Lembranças de uma guerra Cap 4 7


No cap anterior:

– Quem esta aí? Sirius? Lil? – perguntou a Kely de repente. Acho que escutou quando fechei a porta.

Não respondi. Fiquei ali observando suas curvas tão atraentes. Curvas que há muito tempo eu queria ter entre os dedos, mas não estava tendo chances.

Foi quando tive uma idéia genial. Por que não tomar banho junto com a minha noivinha?

– Tem alguém aí? – escutei a Kely perguntando mais uma vez enquanto tirava o xampu do cabelo.

Tirei toda a roupa e antes que ela desse conta já estava a abraçando pela cintura debaixo do chuveiro.

Amigos reunidos part I

– Posso tomar banho com você? – perguntei em um sussurro em seu ouvido.
– Não sei não… Eu sou uma mulher comprometida. Meu noivo não vai gostar de te ver aqui. – ela respondeu depois de me dar um leve beijo.
– Não se preocupe eu dou um jeito nele. Adoro mulheres comprometidas… Elas são mais fogosas. – eu respondi sorrindo maroto.
– Sirius! – ela brigou… Acho que por que eu falei que ela era fogosa, mas não dei importância. Só não a deixei falar mais nada e capturei seus lábios.
Ficamos naquele banho até escutarmos o Tiago reclamando:

– Não acham que já aproveitaram de mais não? Vocês têm visitas!
– Pelo visto eles estão com fome. – respondeu a Kely desligando o chuveiro.

Primeira vez em meses que conseguimos ficar juntos e o Pontas tinha que atrapalhar? Só por que ele consegue às vezes dar uns amassos na ruiva e eu não? Isso não é nada justo.

– Deixa eles para lá. Vamos aproveitar! – eu disse já ligando o chuveiro novamente.

Temos que treinar para termos os nossos futuros filhos. De preferência uma menina para namorar com o Harry.

E olha eu pensando em filhos novamente… Acho que comi alguma coisa que não me fez bem…

– Temos que descer Six. De noite namoramos mais um pouco. – me disse a minha loirinha desligando o chuveiro depois de me dar uma mordida no pescoço.
– Me mordendo desse jeito nós não vamos sair daqui tão cedo. – brinquei sorrindo malicioso para aquele corpo perfeito.
– Vem… – ela me disse me entregando uma toalha para me secar.

Infelizmente coloquei uma roupa e fui ver o que o Pontas tanto perturbava lá da sala.

– Aconteceu alguma coisa para você me tirar daquele chuveiro?
– Aconteceu! – ele me disse segurando o riso. – Eu queria saber onde é a cozinha. – ele brincou.

Fiquei muito irritado com esse infeliz do Pontas… Tirou-me do banheiro à toa… Só para ter o prazer de me atrapalhar.

Ficamos correndo em círculos pela sala por alguns minutos, eu correndo atrás dele. O engraçado disso tudo era que a Lily e o Harry só ficavam olhando para nós dando risadas.

Mas como eu tenho um marotinho como afilhado ele não poderia ver aquela correria e ficar quieto. O espertinho do Harry tratou de colocar um pomo de outro dele bem no meio do caminho.

O resultado tudo mundo já deve saber, eu escorreguei e me segurei no Pontas para não cair, o problema é que o Pontas se segurou na Kely que estava no ultimo degrau da escada, resultado: kely caiu de bunda na escada, o Tiago saiu escorregando em um tapete e foi parar em algum lugar na cozinha, eu que estava segurando no Pontas acabei voando para cima da bancada, resultado: eu com a cabeça amassada por bater nas panelas. Sorte que eram panelas vazias.

Depois que nos recuperamos do susto e voltamos para a sala encontramos uma Lily descabelada e vermelha. Até lágrimas nos olhos ela tinha, isso mesmo Lily Potter estava se acabando de rir da nossa desgraça.

– Até que às vezes eu gosto de ter um filho maroto. – ela disse quando conseguiu parar de rir.
– O problema é que as vezes eu é que não gosto de ter um filho maroto. – respondeu o Tiago massageando o peito.
– Coitado do meu maridinho… Harry o papai de machucou… – dizia a Lil ainda rindo.
– Harry fala para a sua mãe me fazer uma boa massagem e parar de rir do papai. – pediu o Tiago deitando no colo da Lily.
– Sai! – gritou o Harry empurrando o Tiago para longe da Lily.
– Ei! Ela é mais minha do que sua. – reclamou o Tiago com um bico.
– Parece que eles voltaram para o tempo de escola, o problema é que agora temos dois Tiago. – brincou a Kely rindo do meu lado.
– Atrapalho? – escutamos uma voz familiar vindo de perto da lareira.
– Aluado! – eu disse feliz da vida quando vi meu amigo lobisomen parado ao lado da lareira.
– O que houve com ele? – perguntou o Aluado depois de me dar um abraço.

Eu sei que abraços é coisa de gay, mas foi ele que me agarrou!

– O Harry não quer dividir a Lily com o Tiago. – explicou a Kely sorridente depois de também abraçar o Remo.
– Venho que nada mudou na minha ausência. – brincou o Aluado sorrindo.
– Que saudades Remo. – disse a Lily abraçando o Aluado empolgada.
– Cuidado Pontas ela se empolgou de mais. – brinquei.
– O Harry protege meu patrimônio. – ele respondeu pelo canto da boca.

Fiquei olhando para a Lily e para o Remo para entender o que o Tiago quis dizer com aquilo, e logo vi o Harry empurrando o Remo para longe da Lily.

– Mamãe! – ele disse feliz.
– Vamos dizer que o Harry é mais ciumento que o próprio pai. – explicou a Lily depois de se afastar do Remo.
– Não vai dar um abraço no tio Remo, Harry? – perguntou o Remo se aproximando do Harry.
– Remuuu! – ele disse sorrindo quando o Remos fez cócegas nele.
– Com o tempo ele aprende que é Aluado. – brincou o Tiago cumprimentando o Remo.
– Mas cadê o Pedro? – perguntou o Remo assim que nos sentamos.
– Deve estar chegando. – respondi dando de ombros.
– E a comida? – perguntou o Tiago imitando o Pedro.
– Alguém vai precisar me ajudar na cozinha. – escutei a Kely falando e eu fingui estar concentrado nos peixes no aquário.
– Não vai ajudar cachorrinho? – me perguntou a minha querida noiva.
– Já falei que só pode me chamar assim quando estamos sozinhos. – brinquei dando um selinho nela.
– Ou em uma cama. – completou o Pontas.
– Você não pode falar muito não senhor Potter. – escutei o Remo zoando o Tiago também.
– E como você sabe como a Lily me chama? – perguntou um Tiago emburrado.

Vi a Lily se afastando e deixando o Harry estrategicamente na frente do Tiago. Essa ruivinha é bem esperta.

– A Lily comentou com a sua mãe, que comentou com o seu pai que comentou comigo. – respondeu o Remo sem importância.
– Lily Potter! – o Tiago disse vermelho.
– Só eu que não sei qual o apelido do Pontas? – perguntei curioso.
– Sua mãe que espalhou! – se defendeu a Lily.
– Eu quero saber o apelido! – briguei.
– Pensei que gostasse quando eu te chamo de Bebezinho. – falou a Lily prendendo o riso e apertando a bochecha do Pontas.

Bebezinho? Não entendi.

– Não entendi o porquê do bebê. – informei.
– Por que ela fala que eu preciso de mais atenção do que o Harry. – comentou o Tiago vermelho.
– Uau! Tiago Potter corado! – brincou a Kely. – E mentiroso! A Lily me disse outra coisa.
– Melhor pularmos os detalhes sórdidos. Então… O Sirius não iria ajudar na cozinha?

Que detalhes sórdidos? Agora fiquei ainda mais curioso.

– Que detalhes? – perguntei curioso e tentando fazer o assunto sair da cozinha.
– Detalhes que não são da sua conta seu cachorro. – respondeu o Tiago irritado. – Almofadinhas você não iria ajudar a Kely na cozinha?

E o assunto volta para a cozinha.

– Eu sou péssimo na cozinha e isso é um fato. – respondi emburrado.

Odeio ter que admitir um defeito. Defeito que pode virar uma qualidade com prática por isso eu ainda continuo sendo o cara mais perfeito do mundo. E isso também é um fato.

– Vamos Lily… Aí te ensino alguma coisa. – a Kely pediu.

Duvido que a Lily vá. Ela nunca cozinha. A única coisa que eu vi ela fazendo é ovo frito e um tal miojo, que é só colocar água e não esquecer no fogo.

– Eu acho melhor a Lily não ir para a cozinha. – brinquei.
– Concordo plenamente. A ultima vez o Tiago teve que comer lasanha sem molho e mal cozida. Aquilo estava um horror! – admitiu a Lily fazendo uma careta e o Harry a acompanhando antes de se acabar de rir.
– Então você admite que aquilo estava horrível? Até que enfim! – reclamou o Tiago levantando as mãos para cima agradecendo.
– Por que todo esse agradecimento? – perguntou o Remo.
– Fiquei dormindo no sofá dois dias por que disse que a comida dela estava ruim. E olha que eu disse isso do jeito mais carinhoso possível. – ele se defendeu.
– Carinhoso? “Lily isso aqui esta horrível. Por que não pedimos uma pizza?” – disse a Lily imitando a voz do Tiago. – Estava ruim, mas não era para ter falado! – ela justificou. – Passei horas tentando fazer aquilo, até sua mãe foi me ajudar, mas perdeu a paciência. – respondeu ela dando de ombros.
– Ok! Lily esta dispensada da cozinha. – disse a Kely rindo.
– Manda o Tiago cozinhar logo. Ele é o único que cozinha aqui. Ele deve ter ganhado a Lily pela barriga. – brincou o Remo rindo.
– Ou por ser tão gostoso. – completou o ego do Tiago.
– Melhor terminarmos essa conversa lá fora ou o ego do meu marido irá destruir a casa.- brincou a Lily.
– Não se preocupe. O Sirius é assim e nunca conseguiu destruir nada a não ser a minha cama. – respondeu a Kely rindo.
– Isso era segredo nosso! – respondi emburrado.

Não era para ela ter espalhado assim. Aquilo foi pura coincidência.

Vou contar a história… Estava eu em um belo dia de sol, admirando a paisagem… Não acredito que vocês acreditaram..

Eu estava saindo do banho e a Kely estava me esperando na cama só com aquele camisola maravilhosamente sexy, eu como não sou bobo já fui logo pulando na cama e falando “Só um homem lindo como eu pode ter uma mulher assim só para mim” E pronto a cama quebrou no meio.

Ela quebrou por que eu pulei nela e não por que eu disse que era lindo.

– Acorda Six! – pediu a Lily balançando a mão na minha frente.
– Estava pensando no que? – me perguntou o Remo brincando com o Harry.
– No dia que quebrei a cama. – respondi dando de ombros. – Agora me dá meu afilhado. – eu disse puxando o Harry para mim.
– O senhor pulguento possessivo… O filho é meu! – me disse o Pontas puxando o Harry para ele.
– Eu nunca brinco com ele, então ele vai ficar comigo. – disse o Remo puxando o Harry para ele.

Ótimo! Somos três adultos brigando para ver quem vai ficar com o bebê.

Acho que não preciso dizer que não demorou muito para o Harry nos denunciar. Isso mesmo… O espertinho abriu o berreiro e fez o maior drama.

– Querem soltar o meu filho? Vocês não têm vergonha não? Homens desse tamanho brigando… Vocês pensam que o Harry é o que? Uma boneca para vocês ficarem puxando de um lado para o outro? – ela gritou.

Mesmo depois de anos a Lily ainda tem a mesma voz potente.

– Vamos meu filho… Deixe esses irresponsáveis para lá. – ela disse subindo com o Harry. – E Potter já para a cozinha. – ela disse antes de terminar de subir as escadas.

Vimos o Harry por cima do ombro da Lily e quando ele reparou que estávamos observando ele, ele mostrou a língua.

– Que menino desaforado. – reclamei.
– Puxou o pai. – completou o Tiago com um pequeno sorriso.
– Potter! – escutamos a Lily brigando.
– Já estou indo ruivinha. – ele disse antes de sair correndo para a cozinha.

Pelo menos alguém tem que por ordem nessa casa.

Fiquei conversando com o Remo enquanto a Lily dava um banho no Harry e o Tiago ajudava a Kely na cozinha, alias, acho que era a Kely que estava ajudando o Tiago.

– A comida ainda não esta pronta? Estou morrendo de fome. – comentou a Lily descendo com o Harry nos braços.
– Vai falar com o seu marido. È ele que esta enrolando. – eu disse dando de ombros.

Adoro arrumar briga com o Pontas e com a ruiva. É tão divertido os dois brigando…

Certo não teve briga nenhuma, eu cheguei à cozinha e eles estavam rindo.

– Pensei que vocês estariam brigando. – comentei sentando ao lado da Lily.
– Melhor não brigar por que a comida esta demorando… Da última vez ele me deixou com fome. – comentou a Lily revirando os olhos.
– É que infelizmente ainda não inventaram um jeito da comida ser instantânea. – comentou o Tiago rindo.
– Poderiam inventar um feitiço para isso. Seria muito bom. – comentou minha noiva.
– Por que vocês não vão arrumando a mesa? – perguntou o Tiago experimentando alguma coisa da panela.
– Não vou mais comer. Você fica colocando os seus germes na comida inteira. – reclamei.
– A Lily gosta dos meus germes. – brincou ele sorrindo maroto.
– Tiago! – ela reclamou ficando vermelha.
– Vou colocar a mesa. – disse o Remo já indo pegar as coisas no armário.
– Você cuida do Harry! Vou ajudar o Remo. – me disse a Lily indicando o Harry que estava em cima da mesa brincando com uma colher.
– Você vai mesmo deixar a sua esposa com o lobo selvagem? – perguntei para provocar o Pontas.
– Não tem problema. O Remo não agüenta o ritmo da Lily. – respondeu um Pontas muito malicioso.
– Eu ouvi isso Potter! – escutamos a voz da Lily abafada da sala de jantar.
– É tão bom ter todos os amigos reunidos em casa. Isso me lembra quando estávamos em Hogwarts. – comentou a Kely sonhadora.
– Eu me lembro muito bem… Tantos gritos da Lily, tantos tapas que o Tiago ganhou, tantas meninas que beijei… – comentei distraído.
– Tantos tapas que vai levar se não calar a boca! – comentou o Tiago rindo.

É… Falar sobre as ex-namoradas na frente da sua noiva não é nada legal.

Depois de levar três colheres na testa e mais alguns tapas na cabeça do Pontas deixei o Harry brincar com a vassourinha que dei para ele de presente.

– O melhor presente que ele já ganhou fui eu que dei. – eu disse orgulhoso vendo o pequenino tentando voar a mais ou menos meio metro do chão.
– Mas essa vassoura fui eu que dei. – me disse o Tiago parando do meu lado com a travessa da lasanha na mão e aquele avental horroroso.

Ele realmente parece uma mulherzinha vestido assim. Fica tão gay!

– Fui eu que dei a vassoura. – eu disse nervoso. – E bela roupa morena. – eu disse saindo rindo.
– Seu pulguento volte aqui! E fui eu que dei a vassoura. – ele saiu gritando pela casa e indo atrás de mim.
– Eu que dei! – eu disse nervoso.

Agora ele quer tirar o titulo de melhor presente da curta vida do Harry! Fui eu que dei a vassoura. Me lembro até do dia que comprei, da loja…

– Querem parar com isso! – brigou a Lily pegando a travessa de lasanha da mão do Tiago.
– Tirem a comida de perto dos dois antes que estrague. – escutamos a voz do Pedro vindo do vão da porta.
– Demorou Rabicho. – brinquei fingindo esquecer a briga pela vassoura.
– Não mudou nada. – disse a Kely indo abraçá-lo.
– Mas fui eu que dei a vassoura. – me disse o Tiago enquanto a Lily abraçava o Pedro.
– Nem vem quem idéias Pontas. Fui eu o pronto. – eu disse irritado.
– Ainda não pararam? – perguntou a Kely chegando com a mistura.
– Quem afinal comprou a bendita vassoura? – perguntou o Remo sentado na cadeira.
– Que vassoura? – perguntou o Pedro desinformado.

É… Ele não mudou nada!

– Cadê o Harry? – perguntou a Lily de repente.

Nos olhamos preocupados, mas nada do bebê.

– Que vassoura? – perguntou o Pedro enquanto todos nós corríamos para a cozinha.
– Harry Potter se afaste desse fogão. – escutamos a Lily gritando nervosa.
– Parece que o espertinho aproveitou para bisbilhotar. – comentou o Pedro rindo.

Vi o Harry olhando com uma cara de cervo abandonado para a Lily, mas ela nem ligou.

– São as más influencias… – ela disse para si mesma.
– Ei! – dissemos todos nós juntos.
– Estou falando do pai e do padrinho. – respondeu a Lily.
– Ei! – dissemos eu e o Tiago revoltados.
– Por que eu não fui ter um filho nerd? – ela perguntou tirando a vassourinha de perto do Harry que começou a chorar.
– Por que se não ele não seria o meu filho. – comentou o Tiago abraçando a ruiva pela cintura.
– Façam ele parara de gritar! – pediu o Pedro com as mãos nos ouvidos.
– Minha vez de brincar com ele. – disse o Remo agarrando o Harry e levando para a sala.
– Trocar a fralda ninguém quer. – reclamou a Lily revirando os olhos.
– Ainda não disseram quem foi que comprou a vassoura. – comentou o Pedro desviando nossa atenção.
– Aquela vassoura assassina que ele tanto ama? – perguntou a Lily olhando para a Kely.
– Ele só não esta tão grande para saber que a cozinha é um lugar proibido quando o fogão esta ligado. – comentou a Tiago.
– Essa não é aquela vassoura que você tem… – começou a Kely, mas ao ver a cara de assassina da Lily ela ficou quieta.
– Temos um mistério por aqui. – comentou o Remo rindo.
– O que tem a vassoura que eu dei para o Harry Lily? – eu perguntei enfatizando a parte que diz que fui eu que dei a vassoura.
– Conte para o Sirius que fui eu que comprei a vassoura para o meu filho amor. – disse o Tiago enfatizando a parte que ele mentiu sobre ele comprar a vassoura e sobre o Harry ser filho dele.
– Todo dó do Harry ser seu filho… Quem iria gostar de ser filho de um veado? – eu o zoei.
– Cervo! – gritou o Pontas no meu ouvido.
– Que seja. Não faz diferença. Ambos têm chifres! – eu disse o irritando.

Alguma vez eu tenho que ganhar desses Potter… Pelo menos dessa vez eles não estão juntos contra mim.

Vi o Tiago reprimindo uma careta, mas não disse nada.

– Vamos comer? – perguntou a Lily desviando do assunto.
– Você ainda não disse sobre a vassoura.
– E qual diferença vai fazer quem comprou a vassoura? – ela perguntou com mais uma inútil tentativa de desviar o assunto.
– Toda! – respondemos o Pontas e eu juntos.

Mas é claro que vai fazer diferença. Isso prova que eu sou um melhor padrinho do que o Tiago é na função de pai.

– Para que vocês querem saber disso? Ambos são bons para o Harry. Não precisam disputar sobre isso. – comentou a Kely se sentando cansada.
– Não estamos disputando… – afirmou o Pontas na mesma hora.

Não é uma disputa, é quase que eu aposta.

Nós sempre apostamos quem era melhor em tudo, e o Harry não é uma exceção.

– Só queremos resolver quem deu a vassoura. Agora já estou ficando nervoso do Pontas ficar mentindo desse jeito.
– Ei! Não estou mentindo. O mentiroso é você! Fui eu que comprei a vassoura.

Nós olhamos do jeito que já sei o que significa: guerra.

Acho que não demorou mais de poucos segundos e ambos já estávamos com as varinhas apontadas um para o outro.

– E lá vamos nós em mais uma disputa de quem é o melhor. – comentou a Kely entediada. – Só não quebrem a minha cozinha.
– Tiago Potter abaixe essa varinha agora. – gritou a Lily nos assustando.

Olhamos assustados para ela e concordamos silenciosamente em abaixar a varinha e deixar isso para lá.

– Mas para que fique claro fui eu que comprei. – eu disse assim que passei do lado dele enquanto estamos indo comer.
– Fui eu! – ele respondeu nervoso.
– Começaram de novo! – comentou o Remo entediado, enquanto tentava colocar o Harry na cadeirinha de bebê.
– Se os dois não pararem com isso vou estuporar os dois. – disse a Lily mantendo um sorriso para o Harry que tentava puxar o cabelo dela.
– E como vai à ordem? Faz tempo que não consigo vir para as reuniões. – perguntou o Remo mudando de assunto.
– Não vamos falar de trabalho no nosso dia de folga! – pedi chateado.

Já trabalhamos de mais. O que custa tentarmos nos divertir sem nada que lembre essa porcaria de guerra?

– Mas voltando à vassoura do Harry… – começou o Tiago.
– Fui eu que dei a vassoura para o HP. – respondi sem nem deixar ele terminar de falar.
– Já não disse que não é para chamar meu filho assim? – perguntaram os dois Potter’s irritadinhos.

Não disse nada de mais. Abreviar nome agora é pecado?

Já disse que adoro provoca-los.

– Diz logo para eles quem foi que comprou a bendita vassoura. – pediu o Pedro entediado.
– Uola. – gritou o Harry empolgado.

O que em nome de Merlin é ORA?

– Não Harry! Você me desobedeceu. – disse a Lily brigando com o coitadinho.
– O que é Uola? – perguntei curioso.

E não deu outra. O Harry começou a chorar.

– Como ele é chato! – reclamou o Pedro tampando os ouvidos de novo.
– O que é uola? – perguntei de novo.
– Ele só esta com sono Pedro. – respondeu o Tiago tirando ele da cadeirinha.
– Deixe que eu faça isso. Pode comer. – disse a Lily indo até o marido.

Eles vivem brigando, mas se deixarmos eles vão tentar ter um filho na minha sala.

– Não se preocupe. Eu adoro coloca-lo para dormir. – respondeu o Tiago já balançando o Harry no colo dele.
– O que é uola? – perguntei novamente.

Será que eles estão brincando de “ignore o Sirius gostoso Black”?

MenuCap Anterior Próximo Cap


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

7 thoughts on “Lembranças de uma guerra Cap 4

  • Cecília Aluada Lupin

    Vanessa!!!! O que é Uola??? Eu tenho uma hipótese… Acho que Uola é Dora, sabe, Ninphadora Tonks. Deve ter sido ela quem deu a vassoura pro Harry. Como eu invento não??
    Enfim, adoro muito essa fic e todas as outras que você escreve.
    E eu me inspirei na fic “Eu, monitor-chefe?? Nãão!!” pra fazer a minha fic. Posso usar sua ideia de Lily e os Marotos contarem a história deles pra alguém??Claro que darei os devidos créditos e talz. Tudo bem??

    Beijos,
    Aluada

    [Responder]

    Vanessa Sueroz Reply:

    Claro que sim querida. Pode usar a vontade 🙂

    [Responder]

  • Caroline.

    Daqui uns capítulos Sirius irá surtar por falta de relação sexual. Pobrezinho. Toda vez que ele tenta alguém atrapalha. Imagina um filho ou filha do Sirius? Iria ser muito muito maroto(a). Harry e Tiago disputando pela mãe. Mas isso de ciúme pela mãe é verdade,
    o que tem de criança com ciúme da mãe nem se consegue pegâ-la no colo. A dúvida que não quer calar, o que é UOLA. Estou amando a fanfic, sempre que leio fico sorrindo para a tela do computador com essas piadas e brigas do Ti e do Si. (Oi, sou íntima deles)

    [Responder]