O diário de uma agente 2 – Parte X


Anteriormente:

Quando Otávio voltou já era de manhã

– Então meu anjo? Vai me contar o seu segredo? – perguntou ele todo esperançoso me observando.

– A Thaís esta ai? – perguntei.

– Não. Esperei ela sair para podermos nos amar em paz. Ou já esqueceu o nosso beijo?

– Não esqueci. – respondi sem olhá-lo.

Parte X

– Não se preocupe não vou contar seu segredo para ela. Ela vai querer usar contra você. Não vou deixar ela te machucar.  – disse ele trancando a porta.

– Já estou machucada. Estou com malária.

– Mas eu estou com o antídoto. É só me contar o que você tem e nem adianta mentir. Quando você menti o computador avisa. É que eu estou controlando seus batimentos cardíacos.  Agora me conte. O que você tem? – pediu.

– Eu estou grávida. – respondi ainda sem olhá-lo.

– Então precisa tomar logo isso aqui. – disse ele colocando o antídoto na minha mão. Essa sua doença pode prejudicar o bebê. E você também precisa se alimentar. Se não o nosso filho pode não sobreviver.

– Nosso filho? – perguntei após tomar o antídoto.

– Claro. Vamos nos casar e eu vou criá-lo. Mas vou trazer uma cama de verdade para você. Não precisa ficar ansiosa com o nosso beijo. Logo – logo eu volto para darmos o nosso primeiro beijo de amor.  – disse Otávio me acorrentando novamente.

Eu precisava ganhar a confiança dele até ele tirar aquelas correntes para que eu possa fugir. Eu teria que ser muito cautelosa.  . ndidos, dificultando um pouco o trabalho dos agentes.

Durante algum tempo fiquei na mesma: presa na CMCC, ou melhor, raptada. Às vezes eu escutava alguma conversa do Otávio e da Thaís, o que me ajudava a ficar mais informada, mesmo que pouco, afinal sempre a melhor parte, o assunto mais interessante eu não conseguia escutar.

Já tinha se passado quase um mês e graças a Deus eu não tive enjôos, mas a Thaís já estava um pouco desconfiada da minha gravidez, um dia ela chegou fazendo insinuações:

– Isso é engraçado, não é Tatiana? – perguntou Thaís

– Isso o que? – perguntei sem levantar a cabeça, e irritada.

– Você estar engordando. Essa sua roupinha era muito coladinha e por incrível que pareça a cada dia que passa ela esta melhor. Pensei que você emagrecerei não comendo direito.

– Você nunca ouviu falar que o organismo guarda alimento quando vê que vai precisar? – perguntei tentando ser direta e parecer que ela não sabia.

– Já ouvi falar. Mas isso mesmo assim esta estranho. Até mesmo o Otávio deixou nosso filho de lado para cuidar de você. E por falar nisso… Como anda seu namoro com o Otávio?

– Que namoro sua tonta? EU sou casada. E alias muito bem casada. Coisa que você nunca será. – respondi olhando fixamente em seus olhos.

– Parabéns Tatiana. Apesar de tudo você ainda continua achando que vai sair daqui casada com o Fábio. Sabe, eu fiz uma proposta para ele, você ou os filhos, mas infelizmente ele ainda não decidiu se casa comigo e liberta os dois, ou melhor os três, ou se perde os filhos e eu solto você.

– Nós três? – perguntei surpresa penando que ela já soubesse do bebe.

– Esta tanto tempo aqui que nem mais lembra que tem dois filhos? Nunca pensei que a melhor policial que conheço seria assim. Só se você não for tão boa como todos acham. Afinal já atirei em você e você não morreu por milagre do anjinho Gabriel. –disse alegremente Thaís.

– Como sabe do Gabriel? – perguntei.

– Que Gabriel você acha que estou falando? Estou falando do arcanjo Gabriel. Afinal você e sua família são católicos, ou não? Católicos acreditam em anjos, arcanjos e querubins. – disse Thaís pensativa.

Por alguns segundos parecia que Thaís havia me esquecido, mas logo ela voltou a si:

– Deixei de moleza. Eu vim aqui para perguntar: qual a senha do computador da agencia?

– Nunca vou te contar.

Mas nossa hora o Otávio chegou:

– Descobriu a senha? – perguntou ele.

– Não. Dificilmente vou conseguir me aproximar dos robôs. – disse Thaís.

– E para que você quer os robôs? – perguntei.

– Para poder pegar a única tecnologia restante no mundo e usa-la a nosso favor. Afinal você teve a infeliz idéia de destruir as máquinas e os robôs e tudo que era moderno. Sabia que aquilo nos ajudava muito? – perguntou Otávio saindo para a outra sala.

Alguns dias depois escutei uma voz familiar. Era o Marcos. Mas não na agencia. Ele estava na internet com a Thaís, e ambos estavam no viva –voz para o Otávio também escutar a conversa:

– E como esta os nossos planos? – perguntou Thaís

– Perfeito. O Fábio colocou o mundo inteiro atrás da Tatiana assim  como você disse. – respondeu Marcos.

– E o Fábio? Já apareceu ai? – perguntou Otávio.

– Já. Ele veio procurar a princesinha dele, a querida Rouxinol, a Ro. – disse ele rindo.

– E o Henrique? – perguntou Thaís.

– O Antônio esta cuidando dele. Ele esta fazendo o Henrique ir à pista errada. Logo-logo o Henrique estará perdido por ai, junto com o Cristofer, um policial metidinho, que foi com ele atrás da Tatiana. –respondeu Marcos.

– E a recompensa? Aumentou o valor? – perguntou Otávio.

– Aumentou cerca de 5 mil na última semana.

– E a Pâmela, esta mentindo com relação aos gêmeos? Ela esta conseguindo enganar o Fábio falando que esta tudo bem com as crianças? – perguntou Thaís.

– Até agora o plano esta quase perfeito.

– O que deu errado? – perguntou Otávio.

– E Pâmela Suzuki esta tentando seduzir o Fábio. E acho melhor não contrária-la. Ela pode nos entregar. – disse Marcos.

– Faz o Carlos sair da prissão estou precisando dele. – disse Thais furiosa.

– Não vai dar. A segurança esta toda em cima do Carlos na cadeia, tentando faze-lo confessar, mas não vão conseguir, por que afinal temos os filhos do Fábio. – respondeu Marcos.

– E meu filho? – perguntou Thaís.

– Esta bem. Foi atrás da Yasmim falando que iria ajudá-la, que finalmente conseguiu entrar para a agencia. Quem sabe ele consiga fazer os irmãos brigarem. – disse Marcos.

– E quando vão trazer o Guilherme para cá?

Isso foi tudo que eu escutei naquele dia.

As coisas ainda não estavam muito nítidas para mim, mas eu sabia que logo eu poderia saber algo mais, e isso teria que ser logo. Afinal Thaís logo descobriria a minha gravidez.

Algumas semanas depois uma voz familiar, mas que eu não reconheci estava conversando com Thaís e Otávio:

– E os gêmeos? – perguntou Thaís.

– Yasmim não desgruda do irmão. Parece que foi um conselho da mãe. Já falei para ela vir comigo.

– Você já seduziu a garotinha? – perguntou Otávio.

– Claro que não. Aquele irmão dela não dá um tempo. Fica o tempo todo no meu pé. – respondeu o desconhecido.

– Não é difícil convencer uma menininha mimada e bobinha de sair com você. – disse Thaís. – Seja mais rápido filho. Você tem pouco tempo. Já faz quase três meses que a Tatiana esta aqui. – Já sei! Você pode levar um pouco de sangue de Tatiana para a Yasmim e falar que achou, e falar que vai mostrar onde é. Ela vai i vir com certeza.

– Então volto mais tarde. Não posso demorar. Ah e antes que eu esqueça, uma tal de Sandra, acho que é mulher do Henrique Purpuse, esta treinando para ir atrás dos gêmeos. E uma tal de Patrícia, acho que mãe da Tatiana morreu faz uns dois dias, teve um ataque cardíaco por causa da filha.

Isso foi o bastante para mim. Comecei a tentar me soltar de qualquer jeito. De tanto que eu tentei durante esses meses me soltar, arrebentar a corrente, meus pulsos estavam cortados, sangravam a todo o momento. Tive febre alta, várias vezes, eu apanhava da Thaís e até mesmo do Otávio. Há essa altura eu já estava todo acabada, com a boca cortada, e com várias feridas abertas, para vocês terem uma noção eu tinha até queimaduras pelo corpo de quando o Otávio tentou abusar de mim e eu mordi ele.

Uma semana depois da morte da minha mãe minhas febres voltaram, acho que por causa do bebe, afinal eu quase não comia, e fazia muito esforço para sair de lá, sem contar o aborrecimento que eu passava todos os dias. Em um desses dias Thaís percebeu as minhas febres:

– Que estranho! Você parece grávida, esta com o corpo de grávida, mas não apresenta os sintomas de grávida. – disse ela pensativa.

– Quem sabe quando você me soltar daqui eu não arrebente a sua cara e os meus sintomas passem para você?

– Você esta péssima Tatiana. Mesmo se eu te soltasse você não tem forças para ganhar de mim nem mesmo em uma briga limpa. Você só chagaria perto de escapar com uma arma na mão. Isso se conseguisse segurar com firmeza, coisa que você não esta fazendo nem mesmo com a colher, para comer.

– Me solta daqui! Não esta vendo que vai me matar? – perguntei.

– Realmente tenho que pensar nisso. Se eu te matar nunca vou conseguir me casar com o Fábio. – respondeu ela. – Mas pensando bem… Eu tenho os seus filhos, que até onde eu sei são filhos do Fábio também… Então não preciso de você, mas infelizmente o Otávio ama você. Não sei o que ele viu em você, mas isso não me importa.

Depois que a Thaís saiu o Otávio entrou:

– Como vai meu anjo? Melhorou da febre?

– Me tira daqui Otávio. – supliquei.

– Se case comigo antes. – disse ele.

– Eu posso perder o filho. – respondi chorando.

– Não se preocupe. Posso fazer você engravidar novamente. Que tal agente já ir treinando? – disse ele me agarrando e tirando a camisa.

– Sai de cima de mim! – gritei. – Cadê os meus filhos? Onde estão os meus filhos?

– Eles estão perdidos no deserto. E o patético do seu irmão foi atrás deles junto com um policial. – respondeu sem me soltar.

– Me solta! Sai daqui! Tira as suas mãos imundas de cima de mim! – eu gritava e chorava enquanto ele tirava a minha blusa.

– Calma meu amor. Não vai doer. Você faz o que eu quero e eu te conto da sua família. É uma troca justa. – respondeu ele sem parar de beijar o meu pescoço.

Quando ele veio com aquela boca asquerosa perto da minha, eu guspi na cara dele, fazendo ele me dar um tapa na cara.

– Algum dia eu perco as esperanças vai à força mesmo, pois é assim que cachorra, piranha e vagabunda gosta de ser tratada! – gritava ele apertando ferozmente meu rosto. – Eu estou cansando de você Tatiana. Acho melhor você ficar boazinha comigo. Não se esqueça que você esta amarrada, e depende de mim até mesmo para comer. E que eu sou o único que pode te soltar daqui. Só peço que para isso você me ame. É pedir de mais? – perguntava ele inconformado.

– Eu nunca vou te amar e nunca te amei. Teu um ótimo marido e amante. Não preciso de você.

– Você vai se arrepender.

Um dia Thaís fez questão de me “soltar” e me levar até a outra sala para assistir televisão. (Ela não me soltou. Eu ainda estava acorrentada, mas desta vez não mais da parede e sim no Otávio e é claro que eu nem conseguia andar então ele me levou no colo até a outra sala). Naquela hora eu tive esperança de alguém me achar, afinal o campo magnético tinha ficado para trás e eles poderiam ver a minha localização no computador de casa, através de um sensor que eu tenho no dente.

Thaís me deixou enfrente a televisão. E começou com o discurso chato dela:

– Vou te mostrar a coisa mais impressionante do mundo Tatiana. Preste muita atenção na reportagem.

E ela ligou a televisão, onde um repórter dava a noticia. Algo como o jornal nacional.

– E agora novidades de seqüestro de Tatiana Purpuse Queiroz, a dona da CMCC.  – disse um dos reportes ancoras. – Agora John Guiol fala diretamente da casa de Fábio Queiroz. É com você John.

– Boa noite! Estamos aqui na residência do marido de Tatiana. Senhor Queiroz o senhor acha que sua esposa ainda esta viva? – perguntou o repórter.

– Eu tenho certeza que sim. Conheço muito bem os bandidos que a seqüestraram, e ela esta viva, e provavelmente vendo esta reportagem.

– Se o senhor sabe de tudo isso, então como depois de 128 dias que sua esposa foi seqüestrada os seus agentes não conseguiram encontrá-la?

– É que Thaís Araújo e Otávio Weting são muito espertos para qualquer agente. – respondeu Fábio que parecia muito abatido.

– E não seria o caso do senhor mesmo ir atrás de sua esposa? – perguntou o repórter.

– Não posso. Todos estão sabendo do caso dos meus filhos, que por alguma quebra na segurança foram mandados propositalmente para o deserto e estão perdidos, e não temos contato faz mais de 100 dias.

– Então o senhor optou pela vida dos seus filhos do que da sua esposa? – deduziu o repórter.

– Não. Só que Tatiana sabe se cuidar muito bem. E meus filhos são crianças.

– O senhor acha que Tatiana apesar da doença esta bem?

– Tatiana não esta doente. Só esta… – mas Fábio parou de falar.

– Ela tem o que senhor? Ela só esta…?

– Nada. Tatiana não gostaria que eu falasse. E como sei que ela esta assistindo quero que ela escute bem: Amor, seja forte, estou fazendo o possível pelos quatro. E nossos filhos estão bem apesar de tudo, não se preocupe, eles levaram algumas RACHs. E seu irmão esta atrás deles. E aconteça o que acontecer eu você amo! Não esquece, por que eu vou tirar você daí. – respondeu Fábio quase chorando.

– Bonitas palavras senhor Fábio, mas o senhor acha que isso pode ajudá-lo em que? – perguntou o repórter intrigado.

– Convoquei os senhores reportes para divulgar o meu afastamento da agencia.

– Esse foi alguma exigência doa seqüestradores?

– Informação de mais para a imprensa. – respondeu Fábio voltando a entrar em casa.

– Senhor Fábio espere!           Queremos saber como anda o caso? Se a agencia já tem alguma pista para encontrar Tatiana…

Mas Fábio entrou sem nem mesmo escutar o resto da frase.

– E esse foi o depoimento de Fábio Queiroz, atual dono da nossa querida CMCC.

Então de volta aos estúdios:

– Isso é realmente impressionante. O mundo inteiro acompanha o caso de Tatiana de perto. Recebemos muitos telefonemas diariamente de pessoas querendo saber sobre o caso, por que afinal este é o primeiro crime sem solução da história da CMCC, nos últimos 50 anos. Sabe-se que o preso maior para um caso na CMCC chegou a um mês, tirando o caso da CMFC, que hoje encontramos em vídeos, de como Tatiana e Fáideos, de como Tatiana e F que hoje econtramos em ou a um mesemanasobre o caso, por que afinal este el ra o deserto e estbio Queiroz acabaram com a Corporação Mundial a Favor do Crime…

E Thaís desligou.

Fabio na televisão parecia que não dormia a dias, estava pálido, com olheiras, e parecia ter emagrecido mais de cinco kilos, desde quando estive com ele.

– O que achou Tatiana? – perguntou Thaís.

– O que você espera que eu diga? – perguntei irônica.

– Realmente Fábio não esta em seus melhores dias! Esta um pouco abatido, mas logo passa. – disse Thaís olhando a televisão desligada como se estivesse pensando em alguma outra coisa.

– Para que pediu o afastamento dele? Isso não te ajudará em nada. – afirmei.

– Se você ainda não reparou estamos na CMCC, e as únicas pessoas que sabem desta sala é você, Fábio e Henrique, tirando os criminosos é claro. Henrique foi para o deserto. Você esta presa, e seu marido esta afastado. Ainda não entende por que pedi o afastamento do Fábio? – perguntou Thaís.

– Ninguém pode me encontrar aqui! – exclamei baixinho.

– Exatamente. Mas não se preocupe. Logo você terá companhia. – disse Otávio.

– Companhia? – perguntei desconfiada.

– Logo saberá. – disse Thaís me levando para o quarto.

Fiquei preocupada com o que Thaís quis dizer com: “logo vai ter companhia”.

Fiquei pensando na fisionomia abatida do Fábio, e que Thaís já tinha certeza da minha gravidez, afinal eu já estava de 5 meses, e cada dia eu ficava pior. O bebe apesar de tudo raramente chutava, mas minha gravidez estava muito estranha.

Depois de mais ou menos duas semanas Thaís voltou para uma noticia que eu realmente só não cai para trás porque estava amarrada:

– Bom dia Tatiana! – disse ela entrando sorridente.

– Só se for para você. – respondi friamente.

– Pare de mal humor. Tenho uma boa noticia para você.

– O que foi agora? – perguntei.

– Já que o seu divorcio com o Fábio sai daqui a cinco dias, e você vai se casar com o Otávio, e melhorei a sua felicidade.

Eu fui forçada, assim como o Fábio – acredito eu – a assinar o divorcio.

– O que você quer dizer com isso? – perguntei.

– Já o Otávio quer se casar com você daqui seis dias, eu pensei em me casar com o Fábio daqui a cinco dias.

– O que? – perguntei incrédula quase gritando. Na verdade só não gritei por que não tinha voz.

– Bem… Se eu me casar com o Fábio depois de você ele não vai querer se casar… Então me caso um dia antes. Não é a melhor noticia que você escutou nos últimos tempos. Tirando a sua gravidez, é claro. – disse ela risonha e irônica.

– Você não ama o Fábio. Para que quer estragar a vida dele? – perguntei já me contendo para não chorar.

– Simples querida. Eu quero o dinheiro que ele tem. Eu iria me casar com o Henrique, afinal ele era o herdeiro, mas como ele renunciou e deu mais da metade da herança para você e como você e Fábio são casados em comunhão de bens…

– Você não presta. – respondi.

– Eu sei. E é bom! Eu já nem tenho mais consciência pesada.

– E você Otávio? O que ganha com tudo isso? – perguntei.

– Você meu anjo.

– E vocês acham que não vão prender vocês antes disso? – perguntei.

– Nem antes nem depois. – disse Otávio.

– Nem se preocupe. Daqui dois dias vou ter uma surpresa para você. – respondeu Thaís inocentemente. – Agora tenho que ir comprar as coisas para o casamento.

Depois que ela saiu o Otávio ficou no quarto comigo:

– Como se sente meu anjo? – perguntou.

– Me deixa em paz.

– Você esta um pouco agressiva hoje. Pense no bebe. Você não pode ficar nervosa, ou ele pode nascer com algum problema. – dizia Otávio passando a mão na minha barriga, enquanto eu tentava faze-lo parar.

– Já fez o que queria. Já acabou com o pouco de esperança e felicidade que me restava. Sai! – pedi já em lágrimas.

– Não fique assim meu amor. Posso fazer alguma coisa para ajudá-la? – perguntou Otávio gentilmente.

– Me solta daqui. Deixe-me ir ao médico, ir para casa. Ver meus filhos e marido.

– Fábio não é seu marido mais. Agora eu vou me casar com você, e não vai ser daqui seis dias. Vai ser depois de amanhã. Quero me casar antes da Thaís. Acho que o Fábio vai aprontar alguma. E você estando casada comigo ele não poderá fazer nada contra mim. – dizia Otávio pensativo e feliz.

– Você não presta! Eu te odeio! Sai daqui! Deixe sozinha! – gritava com as poucas forças que me restavam.

– Só por isso hoje você não vai comer meu anjinho, só vai comer alguma coisa quando me pedir desculpas dizendo que me ama. Enquanto isso fique sozinha. Fique se preparando para a nossa lua de mel. – disse saindo do quarto alegremente.

Agora eu só tinha mais três dias para conseguir sair da agencia e salvar Fábio e os gêmeos, que até então eu estava tentando acreditar no Fábio, acreditar que eles estavam bem. E eu estava até preocupada com o Henrique que fazia mais de 20 anos que não ia para uma missão, e de repente parte para o deserto. Imagino como minha mãe deve estar se sentindo.

Quase não dormi a noite com dores na barriga e de preocupação.

Restavam apenas dois dias para o meu casamento, e para a minha incrível surpresa quando consegui dormir um pouco eu acordo assustada com gritos e muitas vozes vindas da outra sala:

– Fique quietinha. – disse uma voz desconhecida.

E eu ouvia grunhidos, como se alguém estivesse impedido de falar.

– Bom trabalho filho. – disse Thaís.

– Esta de parabéns! Esse é o meu filho. – disse Otávio.

Parte Anterior
Próxima Parte


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.

Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.