O diário de uma agente 3 – Parte 5 1


Anteriormente:

– Gostou do meu plano? – perguntou Henrique.

– Será que vai dar certo? – perguntou Fábio.

– Acho que sim. A Tati vai ver as crianças tão juntas e como se gostam que vai parar com o ciúmes. – respondeu Henrique.

– Espero que você esteja certo. – respondeu Fábio.

Parte 5

Um pouco mais tarde Fábio o eu fomos dançar para ver se realmente tínhamos aprendido. As crianças ficaram impressionadas com a nossa performance e ensinamos uns dois passinhos para eles irem treinando.

Tiramos o resto do dia de folga, como Fábio e eu já sabíamos dançar, fomos para a praia curtir um pouco, mas as crianças não gostaram da idéia e foram para casa treinar.

Fizeram a maior zona na sala. Arrastaram todos os móveis para os cantos para poder ensaiar. Quando finalmente resolveram descansar arrumaram à sala e Yasmim foi alugar um filme.

– Galera, eu acho que vou fazer um lanchinho. Vou arrumar a pipoca e o suco. – disse Kelly saindo da sala.

Quando finalmente Guilherme e Lucas ficaram sozinhos:

– Agora me conta o que aconteceu hoje de manhã. – pediu Guilherme.

– Sua irmã! A Yasmim foi me acordar. – disse Lucas.

– Disso eu sei. Ela me disse que ia te acordar, quero saber da parte que ela te pediu um beijo e você saiu correndo. – disse Guilherme.

– Eu só não beijei sua irmã, por que na hora que eu ia fazer isso me veio na mente sua mãe atirando em mim. – disse Lucas pensativo.

– Boa estratégia para fugir dela. – disse Guilherme rindo.

– Como você faz para resistir a Kelly? – perguntou Lucas.

– Fácil, eu só imagino a minha mãe vendo. – disse Guilherme olhando distraidamente a porta que Kelly tinha saído.

– Realmente! Se sua mãe vê ela mata nós quatro. – disse Lucas.

– A Yasmim pegou pesado com você, não é?

– Vou ter que dar um jeito na sua irmã. Ela é realmente determinada. – respondeu Lucas.

– Se prepara a Yasmim não vai sossegar enquanto você não admitir que gosta dela. – advertiu Guilherme.

Quando chegamos em casa o filme já havia começado, e que gracinhas eles estavam todos abraçadinhos.

Kelly estava deitada no ombro de Guilherme e abraçada com ele; já Yasmim estava encostada na frente do Lucas deitada no peito dele, enquanto ele a abraçava. Não sei se as meninas estavam se aproveitando que era um filme de terror ou se realmente estavam com medo do filme.

Fábio ao ver os quatro pensei que iria falar algo do tipo: “Tem que deixá-los namorar.” Mas ele não disse nada disso, só disse:

– Que tal aproveitar e irmos para a banheira. Eles não vão nem sentir a nossa falta.

Mais tarde quando o filme das crianças acabou só escutei eles discutindo:

– Como você estava com medo daquilo Yasmim? O policial precisava matar o bandido. – zoou Kelly.

– Eu estava com medo sim. – disse Yasmim.

– Estava com medo ou estava querendo abraçar mais o Lucas? – perguntou Kelly.

– Os dois. – respondeu Yasmim. – E você não pode falar nada Kelly. Vi muito bem quando você agarrou o Guilherme. – disse Yasmim.

Quando os dois voltaram para a sala as duas pararam de falar:

– Por que vocês estavam discutindo? – perguntou Lucas.

– Não estávamos discutindo. Só discordando. – respondeu Kelly.

– Por que as duas não param de discordar e vamos aproveitar o resto do nosso dia de folga? – perguntou Lucas

– Certo. Vamos dançar? – perguntou Yasmim.

– O quê? Dança de salão de novo? – perguntou Lucas desanimado.

– Música lenta. – respondeu Yasmim animada.

– Vou buscar um CD. – disse Guilherme.

– Seus pais devem ter um. – disse Kelly.

– Em falar neles… Onde estão? – perguntou Yasmim.

– Foram para a banheira. – respondeu Lucas.

– Juntos? – perguntou Yasmim.

– Sem roupa? – perguntou Guilherme.

– Provável que sim. – respondeu Lucas rindo.

– Que nojo! – responderam Guilherme e Yasmim juntos.

– Vocês ainda têm aquela ligação que todo mundo fala que gêmeo tem, não é? – perguntou Kelly rindo.

– Que ligação? – perguntou Yasmim.

– Sabe, é que dizem que os gêmeos sentem as mesmas coisas, e que um termina a frase do outro, essas coisas. – respondeu Kelly.

– Ah, temos sim. – disse Guilherme. – É muito difícil esconder algo da Yasmim, e vice-versa.

Guilherme pegou um CD que o Fábio gravou para mim e colocou para eles.

– Vem, vamos dançar. – disse Yasmim puxando Lucas para perto dela.

– Você me dá a honra desta dança senhorita? – perguntou Guilherme para Kelly.

– Claro meu senhor. – respondeu Kelly indo dançar.

– Você deveria ter feito isso Lucas, foi tão fofo dá parte dele. – disse Yasmim pensativa.

– Você não me deu tempo meu anjo. – respondeu Lucas confuso.

– Ele deve ter feito isso por que ama a Kelly de verdade, não é igual a nós que nos gostamos como irmãos, ou melhor, que você gosta de mim como um irmão. – respondeu Yasmim ao ouvido de Lucas.

Lucas jogou Yasmim no sofá e saiu nervoso da sala.

– O que aconteceu? – perguntou Guilherme ainda dançando com Kelly.

– Eu só falei que ele deveria ser um pouco mais romântico, mesmo que só goste de mim como uma irmã. – disse Yasmim irritada.

– Yasmim você tem que parar de tentar fazê-lo te amar. Ele não pode. – disse Guilherme.

– Se eu pelo menos soubesse que ele gosta de mim eu juro que pararia de fazer essas coisas. – disse Yasmim.

– Você iria parar? – perguntou Guilherme.

– Iria.

– Então promessa é dívida. – disse Guilherme soltando Kelly e indo falar com Lucas que estava voltando para a sala com uma flor na mão.

– Posso Guilherme? – perguntou ele ao amigo discretamente.

– Se você não fizer vai ser pior. – respondeu Guilherme. – Não vai fazer nada não é? – perguntou Guilherme.

– Não vou beijá-la, se é isso que esta perguntando. E nem falar para ela. Vou fazê-la entender o recado. – respondeu Lucas.

– Boa sorte. – disse Guilherme voltando a dançar com Kelly.

Enquanto isso Fábio e eu estávamos descendo para fazer o jantar e vimos tudo, então resolvemos esperar que eles se entendessem para descer, e ficamos observando tudo da escada.

Lucas se ajoelhou na frente de Yasmim com a rosa escondida nas costas, pegou em sua mão e disse:

– Peço ti perdão por ser tão rude com a senhorita, mas sou apenas um camponês, que gostaria de uma vez na vida ter a sorte e o prazer de dançar com vossa alteza, mesmo sabendo que nunca serie perfeito para você, quero sonhar, e com apenas uma dança a senhorita realizará o sonho da minha vida. Não tenho muito a oferecer a não ser esta rosa, e me atrevo a comparar o seu cheiro, sua beleza e delicadeza com esta simples flor. Dê-me a honra desta dança e poderei viver em paz. – disse Lucas olhando profundamente nos olhos de Yasmim.

Yasmim nem soube o que dizer, apenas levantou o amigo e foi dançar.

E claro que Fábio tinha que falar algo sobre aquilo. Ele logo perguntou:

– Viu como ele ama sua filha?

– Vi. Foi tão lindo o que ele disse para ela. – respondi pensativa.

– Me dê a honra de poder te ajudar a fazer o jantar, sei que sou um pobre camponês, mas a ilustre princesa poderia me ajudar a realizar um sonho. – brincou Fábio antes de descer as escadas.

– Sinto muito camponês, nas não sou mais uma princesa e sim uma rainha, pois há tempos me casei com um camponês como você, que me tornou uma rainha. – respondi entrando na brincadeira.

Mais tarde um pouco antes do jantar, Kelly e Yasmim estavam cochichando no canto da sala:

– O que foi aquilo Yasmim? Ele foi tão… Tão fofo! – disse Kelly.

– Foi uma declaração Kelly. – respondeu Yasmim sonhadora.

– Como uma declaração? Ele só te chamou para dançar. – respondeu Kelly.

– Eu disse que Guilherme tinha sido tão romântico com você por que te amava, e que ele não era romântico por que me considerava uma irmã. – respondeu Yasmim.

– Que lindo! Agora você não pode mais nem ao menos tocar no assunto com ele. Você prometeu para o seu irmão. – disse Kelly.

– Eu sei. Vou esperar até o Lucas poder ficar comigo. – disse Yasmim pensativa.

– Mas por que será que ele não tentou beijá-la logo se ele gosta tanto assim de você quanto demonstrou?

– Não sei. Deve ser pelo mesmo motivo do Gui. – disse Yasmim distraída.

– Mesmo motivo do seu irmão? O que você quis dizer com isso? – perguntou Kelly curiosa.

– Nada. Eu só quis te animar. – disse Yasmim tentando consertar o erro.

– Valeu, mas seu irmão me trata assim por que é um perfeito cavalheiro.

Já no canto da cozinha Guilherme e Lucas estavam conversando:

– Da onde você tirou tudo aquilo? – perguntou Guilherme.

– Não faço a menor idéia.

– Você tem que anotar tudo aquilo. Posso conquistar a Kelly com aquilo. – disse Guilherme.

– Não me peça isso. Não conseguiria repetir tudo aquilo. Foi um momento mágico. – respondeu Lucas com um brilho no olhar.

– Está realmente gostando dela. Meu Deus! Que pena que minha mãe não viu. – disse Guilherme chateado. – Isso poderia ajudá-la a mudar de idéia.

– Quem disse que sua mãe não viu? – perguntou Fábio entrando na conversa dos meninos.

– E o que ela disse pai? – perguntou Guilherme se animando.

– Não se preocupe com o que ela disse, fique feliz, por que ela está quase mudando de idéia. Estou fazendo ela se lembrar de quando nos gostávamos e não podíamos ficar juntos.

– Sinceramente se eu não te conhecesse iria quebrar a sua boca para você não poder falar essas coisas para a minha irmã.  – disse Guilherme quando Fábio se afastou.

– Ainda bem que sou seu amigo. – respondeu Lucas aliviado.

– Por ser meu amigo, se aprontar alguma apanha mais que os outros. – respondeu Guilherme sorridente.

– Por que você não se declara para a Kelly também? –perguntou Lucas mudando de assunto.

– No fundo Kelly sabe que gosto dela. – respondeu Guilherme.

– Yasmim também sabia. – respondeu Lucas.

– Yasmim é diferente. Ela é muito sonhadora. – respondeu Guilherme pensativo.

– E quem te garante que Kelly não seja? – perguntou Lucas.

O jantar foi muito estranho, Yasmim não parava de olhar para Lucas, que estava cada vez mais constrangido. Kelly mal comeu e Guilherme não parava de falar.

– E como vamos fazer essa missão mãe? – perguntou Guilherme.

– Amanhã o coreógrafo vai à agência, e contratei um professor para vocês.

– Mas e a escola? Temos aula amanhã. – respondeu Guilherme.

– Já cuidei disso filho. Vocês quatro estão dispensados das aulas, já falei com a diretora. – respondeu Fábio.

– E o quarto da Kelly e do Lucas?

– Já está pronto. Seu tio arrumou. Só falta vocês arrumarem a rede de computadores, porque não deu tempo para o seu tio arrumar. – respondeu Fábio.

– Kelly, por que não está comendo? – perguntei.

– Não estou com fome senhora Queiroz. – respondeu Kelly.

– Vamos combinar uma coisa: não me chamem de senhora, me chamem de Tatiana, Tati, Rouxinol, de tia, do que quiserem, mas não me chamem de senhora.

– Por que não senh… Tatiana? – perguntou Lucas.

– Quando me chamam de senhora parece que sou tão velha. – respondi.

– Você não é velha mãe. – respondeu Guilherme.

– Você é a minha princesa. – respondeu Fábio me dando um beijo no rosto.

Todos riram.

– Vamos ter que viajar para o concurso mãe? – perguntou Guilherme.

– Vamos filho. E para a felicidade do Lucas, uma das etapas do concurso será na Rússia. Podemos passar e conhecer seus pais. – respondi.

– O senhor Fábio conhece meus pais. – disse o menino.

– Mas Yasmim não conhece. – respondi distraída.

Parte Anterior
Próxima Parte


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

One thought on “O diário de uma agente 3 – Parte 5