do médico.

– O que houve? – perguntou Yasmim para Guilherme.

– A mãe dele está indo para o quarto e ele vai vê-la. – respondeu Guilherme.

– Mas eu preciso falar com ele. – disse Yasmim.

– Não pode. Só ele e o irmão podem entrar no quarto e temos que voltar para o hotel. Já está tarde.

Parte 13

– Mas eu preciso mesmo falar com ele. – disse Yasmim.

– Pela sua cara de apaixonada, você leu a carta. – disse Guilherme sorrindo para a irmã.

– Como você sabe? – perguntou Yasmim.

– Conheço você, e já sabia da carta. Fui eu que falei para o Lucas escrever. – disse Guilherme.

– E você não me contou? Deveria ter me contado. – disse Yasmim brava com o irmão.

– Sinto muito, mas não vai dar para você falar com ele agora. E temos que ir. Já passa das onze.

– Você pode ligar para mamãe e papai e dizer que vamos demorar um pouco. – pediu Yasmim docemente.

– Eu não sou o Lucas que com essa carinha se deixa levar. Temos que voltar para o hotel.

– Só preciso dar a resposta para ele maninho. Pensa na Kelly. Ela não vai gostar de você não deixar eu falar com o Lucas.

– Isso é chantagem Yasmim. – disse Guilherme.

– Você mesmo disse que quer que eu namore o Lucas.  Se não falar com ele vou ter que ficar com o Richard e a culpa vai ser sua

– Vou ligar para os nossos pais. E você fica aqui quietinha. Já volto.

Guilherme nos ligou e depois de insistir um pouco deixamos que eles ficassem mais meia hora.

Os dois esperaram que Lucas saíssem do quarto da mãe.

– Vocês ainda estão aqui? – perguntou ele espantado ao ver os gêmeos.

– Só estava esperando para te dar tchau. Amanhã cedo passamos para ver você. Vou esperar no carro. – disse Guilherme saindo.

– E você Yasmim? Está aqui para me xingar mais? – perguntou Lucas sem olhá-la.

– Como está sua mãe? – perguntou Yasmim.

– Bem melhor. Acho que amanhã ou depois vai para casa.

– Que bom. – disse Yasmim se aproximando de Lucas. – E você vai para casa quando?

– Não sei. Talvez amanhã mesmo. Temos trabalho a fazer. – disse Lucas. – É melhor você ir. Guilherme está te esperando.

– Não vai olhar para mim mesmo? – perguntou Yasmim.

– Desculpa. Mas você é que brigou comigo. É melhor você voltar ao hotel. Vou beber água e voltar para junto da minha mãe. – disse ele olhando profundamente nos olhos de Yasmim. – Seu olhar está diferente. O que aconteceu? – perguntou ele preocupado se aproximando de Yasmim.

– Li a carta, e não foi só uma vez. – disse Yasmim.

– Ah. – disse Lucas abaixando a cabeça. – E o que achou? Ainda está com raiva de mim?

– Quando escreveu? – perguntou Yasmim.

– Um dia antes de embarcarmos. Agora acredita que era para você? – perguntou Lucas ficando cada vez mais corado.

– Acredito. E você não vai perguntar a minha resposta? – perguntou Yasmim.

– É melhor não. Você está com muita raiva de mim e não era bem assim que eu tinha imaginado as coisas e sei que também não era assim que você queria que fosse, mas…

– Lucas… Pergunta logo. – pediu Yasmim interrompendo o menino.

– Tudo bem. – respondeu o menino ansioso. – Yasmim quer namorar comigo?

– É o que eu mais quero.

E os dois deram um longo beijo.

Acordamos bem cedo no dia seguinte. Tomamos café, arrumamos as malas e fomos ao hospital.

Lucas estava com uma aparência péssima naquele dia.

– Está tudo bem? – perguntei quando cheguei.

– Ótimo. Só não dormi direito. Meu irmão não apareceu ainda. – disse Lucas.

– Quer ajuda para achá-lo? – perguntou Fábio.

– Eu sei onde ele está, mas não posso deixar minha mãe sozinha.

– Se quiser ficamos aqui com a sua mãe. – respondi. – Pode ir procurar seu irmão.

– Se quiser vamos junto. – disse Kelly.

– Não é um lugar para meninas. – disse Lucas.

– Não tem problema. Vamos do mesmo jeito. – disse Kelly.

– Guilherme não vai deixar você ir quando souber onde é. – disse Lucas. – A Yasmim não vai.

– Vocês decidem. Fábio e eu vamos falar com o médico. – respondi saindo.

– Por que você não ficou lá com as crianças? – perguntou Fábio.

– Essa missão é deles. E, aliás, precisamos conversar com o médico para saber a verdade sobre o estado da mãe do Lucas. – respondi.

– Nisso eu concordo. O médico não iria falar tudo para o Lucas. – disse Fábio.

Enquanto nós falávamos com o médico os quatro pegaram um táxi e foram encontrar o irmão de Lucas em uma boate de stripers. Quando chegaram à porta:

– As duas ficam. – disse Guilherme ao ver o lugar.

– Eu é que não vou ficar aqui sozinha. Eu vou junto. – disse Kelly.

– Concordo com ela. E não pode ter nada de mais aí que nunca vimos. Acho melhor nós entrarmos e vocês ficarem aqui. – disse Yasmim.

– Você não conhece Moscou Yasmim. – disse Lucas.

– Não. Mas meu namorado fofo conhece e me protege do que precisar. – disse ela com uma carinha que encanta Lucas.

– Certo. Pode vir junto, mas não reclama se alguém mexer com você.

– Não vou reclamar. – respondeu Yasmim meiga.

– A Yasmim vai entrar? – perguntou Guilherme.

– Ela já está grandinha para saber o que quer. – disse Lucas.

– Você é que sabe. Se alguém beijar ela você é que vai ser traído mesmo, mas a Kelly não vai.

– Vou sim.

Depois de uns minutos de discussão, os quatro entraram. O segurança não os barrou na porta por que era um conhecido do Lucas.

– Meu irmão esta aí? – perguntou ele depois que entrou para o segurança.

– Deve estar. Não vi ele saindo. – respondeu o segurança. – E quem são as gatinhas? Novas dançarinas? Você está pagando quanto pra sair com ela? – perguntou.

– Não estou pagando nada. É minha namorada e a namorada do meu cunhado.

– Fala sério Lucas. Você nunca iria arrumar uma mocinha tão bonitinha.

– Fala mais uma palavra e você perde o emprego.

– Como você iria tirar o emprego dele? – perguntou Guilherme.

– Dei um dinheiro para o meu irmão abrir um negócio e ele virou sócio disso aqui. – respondeu Lucas sem emoção.

Para qualquer lugar que se olhasse via mulher sem roupa, ou quase sem roupa.

– Como elas ficam sem roupa nesse frio? – perguntou Kelly.

– Se não me engano tem um aquecedor perto de cada uma. Sem contar que elas ficam dançando.

– Têm quartos aqui? – perguntou Guilherme.

– Tem sim. Muitas vão para a cama com alguns clientes do bar. – respondeu Lucas. – Venham vamos perguntar no balcão.

– Oi. – disse o garçom para Kelly quando se aproximou.

– Oi. Tem alguma coisa para beber aí? – perguntou Kelly.

– Temos de tudo. O que vai querer? – perguntou o barman.

– Quero refrigerante. – disse Kelly.

– Você está brincando? – perguntou o rapaz rindo. – Você bebeu demais em moça. Está tentando levar o rapaz para um quarto se fazendo de santinha?

– O quê? – perguntou Kelly irritada. – Eu não sou dessas não.

– Parece. – respondeu o rapaz. – Todas as mulheres que entram aqui é para ganhar dinheiro fácil.

Quando Guilherme ia bater no rapaz Lucas o impediu.

– Eu falei para ela não entrar. – disse Lucas. – Igor, cadê meu irmão? – perguntou Lucas.

– Deve estar por aí com alguma vagabunda. Nossa e quem é essa gracinha? – perguntou ele se virando para Yasmim. – Quer uma bebida? É por minha conta. Quem sabe depois da bebida possamos conversar melhor em um lugar mais reservado.

– Abaixa a bola Igor. É minha namorada. – disse Lucas procurando o irmão com os olhos.

– Foi mau patrãozinho. Mas tudo que cai na rede é peixe. – disse Igor sem tirar os olhos de Yasmim.

– Você não estava cantando a Kelly? – perguntou Lucas ao ver Igor olhar o decote de Yasmim.

– Estava, mas o rapaz aqui é meio nervozinho.

– E bate forte também. – disse Lucas. – Vou subir. Me dá a chave do quarto.

– Vai levar a moça para conhecer o paraíso? – perguntou Igor irônico.

– Dá a droga da chave logo. – disse Lucas começando a se irritar.

No andar de cima:

– Guilherme você procura ele nos camarins e eu procuro nos quartos. – disse Lucas.

– Certo. – disse Guilherme começando a se afastar com Kelly.

– Conselho: entra primeiro. Geralmente o pessoal está sem roupa. – disse ele rindo.

– Pode deixar.  E não deixa a Yasmim ver nada que não deva.

– Relaxa cunhado. Todos me conhecem. É melhor você ter cuidado. – advertiu Lucas. – Vem Yasmim. E só entra depois que eu autorizar.

– Para que tudo isso? – perguntou Yasmim.

– Para você não ver um homem pelado, ou um casal fazer amor. – respondeu Lucas tentando ser gentil.

– Eu não posso ver um homem pelado e você pode vê todas essas mulheres nuas?

– Vamos dizer que não é a primeira vez que vejo. – disse Lucas abrindo a porta de um quarto.

Depois que Fábio e eu falamos com o médico fomos falar com a mãe de Lucas:

– Como à senhora se sente? – perguntei.

– Melhor. Parece que vou para casa mais tarde. Só preciso do meu filho para assinar os papéis.

– O médico disse que a senhora vai ficar de repouso por uma semana ou duas. – disse Fábio. – Seu filho mais velho pode cuidar da senhora?

– Espero que sim. – disse a mãe do Lucas.

– A senhora prefere que Lucas fique um tempo? – perguntei.

– Espero que não seja necessário. Lucas precisa trabalhar. Meu outro filho largou o trabalho e eu vou ficar sem trabalhar por algum tempo. Precisaremos de algum dinheiro.

– Isso é o de menos. Fábio e eu cuidamos disso. Se necessário Lucas ficará por um tempo. Daremos um jeito. – respondi.

– Mandaremos JJ ou JJ2 para treinar a dança com ele, assim que tivermos os passos se preciso. – disse Fábio.

– Obrigada. Vocês são muito gentis. Ainda bem que Lucas tem vocês para tomar conta dele no Brasil.

Depois de algum tempo Guilherme encontrou o irmão de Lucas em um camarim com uma moça de no máximo uns 18 anos.

– Seu irmão está te procurando. – disse Guilherme.

– Continuamos depois benzinho. – disse o irmão do Lucas para a menina.

– Você me deve cem rublos. – disse a menina colocando a roupa.

– Está vendo só? Aquele pestinha do Lucas me fez perder cem rublos. Espero que seja urgente.

Enquanto Guilherme falava com o irmão do Lucas e a menina colocava a roupa, Kelly ligou para Lucas e Yasmim.

– Podemos conversar? – disse Lucas ao ver o irmão.

– Você não estava no Brasil? Veio aqui para quê? – perguntou o rapaz arrogante.

– Sabia que a nossa mãe está internada no hospital?

– Ouvi comentários.

– Você não se importa com ela não? – perguntou Lucas irritado.

– Você me fez perder cem rublos para escutar sermão? Por que não volta para o Brasil? Você não tem uma família lá? Não tinha arrumado uma garota por lá? Não tinha amigos? O que está fazendo aqui em Moscou?

– Você esta parecendo criança. – disse Lucas.

– Até onde eu saiba a criança é você. Tenho vinte anos. Sai do meu pé e volta para a sua vagabunda.

– Quem tem vagabunda é você. – disse Lucas em russo.

Os dois ficaram discutindo por um tempo até que o irmão de Lucas percebeu que Yasmim, Guilherme e Kelly estavam lá.

– Esses são seus amigos do Brasil?

– São. Quer conhecer a mãe deles? Desculpa, esqueci que você já conhece. – disse Lucas.

– Eles são filhos dos donos da CMCC? Você está brincando! Então essa aqui deve ser a Yasmim que mamãe tanto fala. – disse apontando para Kelly.

– Não. – respondeu Lucas.

– Estamos descendo. – disse Guilherme puxando Kelly de perto do irmão de Lucas que estava bêbado. – Se ele chegar perto da Yasmim, acabo com os dois Lucas.

– O que seu amiguinho disse? – perguntou.

– O que foi? Não sabe falar português? – perguntou Lucas.

– Pára de graça. Veio me procurar aqui por quê? Quer umas dicas para levar a mocinha para a cama? – perguntou apontado para Yasmim.

– O que? – perguntou Yasmim nervosa. – Quem você pensa que é? – perguntou para o cunhado em inglês.

– Não adianta falar em inglês com ele meu amor. Ele é burro. Só sabe russo. – respondeu Lucas.

– Sinto muito que seja seu irmão, mas ele já falou besteira de mais por um dia. – disse Yasmim.

– E o que você vai fazer? – perguntou Lucas.

– Você não se importa com a sua mãe não? Não está nem aí para ela, e piorou para o seu irmão. Você é um nada que se esconde da família porque não tem futuro e tem que ter vergonha disso… – começou Yasmim em russo.

Depois de uns dez minutos falando Yasmim virou para Lucas e disse:

– Dá um jeito nele ou eu mesma dou.

– Você sabe russo? – perguntou ele espantado.

– Sei. Aprendi para poder te visitar se você não fosse ficar no Brasil. – respondeu Yasmim.

– Então você entendeu o que ele disse de você?

– Entendi, mas não se preocupe não ligo para o que ele fala. – respondeu Yasmim nervosa.

– Tudo bem. – disse Lucas sem acreditar. – Vou barrar sua entrada na cidade inteira se possível para você ficar em casa. Mamãe precisa de você.

– Você não precisa de mim. Já que tem dinheiro pode contratar uma enfermeira para cuidar dela.

– Cansei de discutir com você. Vou dar um jeito na situação e você trate de arrumar um jeito de se sustentar. Esse lugar está fechado até segunda ordem. E quando eu estiver em Moscou você não irá por o pé naquela casa. – disse Lucas saindo.

– Você não pode fechar meu bar. – disse ele indo atrás de Lucas.

Lucas desligou a música subiu no palco e disse:

– Todos para fora. Esse bar esta fechado até segunda ordem. Os que querem receber se entendam com ele – disse apontando o irmão – se não esvaziarem o bar agora vou prender todo mundo. Vocês têm cinco minutos.

– É mentira gente. Ele não pode prender ninguém. – disse o irmão dele.

– Ele pode. – disse Yasmim mostrando o distintivo.

– Ela é só uma menininha. – disse o cunhado de Yasmim.

Então Lucas, Guilherme e Kelly se juntaram a Yasmim, e todos saíram rapidamente do bar.

– Vou repetir irmãozinho. O bar está fechado. Arrume um emprego. – disse Lucas saindo.

Mais tarde Yasmim conheceu sua sogra.

Fábio estava começando a ficar com dor de garganta e resolvemos voltar para o Brasil, mas infelizmente Lucas ficou em Moscou. Ele tinha que cuidar da mãe que ia voltar para casa naquele dia.

Felizmente tínhamos duas semanas para a última etapa do concurso e nossa lista de suspeito tinha se resumido para os pais de Richard, a figurinista e Fabiana. Apesar de todos dizerem que Fabiana não era culpada eu a coloquei na lista, afinal não posso deixar paquerarem meu marido e sair impune.

Fábio pegou uma gripe. Deve ter sido pela diferença de temperatura do Brasil e da Rússia. O pior é que ele fica muito dengoso quando fica doente.

– Princesa, minha garganta está doendo.

– Já tomou o remédio Fábio?

– Não. Não gosto de tomar remédio. – disse ele ainda sem levantar da cama.

– E como você quer melhorar sem tomar remédio?

– Eu sou forte. Não preciso de remédio. Só preciso que você fique aqui cuidando de mim. Não vai trabalhar não. Fica aqui comigo. Eu estou precisando de você mais que a agência.

– Alguém tem que trabalhar nessa casa.

– As crianças trabalham hoje. É só um dia. Fica aqui.

– Vou buscar o remédio. – respondi saindo.

– Eu acho que estou com febre. – disse Fábio.

Dei o remédio de gripe para Fábio e falei:

– Tenho que ir. Temos trabalho a fazer. Beijos e te amo. – disse saindo.

– Mas Tati… Você vai me abandonar?

– Não Fá. Só vou trabalhar.

Cheguei atrasada no ensaio por que Fábio ficou me atrasando pedindo para ficar e cada hora falando que estava com uma dor diferente. Uma hora era a garganta, depois a cabeça, depois o nariz, depois estava com febre, e depois com calor…

Quando cheguei no ensaio JJ estava dançando com Yasmim e Guilherme estava treinando um passo novo com Kelly.

– Você está atrasada. – disse o professor.

– Eu sei.

– E cadê o Legião? – perguntou o figurinista. – Preciso ver se isso serve nele.

– Ele não vem. Está doente.

– Só me faltava esta. Primeiro o Limon fica em Moscou e agora o Legião está doente. Como pretendem ganhar o concurso desse jeito?

– Não pretendemos ganhar o concurso. Só descobrir o culpado. – respondi indo para o vestiário.

– Se troque rápido. Quero você com o vestido que usou na primeira apresentação.

– Mas para que? Eu odeio vestido e eles não me deixam me mexer direito. Como vou bater em alguém se preciso com essa roupa de gala? – perguntei irritada.

– Não vai bater em ninguém. Você vai dançar. – respondeu o professor.

– Vou colocar uma sandália. E se dê por satisfeito. – respondi.

– Sua mãe está estressada. – disse Kelly.

– É que ela odeia vestidos. – respondeu Guilherme.

– Ela sempre foi assim. – disse JJ.

– Você conhece minha mãe há muito tempo, não é JJ? – perguntou Yasmim.

– Conheço ela desde quando ela tinha uns seis, sete anos. E até hoje ela não mudou nada. Ciumenta, adora bater em todo mundo, odeia roupa de moça, só usa tênis e calça, odeia o espelho também. Ela diz que nunca está bonita para se olhar no espelho.

– Sério mesmo? – perguntou Kelly.

– Sério. Perguntem para o Henrique se não acreditam em mim.

– JJ você é quem vai para Moscou? – perguntou Yasmim.

– Não. JJ2 vai. Assim que a coreografia estiver pronta ele embarca. Enquanto o senhor Limon não volta irei ter a honra de dançar com a senhorita. – disse JJ com sua voz robótica.

– Você pode ficar igual o Lucas?

– Claro. – disse ele mudando sua forma para o Lucas.

– Até mesmo a voz? – perguntou Yasmim.

– Claro. – disse ele com a voz do Lucas.

– E como sabemos quando é você? – perguntou Kelly.

– Tatiana e Fábio só de olharem já sabem, mas como vocês não conhecem os robôs como eles, é só prestar atenção no interior dos olhos, ou na marca nas costas.

– Minha mãe me contou que você uma vez ficou igual à Yasmim. – disse Guilherme.

– Verdade, mas não consegui enganá-la. – disse ele parecendo Yasmim.

Foi quando cheguei:

– Quem é a Yasmim? – perguntou o professor.

– Sou eu. – respondeu JJ.

– Por que o robô esta parecendo à menina? – perguntou o coreógrafo.

– JJ pare de enganar o professor.  Fique na sua forma verdadeira.

– Desculpe Rouxinol. – respondeu ele.

O dia passou rapidamente. Ficamos ensaiando e montando a coreografia. No final do dia JJ2 embarcou para Moscou. Voltamos para casa e Fábio ainda estava de cama.

– Você demorou Tati. – disse ele ao me ver.

– Melhorou? – perguntei medindo sua temperatura.

– Um pouco. Meu nariz ainda está ruim. Tenho que ir ao banheiro a cada cinco minutos.

– Logo isso passa Fá. Você já não está com febre e já tomou o remédio.

– Princesa minha garganta está doendo. – disse Fábio com a voz fraca.

– Quer um pouco de leite quente?

– Você sabe que não gosto de leite quente.

– Certo. Não posso te ajudar. Você já tomou o remédio. Está de cama. Logo estará melhor.

– Pai! Você está melhor? – perguntou Yasmim entrando.

– Não querida.  Papai está muito doente.

– Coitado. – disse Yasmim para Fábio. – Mamãe você tem que fazer alguma coisa.

– Já dei remédio para ele Yasmim. Não posso fazer mais nada. – respondi saindo do quarto.

– Mamãe disse que todos os homens ficam manhosos quanto ficam doentes. É verdade pai?

– Claro que não. Sua mãe não entende que a gripe acaba com o dia de qualquer homem.

Os dias passaram rapidamente. Fábio melhorou logo, ficou espirrando por alguns dias, mas nada que o impedisse de trabalhar. Os ensaios estavam cada vez mais freqüentes e às vezes o professor chegava atrasado, mas nada que alguém ficasse preocupado, pelo contrário, todos agradeciam.

Depois doze dias recebemos a notícia que Lucas estava voltando. Eis quanto ele chegou à agência naquela tarde:

– Bem vindo de volta senhor Limon. – disse uma voz robótica. – Olá JJ2.

– Como é bom voltar! – disse Lucas. – Todos sabem que eu iria voltar? – perguntou Lucas para Ricardo.

– Não. Somente Rouxinol e Legião. Não tenho certeza se contaram para os outros.

– Ótimo. Vou fazer uma surpresa para a Yasmim. – disse Lucas indo em direção ao corredor.

– Então acho melhor você esperar. Ela saiu com o JJ.

– Saiu? – perguntou Lucas inconformado.

– Saiu. Foi fazer compras. – disse Evandro.

– Ela preferiu fazer compras a me ver? – perguntou Lucas indignado.

– Eu falei para não contar para a Yasmim. – disse Guilherme chegando. – Você queria fazer uma surpresa para ela e essa é a sua chance. Arruma tudo para o encontro de vocês.

– Adorei a idéia, mas infelizmente não vai dar. O restaurante que quero levá-la não tem reserva. Só consegui reserva para daqui uma semana.

– Que pena!

– Mas não perdi tempo. Comprei uma aliança linda para ela. Depois te mostro.

– Comprou uma aliança para a Yasmim? – perguntou Kelly chegando.

– Comprei, mas é segredo. – disse Lucas. – E o Fábio já melhorou? JJ2 me disse que ele estava doente.

– Melhorou sim. – respondi chegando na SV. – Bem vindo de volta Lucas.

– Obrigado Tatiana.

– Que tal você ir para casa guardar essas malas? – perguntei. – Logo estaremos indo. Só temos que trocar essas roupas. – disse um pouco irritada.

– Ela ainda não se acostumou com o vestido. – disse Fábio chegando. – E como sua mãe está? – perguntou Fábio.

– Muito melhor. Já está andando. Só não pode fazer muito esforço. Deixei uma enfermeira para ela.

– E seu irmão? – perguntou Kelly se lembrando da briga.

– Voltou a trabalhar no restaurante.

– E o bar? – perguntou Guilherme.

– Minha mãe disse que vai dar um jeito nele. Só não sei o que ela pretende fazer. – respondeu Lucas. – Então vou para casa guardar as coisas. Ah, eu trouxe presentes para todos. – disse Lucas.

– Eu vou com você para casa. Quero ver a alian… – mas Guilherme não completou a frase. – Quero ver o presente da Yasmim.

– Também posso ver a aliança que você comprou para a Yasmim? – perguntou Fábio.

– Não era para ninguém saber! – exclamou Lucas.

– Não se preocupe. Não iremos contar. – respondi.

– Então vamos meninos? – perguntou Fábio.

Menu
Parte Anterior
Próxima Parte


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.

Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.