O diário de uma agente 3 – Parte 1


Parte 1

– O que houve com a mamãe? – perguntou Guilherme pelo canto da boca.

– Realmente não faço idéia. Depois de tantos anos convivendo com sua mãe, nunca a vi deste jeito. – respondeu Fábio sem tirar seus olhos de cima de mim.

– O engraçado é que a Yasmim nem está aqui. Afinal, é ela que gosta desse tipo de coisa. – disse Guilherme.

– A Yasmim que gosta de ficar se admirando no espelho e não sua mãe. – disse Fábio.

– Será que ela está doente pai? – perguntou Guilherme parecendo preocupado.

– Vou chamar o Henrique. – disse Fábio saindo do meu closet.

Minutos depois Henrique também estava parado na porta do meu closet me olhando estranhamente e cochichando com Guilherme e Fábio:

– O que deu nela? – perguntou Henrique ao me ver.

– Te chamei aqui para me responder essa mesma pergunta. – disse Fábio.

– Nunca vi minha irmã agir assim. – disse Henrique distraidamente.

– Será que ela está ficando louca? – perguntou Guilherme.

– Há quanto tempo ela está ai? – perguntou Henrique.

– Faz mais de 3 horas que a Tati está ai se olhando no espelho e colocando essas roupas de gala. Ela nunca gostou nem de roupa de gala, nem de espelho e piorou de vestidos. – respondeu Fábio pensativo.

Realmente naquele dia eu não estava muito normal. De noite (no meu dia de folga) sempre coloco uma música para poder tomar um banho e relaxar antes de dormir, porém naquele dia escolhi um CD que o Fábio me deu de presente quando tínhamos uns 4 anos de namoro, o CD só tinha músicas maravilhosas que ele mesmo escolheu, e não sei por qual motivo fiquei tão relaxada que tive vontade de me admirar, mas me admirar como mulher que sou (ou deveria ser), afinal, estou sempre parecendo um homem, nunca uso uma saia, um decote ou qualquer coisa do tipo, a não ser em festas.

Eu trabalho tanto que, às vezes, nem ao menos me lembro que sou uma dama. Quando eu era adolescente me lembro que até usava esse meu corpinho para seduzir bandidos e prendê-los; eu colocava óculos escuros, ajeitava o cabelo, usava somente roupas justas para marcar o meu corpo, mas hoje em dia, nem ao menos arrumo a cabelo. Tudo bem que o Fábio não liga para isso, ele diz que me ama de qualquer jeito, mas às vezes, tenho que ajudá-lo a me amar, não posso parecer um amigo dele, pelo contrário tenho de deixá-lo louco para estar perto de mim.

Creio que tudo isso aconteceu por causa da nossa última missão. Adivinhem só: fomos para um concurso de dança de salão. Vou contar melhor, começando por alguns dias antes dessa tal missão:

– Guilherme vamos logo. Hoje é a apresentação de balé da Yasmin. – disse Fábio apressado.

– Já vou pai. Só preciso ligar para a Kelly. – disse Guilherme procurando o telefone.

– A Kelly já deve até ter ido para o teatro junto com a sua mãe. – respondeu Fábio entrando no quarto do menino.

– Minha namorada me esperaria para sair. – disse Guilherme.

– Kelly não é sua namorada, é apenas sua parceira, e ela deve ter ido com sua mãe, afinal, nós estamos atrasados!

– Mas e se ela não foi com a mamãe? – perguntou Guilherme.

– Quer apostar o quê? –perguntou Fábio.

– Aposto o meu mais novo note book de bolso, que você ainda não tem. – disse Guilherme.

– Aposta feita. Pode ligar para a Kelly e me entregar o note book. – disse Fábio.

Guilherme ligou para sua parceira e para sua infelicidade quem atendeu o C.A. dela fui eu:

– Alô. Cadê você Guilherme? A apresentação da sua irmã já está quase começando. – disse para ele ao atender o C.A.

– Mamãe! O que está fazendo com o C.A. da Kelly? – perguntou Guilherme desanimado.

– A Kelly foi ao banheiro. Cadê seu pai? – perguntei.

– Vou passar para ele. – disse Guilherme passando o telefone para Fábio.

– Oi princesa. – disse Fábio ao pegar o telefone.

– Oi querido. Já saíram de casa? – perguntei.

– Não. Guilherme demorou um pouco no banho. – respondeu Fábio.

– Vocês têm cinco minutos para chegar aqui. Senão chegar nesse tempo não vai haver joguinhos nenhum hoje à noite. – respondi desligando.

Fábio colocou o telefone no lugar e Guilherme perguntou:

– Ela desligou na sua cara? – perguntou Guilherme espantado.

– Temos quatro minutos para chegar lá. – disse Fábio apressadamente.

– Pai, é meio longe daqui o teatro. Não vai dar tempo.

– Vai ter que dá tempo filho. – disse Fábio saindo de casa.

Chegando ao teatro:

– Cheguei na hora princesa. – disse Fábio se sentando ao meu lado.

– Para falar a verdade você se atrasou meio minuto, mas vou deixar passar. – respondi. – Gui a Kelly esta lá embaixo com sua irmã. Logo-logo ela vai subir.

– Tudo bem mãe. – respondeu ele.

– Você nem sabe o que o seu filho disse hoje. – disse Fábio.

– O quê?

– Disse que a Kelly é namorada dele. Não acha melhor deixá-los namorarem Tati? – perguntou Fábio.

– Claro que não. Eles são muito novos, sem contar que Guilherme é ciumento demais para namorar. A Kelly ficaria louca! – exclamei.

– Será que a ciumenta não é você? Tem certeza que não esta com ciúmes das crianças? – perguntou Fábio.

– Depois a gente conversa agora a peça vai começar.

Depois da maravilhosa interpretação da Yasmim fomos comemorar em um restaurante.

Ah, acho que esqueci de contar que o Lucas está morando na agência.

No restaurante:

– Como foi à apresentação? – perguntou Yasmim.

– Foi ótima! – exclamou Kelly.

– Isso mesmo, você estava maravilhosa filha. – disse para ela.

– Magnífica! – concluiu Fábio.

– Que bom! Mas acho que vou ter que deixar o balé. – respondeu Yasmim.

– Mas por quê? – perguntei.

– Não está dando para ir aos ensaios mãe. Se eu não sair vão acabar me tirando. – respondeu ela tristemente.

– E os dois não falam nada? – perguntou Fábio para Guilherme e Lucas que estavam cochichando no canto.

– Já falei que te cubro quando precisar Yasmim. – respondeu Lucas.

– E pode contar comigo também maninha. – disse Guilherme.

E os dois voltaram a conversar.

– Esta vendo só mãe? É assim o dia inteiro. Esses dois nem ao menos olham para mim e para a Kelly. – disse Yasmim irritada.

– Isso é verdade. Quando eles estão juntos esquecem de nós. – respondeu Kelly.

– Calma meninas. Eles só estão… – mas Fábio achou melhor não concluir a frase e trocou de assunto. – Posso chamar o garçom? Já decidiram o que vão querer?

Mais tarde em particular descobri que Fábio iria falar que os meninos só estão tentando não ficar muito perto delas porque não iriam resistir e iriam querer beijá-las. Mas Fábio não podia falar isso, afinal, os quatro são muito novinhos, e Kelly é ainda mais nova que Yasmim, e só para vocês terem uma noção, Lucas é o mais velho dos quatro e tem 14 anos enquanto que Yasmim e Guilherme têm 12 (logo vão fazer treze) e Kelly tem apenas 11 anos.

Um pouquinho mais tarde:

– Meninos por que vocês não vão escolher uma sobremesa junto com a Tati no balcão? – perguntou Fábio.

– Tudo bem pai. – disse Guilherme levantando.

– Não seria melhor pedir a sobremesa daqui mesmo? – perguntei.

– Preciso falar com as meninas querida. – respondeu Fábio.

– Você sabe que não gosto quando me chama de querida. Lembro daquele idiota do Otávio. – respondi irritada saindo.

– Mulheres! – respondeu Fábio para si mesmo. – O que foi meninas? Estão chateadas com o Gui e o Lucas? – perguntou Fábio quando saímos.

– Você viu pai? Quando eles estão juntos esquecem de nós. Parece até que não existimos, mas quando estamos sozinhos parece até que somos princesas, nos tratam tão gentilmente. – respondeu Yasmim.

– Eles adoram vocês duas. Mas preferem se distanciar um pouco.

– Mas se distanciar por quê? – perguntou Kelly.

– Não posso contar. Eles é que têm que falar. Tentem conversar com eles, que vou tentar conversar com a Tatiana a respeito.

– Mas o que a mamãe tem haver com isso? – perguntou Yasmim.

– Nada que vocês precisem saber agora. – respondeu Fábio misteriosamente.

– Senhor Queiroz, somos agentes treinadas e podemos descobriu o que sua esposa tem haver com essa história toda. – respondeu Kelly tentando conseguir alguma informação.

– Muito bem querida, está falando como uma verdadeira agente da CMCC, porém trabalho nisso há mais tempo que vocês. Consigo enganar duas garotinhas com muita facilidade. – disse Fábio rindo.

– Eu falei para você nunca subestimar meus pais. – disse Yasmim parecendo aborrecida.

Um pouco mais tarde voltamos para casa, e Kelly e Lucas foram dormir lá, claro que Lucas com Guilherme (que agora os dois eram inseparáveis) e Kelly com Yasmim. Enquanto os quatro trocavam de roupa Fábio veio conversar comigo novamente:

– Tati, quando vai deixá-los namorar? – perguntou Fábio.

– Yasmim é muito nova.

– Como você diz que o Guilherme pode e a Yasmim não? Eles têm a mesma idade. – respondeu Fábio inconformado.

– Para uma menina começar a namorar com 12 anos é muito novinha, mas para um menino não, e sem contar que Kelly tem só 11 anos.

– Princesa! Eles se gostam, e as meninas estão ficando chateadas com os dois.

– E o que eu tenho haver com isso? – perguntei.

– Desde quando você falou com o Lucas e com o Guilherme eles se afastaram um pouco das duas. – disse Fábio.

– Mas eu não falei nada de mais para eles Fá. – respondeu inconformada.

– Só disse que não quer que eles namorem agora, que era para eles darem um tempo.

– Foi isso mesmo que eu disse. – respondei sem entender.

– Então princesa. É justamente isso. Para que elas não percebam que eles gostam delas, eles se afastam. Tati, quantas vezes já te pedi para pensar melhor? Sei que eles são novinhos, mas não vai conseguir separá-los por muito tempo. E é melhor que saibamos de tudo para orientá-los quando necessário. – disse Fábio um pouco tenso.

– Não! Concordo com você, mas não vou deixá-los namorar. São novos demais. – respondi irritada.

– Tatiana! – disse Fábio nervoso.

– Fábio! – retruquei ainda mais nervosa. – Não quero mais conversar sobre esse assunto.

– Nós dois temos que educar nossos filhos. – gritou Fábio enquanto eu subia as escadas.

– E é o que estamos fazendo. – gritei de volta.

– Não estamos. Você é que está fazendo isso sozinha.

E depois disso fui para meu quarto batendo a porta enquanto Fábio continuava a falar.

As crianças escutaram a briga e Yasmim ficou preocupada e foi para o quarto do irmão. Naquela hora até esqueceu que Lucas estava lá e foi para o quarto do lado de camiseta e calcinha, ainda bem que a camiseta era enorme, afinal a camiseta era do irmão.

– Gui! – disse Yasmim entrando correndo no quarto e abraçando o irmão.

– Calma Yasmim, eles já pararam de brigar. – disse Guilherme calmo e paciente abraçando a irmã.

– Por que eles estavam brigando? – perguntou Yasmim ainda sem soltar o irmão.

– Não sei. Mas se você quiser posso falar com eles, enquanto que você coloca uma roupa. – disse ele enrolando Yasmim no roupão dele.

Foi quando Yasmim percebeu que estava quase sem roupa e que Lucas estava do lado:

– Lucas! Ai meu Deus! Daqui a pouco eu volto. – disse Yasmim correndo para o seu quarto.

Guilherme olhou estranhamente para o amigo, e este logo percebeu que Guilherme estava com ciúmes da irmã.

– Não vi nada. Eu nem olhei para ela. – disse Lucas apressadamente.

– Ótimo. – disse para Lucas. – Kelly, meu amor tente fazer Yasmim colocar uma roupa que logo vou lá.

– Tudo bem Gui. – disse a menina se virando para voltar para perto da amiga.

– Ah, o que meu pai queria com você aquela hora no restaurante? – perguntou Guilherme.

Kelly corou levemente, desviou o olhar de Guilherme e respondeu:

– Nada demais. Só que Yasmim estava com ciúmes de vocês dois.

– Só a Yasmim esta com ciúmes Kelly? – perguntou Lucas.

Kelly não respondeu, apenas voltou para o quarto junto com Yasmim.

– Vou falar com meu pai e já volto Lucas. – disse Guilherme saindo.

Na sala minutos depois:

– Yasmim ficou preocupada dessa vez pai. – disse Guilherme.

– Acho que acabamos nos exaltando. – disse Fábio.

– Já é terceira vez esta semana. Vocês nunca brigam, mas ultimamente não param de brigar. É pelo motivo que estou pensando?

– Não sei a que se refere filho. – mentiu Fábio.

– Você falou para as meninas por que nos afastamos delas? – perguntou Guilherme sem rodeios.

– Não. Só disse para elas não se chatearem. – respondeu Fábio. – O problema foi quando fui falar com a sua mãe. Ela está com ciúmes de vocês, por isso é que não permite que namorem.

– Eu já percebi pai. E já conversei com Lucas. Ele aceitou esperar para poder chegar perto da Yasmim.

– E você não se incomoda do Lucas gostar da sua irmã? – perguntou Fábio curioso.

– Me incomodava pai, mas Lucas é legal e sei que gosta de verdade da minha irmã, e eu já disse que se ela chorar por causa dele eu vou quebrar a cara dele. – respondeu Guilherme naturalmente.

– Que bom filho! – respondeu Fábio rindo.

– Pai, você tem que conversar com a mamãe e não brigar com ela. Sei como é ter ciúmes. Sei como ela deve estar se sentindo, mas não precisa ter pressa. Logo ela se acostuma com a idéia. – respondeu Guilherme.

– Tem razão filho! Se você que não deixava sua irmã nem ao menos conversar com garotos agora aceita que ela namore, então sua mãe logo pára de encrencar. Só peço que vocês tenham paciência, e tentem não deixar as meninas tão de lado. – respondeu Fábio levantando do sofá.

– Você sabe porque fazemos isso. É difícil para nós saber que elas gostam de nós e nós delas e não podemos demonstrar para elas. E tentar fazê-las não perceber, para que não fiquem chateadas. – respondeu Guilherme pensativo.

– Eu sei muito bem como é filho. Mas você pode conversar com a sua irmã, e então ela falará com Kelly. – respondeu Fábio já subindo as escadas.

No meu quarto:

– Tati! – chamou Fábio.

– Veio brigar mais comigo? – perguntei.

– Não princesa. Eu vim conversar com você para podermos entrar em um acordo.

– Fala! – respondi sem olhá-lo.

– Te prometo que não vou tocar no assunto, mas pensa no caso… Eles se gostam de verdade. Pensa que poderia ser conosco. Imagine como iríamos sofrer se quisessem nos separar desse jeito.

– Não quero separá-los. – respondi me sentindo um pouco mal com a situação.

– Sei que não quis, mas é o que acabou fazendo. Até mesmo o Henrique pode te confirmar que eles estão sofrendo muito com isso.

– Mas… Meus filhos Fá! Minha menininha nos braços de um garoto. – respondi quase chorando.

– Sua menininha vive nos braços do irmão e você não acha ruim.

– Mas é diferente. Guilherme não quer beijá-la. – respondi.

– Vamos fazer assim… Deixa esse seu ciúme todo para mim, e deixa que o Guilherme tenha ciúmes da Yasmim. – disse Fábio rindo e me abraçando.

– Guilherme não vai mais querer saber da Yasmim depois que começar a namorar a Kelly. – respondi.

Próxima Parte


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.

Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.