Lembranças de uma guerra Cap 2 3


 No capítulo anterior:

Harry abriu o embrulho com todo o cuidado que sempre teve, ou seja, nenhum cuidado e realmente viu um livro, um livro velho e já com as páginas amarelas. Deu um sorriso amarelo e agradeceu o pequeno elfo.

Monstro apenas se colocou a rir.

– Veja melhor que o senhor vai gostar… – comentou o elfo ainda rindo da cara do seu senhor.

Harry foi analisar o presente mais atentamente e descobriu que não era um livro qualquer e sim um diário… O diário de Sirius Black!

Meu querido Diário

Olá… Meu nome é Sirius Black e só arrumei esse diário para contar sobre esse ano de guerra e tudo que me aconteceu…

Não vou ficar igual esses gays que escrevem: “Meu querido diário”, por que para começo de conversa eu não sou gay! O veado dessa história toda é meu grande amigo Tiago Potter, Pontas para os íntimos, que não é o caso de vocês ou a ruivinha dele vai querer matar um por um.

Como eu estava dizendo, isso aqui não é um diário… É um… Um caderno de anotações?

Não caderno é muito simples…
Eu poderia chamar isso de… Meu livro de memórias… Ficou realmente bom… “O livro de memórias do gostoso Sirius Black”, olha só… O que vai ter de mulheres para ler… Vou ficar rico! (Que a Kely não escute, ou melhor, não leia isso).

Kely para quem não sabe é a minha querida noivinha aliás, já estamos noivos há quase um ano (o que faz o Tiago brigar constantemente comigo por causa disso, dizendo que eu devo assumir a responsabilidade e me casar logo.)

Não estou enrolando ela… Só que está tão bom estar noivo… Moramos juntos aqui na casa que era minha e do Pontas e vivemos muito bem. Quando eu digo que vivemos bem, é por que vivemos muitooo bem juntos.

Kely é médica no St. Mungos… A melhor médica por sinal… Também… Tendo Sirius Black como noivo ninguém pode ser menos que perfeito, assim como eu sou.

Já falei que eu tenho um afilhado? Ele é uma graça… Nossa que coisa mais gay que eu falei… O Harry é um marotinho, filho do Pontas e da ruivinha dele. O garoto mal sabe andar e já está fazendo a maior confusão na casa deles… Sempre que vou lá a Lily está irritada por que o Harry quebrou algum vaso ou coisa do tipo, o que ele deveria fazer sempre, por que o Pontas não tem bom gosto para decoração, então o Harry faz eles sempre comprarem coisas novas para a casa… O que não é problema, pois o Pontinhas é rico…

Como eu sou um bom padrinho (um ótimo, diga se passagem) eu comprei uma vassourinha de brinquedo para o meu querido afilhado e agora a Lily só falta me matar… Parece até que ele não gostou do presente…

O Harry gostou tanto da vassoura que não desce mais dela. O Tiago diz que ele vai ser “apanhador igual ao pai”, mas isso é uma tremenda besteira… Ele irá ser um batedor forte e lindo como eu… Aliás, já está na hora do Harry aprender a flertar e a jogar quadribol… Ele irá conquistar o coração das meninas de Hogwarts, na qual Dumbledore já reservou uma vaga para ele.

Ok… Exagerei… Ele não pode ser mais bonito que eu… E está novo de mais pra flertar… Ele tem o que…? Uns seis meses de vida? Mas ele é bem mais experto que o Neville que tem a mesma idade que ele…

Neville é o filho de uns amigos nossos, Neville Longbotton, filho da Alice e do Frank, dois autores que estudaram conosco em Hogwarts. A Alice é muito linda, ela não deveria estar com o Frank… Ele não chega aos meus pés…

Esqueci de alguma coisa?

Ah… Eu sou auror (acho que não falei isso ainda)… Sou o melhor auror que o ministério tem. E não… Eu não sou metido… Só estou dizendo a verdade, Sirius Black nunca mente.

Mas vamos ao que interessa:

Hoje quando cheguei no ministério dei de cara com o Pontas e com o Harry:

– O que houve Pontas? Por que trouxe o Harry para cá? – o ministério não é um bom lugar para levar um marotinho.

– A Lily vai acompanhar a minha mãe ao médico e não tinha como levar o Harry, então sobrou para mim… Acha que ele fica quietinho se eu deixar ele aqui? – me perguntou o homem de cabelo espetado a minha frente.

O Pontas é um bom pai, mas é muito atrapalhado e quando eu digo atrapalho, quero dizer muito atrapalhado… Ele mal sabe trocar a fralda do Harry, o que na verdade eu não fiz questão de aprender também… Ainda bem que a Lílian é inteligente ou não sei o que seria do meu afilhado com um pai desses. Aliás, sei sim… O Harry iria me ter como um ídolo e esqueceria o pobre Pontinhas…

– E pretende deixar o Harry onde? Perto dos objetos apreendidos? Perto das tesouras? Tiago acorda! Por que não pede para a Kely cuidar dele? – por que eu tenho que pensar em tudo?

– A Kely não foi para o hospital hoje? – me perguntou o Tiago quando o Harry arrancou seus óculos e ficou sacudindo. – Não pode brincar com os meus óculos, Harry. Já lhe falei isso milhares de vezes… – disse o Pontas pegando o óculos de volta e fazendo o Harry chorar.

– Viu o que você fez? Agora ele não vai mais parar de chorar… – reclamei tampando os ouvidos.

O Harry não chora… Ele grita! Ninguém merece ele chorando… E o pior de tudo é que o Tiago nunca consegue fazer ele parar de chorar… Repito: Não sei o que seria do Veado sem a ruiva…

Sério… Hoje não é um dia bom para ser parceiro do Pontas… Acho que até o final do dia o Harry nos deixa surdos…

– Faz alguma coisa, Almofadinhas! – me pediu o Tiago desesperado tentando acalmar o filho. Eu sei que é inútil ele tentar fazer meu afilhado parar de chorar, mas pelo menos ele tenta, não é?
– Vou fazer o que, Pontas? – perguntei indo até o Harry e logo o menino agarrou meu dedo.

Acho que eu fiz uma cara engraçada quando ele agarrou meu dedo, por que ele simplesmente começou a rir.

– Bom trabalho Almofadinhas… Por causa disso você vai ficar de babá hoje. – me disse o Tiago ainda com o Harry no colo.

– Nem pensar Pontas… Não vou trocar fralda! – reclamei na mesma hora.
– Rapazes… – começou a Alice entrando na sala. – Oi Harry… – ela disse fazendo uma cara engraçada e fazendo o Harry rir. – Tinha me esquecido que a Lílian pediu para que eu vigiasse vocês com o Harry hoje.
– Ela pediu? Que maravilha… Pode ficar… Tenho uns relatórios para entregar hoje e o Harry não vai deixar… – o Tiago disse já indo em direção a Alice.
– Sinto muito, Tiago… O Neville está lá na minha sala e já está difícil cuidar dele e do Frank. – respondeu a Alice.
– Cuidar do Frank? – perguntei sem entender.
– Ele está com gripe… E vocês homens realmente são uns fracos para doenças… Ficam dengosos demais. – ela reclamou expressando outra careta reprimida.
– Não é bem assim… – eu reclamei na mesma hora.
– Isso é um exagero! – reclamou o Tiago na mesma hora que eu.
– Enfim… Vim aqui falar que o Moody está convocando uma reunião agora. Parece que o tio Voldy resolveu atacar novamente… – respondeu a Lice preocupada e logo fechou a porta.
– Pelo visto temos reunião… – eu disse já me colocando para sair da sala.
– E pelo visto o Harry não vai dormir, então ele vai junto… – me respondeu o Tiago observando o Harry tentar inutilmente desabotoar a blusa do pai dele.
– Essa eu quero ver… A cara do Moody quando ele ver o Harry na sala dele irá ser hilária. – eu respondi já rindo só de imaginar a cena.
– Não tem graça… – respondeu o Tiago irritadinho.

É tão legal perturbar o Tiaguinho… Ele está ficando igual à ruiva… Toda vez que ele fica nervoso ele começa a ficar vermelho… A cena é realmente cômica.

Quando chegamos à sala do Moody todos os aurores já estava lá nos esperando, ou seja, entramos e todos olharam para nós na mesma hora, e adivinhem o que o Harry fez? Soltou um pum fedido e barulhento, e na mesma hora todos fizeram a maior cara de raiva e tamparam o nariz. O pior foi que logo é o dedinho do Harry e do Tiago apontados para mim dizendo que eu tinha soltado aquele pum.

– Não adianta disfarçar. Todos sabem que foi você que fez isso Sirius. – disse o Tiago indo se sentar.
– Mas não fui eu! – protestei enquanto todos me olhavam. – Foi o Harry!
– Harry é muito novo para fazer um estrago desses. – rebateu o Tiago com aquele sorriso maroto dele.

Passei a odiar os sorriso marotos do Pontas quando eles começaram a se virar contra mim.

– Mas foi o Harry! – tentei me defender mais uma vez. Tenho que acrescentar que foi inútil?
– Deixe de bobagens, Sirius. Todos sabem que foi você! Por que não foi no banheiro ou disfarçou? – perguntou a Alice segurando o riso. Definitivamente ela tinha percebido que foi o Harry, mas não quis me ajudar.

Eu ia protestar mais uma vez, mas não teve como… Com aquela carinha inocente do Harry quem iria acreditar no gostoso do Black aqui? Infelizmente tenho que admitir, mas o Harry faz mais sucesso com as mulheres… Todos querem pegar e apertar ele… Quem dera…

Não acredito que escrevi uma coisa dessas… Eu Sirius Gostoso Irresistível Black falando que tem um homem mais bonito que eu? Acho que esse cheiro do pum do Harry afetou os meus neurônios!

Resolvi deixar a história do pum para lá e fui me sentar, e adivinhem… Me sentei ao lado do pestinha do meu afilhado que ficou rindo da minha cara. Isso mesmo que vocês leram… Tinha um homem rindo da minha cara e eu não fiz nada…

Será que estou ficando doente? O Harry faz de mim gato e sapato e eu ainda fico o mimando.

Confesso! Não prestei atenção na reunião. O Harry ficou puxando o meu cabelo a reunião toda, e não adianta pedir para ele parar por que ele ri da sua cara e puxa mais ainda. Mas eu adoro esse garoto!

O que o Tiago fez em relação ao filho dele puxar meu cabelo lindo? Nada só falou:

– Que bom que o Harry achou alguma coisa para se distrair. Não deixe ele pegar suas pulgas, Almofadinhas… Meu filho é perfeito de mais para ficar com pulgas.

Isso realmente é o fim do mundo!

Finalmente a reunião acabou e pude voltar para a minha sala e do Tiago, e com o Harry no colo. A parte boa disso foi que demorei mais de meia hora para chegar à minha sala. E sim isso é uma boa coisa por que eu demorei por que as mulheres não saiam do meu pé… Parece que elas têm uma queda por pais solteiros… Está explicado por que o Tiago adora andar com o marotinho de olhos claros por aí.

Ok! Eu nunca trairia minha doce Kelyzinha e nem o Tiago trairia a ruivinha dele (e se ele trair eu o mato), mas somos homens e precisamos manter nosso ego lá em cima. Elogios vindos da população feminina fazem tão bem…

Aviso aos homens: Não deixe suas amadas verem vocês recebendo elogios. Não sei por que, mas elas viram uma fera, e quem sai mal dessa história é sempre você!

– Acho melhor você parar de flertar aí antes que sua esposa lhe veja. E devolva o MEU FILHO. – me disse um Tiago raivoso tirando o Harry dos meus braços enquanto a linda moça a minha frente me olhava espantada.

– Cachorro! Você não me disse que era casado! – ela gritou antes de me bater e sair para a sala dela.

Fui irritado para a minha sala e encontrei um Tiago sorrindo abertamente com os pés em cima da mesa enquanto o Harry tentava ficar de pé apoiado na minha cadeira.

– Por que você fez isso…? Ela era uma gata! – eu disse irritado. – E eu não sou casado. Sou noivo…
– O que não é diferente. – me respondeu ele ainda com aquele sorriso maroto. – Sem contar que você não pode usar o meu filho para sair flertando por aí.
– Mas ele é meu afilhado! E eu não estava flertando, só estava… Me distraindo.
– Fale a verdade, Almofadinhas… Você estava com saudades dos tapas que levava. – brincou o Tiago rindo da minha cara.

Sabe… Acho que os Potter’s estão rindo muito da minha cara ultimamente.

Fiquei vendo o Harry cair várias vezes e não conseguir dar um passo enquanto o Tiago fazia algumas anotações e tentava me falar sobre a reunião (que novamente não escutei… estava prestando atenção no meu lindo afilhado que ainda tentava ficar de pé, só que agora se apoiava no sofá.) quando a porta foi escancarada:

– Meu bebê! – gritou uma ruiva já de braços abertos correndo na direção do Harry que caiu de bunda no chão com o susto.
– Viu… Assustou o coitado Sara! – brincou minha cunhada entrando logo em seguida na sala. – Olá Six. Tudo bem?
– Não está nada bem senhora Evans. – eu disse emburrado. – Tenho uma reclamação muito séria para fazer… – eu disse emburrado enquanto ela ia se sentar no sofá enquanto a mãe do Tiago agarrava o Harry.
– Antes de tudo… É senhora Potter – ela disse fingindo estar nervosa enquanto o Pontas abria um sorriso gigante – e pode falar meu cunhado preferido. – completou fazendo voz de criança… Assim como ela trata o Harry. – O que os meninos aprontaram com você? – ela perguntou sorrindo debochadamente.
– Esses Poter’s estão mexendo com fogo! Eles passaram o dia a rir da minha cara. Sem contar que eu estava conversando gentilmente com uma linda jovem no corredor e seu querido marido fez o maior escândalo tirando o MEU afilhado dos meus braços. – reclamei emburrado.
– Quantas vezes eu já lhe disse para não usar o Harry para flertar com ninguém Sirius? Você logo estará casado e não pode ficar flertando, mesmo que eu saiba que você nunca trairia a Kely… – me disse a ruiva ainda sem tirar o sorriso do rosto.
– Mama! – chamou o pequeno marotinho engatinhando em direção a Lily.

Esse menino não desgruda da ruiva… Dá até raiva… Tem dia que chego todo feliz na casa deles e ele ao invés de vir me ver ele só grita “Mama”. Dá raiva!

– Eu cuido dele a manhã inteira e ele corre para a mãe! – reclamamos eu e o Tiago juntos.

A ruiva revirou os olhos e se virou para nós:

– Quer ver uma coisa que eu ensinei para ele? – ela nos perguntou segurando o Harry no colo.

Demos de ombros como se aquilo não importasse.

– Quem vê acredita que vocês não são uns corujas e que ficam babando em cima do coitado. – disse minha mãe adotiva (Sara Potter).

A Lily se acabou de rir enquanto fechávamos à cara.

– Como foi o médico mãe? – perguntou o Tiago para disfarçar as risadas da Lily.
– Muito bem. Estou grávida! – ela disse na maior cara de pau.

Eu entrei em pânico! Como grávida? Minha queria mãe adotiva não pode ter um filho com seus… Cinqüenta anos? É o fim… E eu? Ela vai acabar me deixando de lado… Oh vida cruel!

A cara do Tiago foi realmente pior que a minha… Ele estava lá de boca aberta para a revelação, olhos arregalados e estático. Me deu até vontade de rir da cara dele se eu não estivesse em situação parecida, ou seja, em pânico.

– Fechem essa boca… Eu estava brincando! – disse a ruiva mais velha enquanto as duas ruivas a nossa frente se acabavam de rir, mais uma vez os Potter’s estavam rindo da minha cara hoje.
– Ela está bem.. Foi só médico para desencargo de consciência. – disse a Lily dando de ombros.
– Mas a cara de vocês foi muito boa! – comentou a Sara rindo ainda mais.
– Deixe eles para lá. Olha só.. – disse a ruivinha do Pontas quando parou de rir. – Harry, quem é aquele? – ela perguntou apontando o Pontinhas que se aproximou do guri assim que viu o filho o analisando.

O Harry abriu um sorriso lindo e sem dentes. Lindo e sem dentes? Acho que eu não estou muito bem da cabeça hoje! Quem sorri sem dentes são os velhos e o sorriso não é bonito… Só o sorriso do MEU afilhado é bonito sem dentes.

Então… O Harry deu aquele sorriso dele e bateu palmas desengonçado gritando:

– Papai!

A cara do Tiago foi hilária. Queria ter uma maquina fotográfica para registrar aquele momento.

Ele abriu um sorriso enorme, parecido com o que ele deu quando a Lily disse sim no altar, e começou a chorar. Isso mesmo! Tiago James Potter estava mergulhando em lágrimas no meio do escritório no ministério da magia.

– Viu Harry! Não falei que seu pai iria chorar. – brincou a ruiva rindo. – Vamos ver qual a reação do próximo maroto.

Acho que entrei em crise… Ela não podia ter ensinado um menino de seis meses a falar Sirius gostoso Black.

– Harry… Quem é esse? – ela perguntou com o dedo apontado para mim.

O Harry pareceu pensar por poucos segundos e com um sorriso no rosto gritou:

– Xilius!

E eu fiz igual o bobão do Pontas e comecei a chorar de emoção… Meu afilhado sabe o meu nome… Quer dizer… Quase… Mas ele fala tão bonitinho… Aposto que vai ficar falando “Xilius” toda hora… Meu nome lindo que pertence a uma pessoa linda…

O Harry definitivamente deveria ser meu filho… Ele tem todas as qualidades… Lindo, uma graça e encanta as mulheres… Um filho perfeito para o Six aqui.

Acho que vou falar para a Kely que quero um filho também! Mas claro que antes de falar isso eu vou me proteger tirando todas as coisas que machucam de perto dela.

Logo minha mãe foi embora e levou o marotinho junto. A Lily se levantou do sofá e respirou fundo, estava meio distraída e quase caiu tropeçando em um brinquedo do Harry que tinha ficado no chão.

– Você está bem Lily? Aconteceu alguma coisa? – perguntou o Tiago preocupado se levantando na mesma hora que eu corri para segurar a ruiva que estava a alguns passos de mim.
– Estou ótima… Só um pouco distraída. – ela disse se soltando de mim. – Obrigada Six. – agradeceu por eu não ter deixado ela cair. – Six… Que horas a Kely vai ter pausa hoje? – ela me perguntou.
– Ela me disse que umas dez e meia ela iria tomar um café. – respondi desconfiado. A ruiva estava estranha.

A ruivinha só levantou a cabeça e olhou para o relógio.

– Volto mais tarde meus amores. Vou falar com a Kely. – ela disse antes de sair da sala.
– O que deu nela? – perguntei assim que a porta se fechou.
– Sinceramente não faço idéia. – me respondeu o Tiago preocupado e pensativo. – Será que aconteceu alguma coisa que ela não quer contar? – ele me perguntou ainda olhando para a porta que a pouco a esposa dele havia saído.
– Não deve ser nada… Quem sabe ela descobriu que está esperando outro marotinho. – eu deduzi. Afinal, a única vez que vi a Lily estranha desse jeito foi quando ela descobriu que estava grávida e foi falar com a Alice e com a Kely.

Acho que o Tiago ficou na dúvida entre sorrir para a minha suposição ou ficar chocado. Na verdade ele expressou as duas coisas… Primeiro arregalou os olhos surpreso e logo em seguida abriu um sorriso enorme.

– Vou falar com ela sobre isso mais tarde! – ele disse feliz.

Eu só sorri… Adoro perturbar o Tiago e espero que eu esteja errado quanto a Lily estar grávida, por que a cara do Tiago irá ser inesquecível. Faço questão de descobrir como foi.

– Vai me contar como foi à conversa independente de como seja, não vai? – perguntei com a minha famosa cara de cachorro que caiu da mudança.
– Vou Almofadinhas… – ele disse ainda sorrindo.
– Palavra de maroto? – perguntei desconfiado.
– Palavra de maroto! – ele respondeu mostrando a mão em um juramento.

Perfeito… Aposto que vou rir muito amanhã de manhã.

Um pouco antes do almoço a Lily voltou e para a tristeza do Tiago ela voltou com várias sacolas de compras.

– Pensei que você ia se encontrar com a Kely. – ele disse olhando ela colocar as sacolas em um canto.
– Pensei que você não se importasse que em como eu gasto meu dinheiro. – ela respondeu levemente irritada.

E lá vamos nós para mais um capítulo da novela “Eu odeio Tiago Potter by Lily Evans”

– Não me importo, Lily, mas você não é de fazer compras. O que houve? – ele perguntou indo até as sacolas.
– Não aconteceu nada. Só estava querendo me distrair um pouco. – ela respondeu dando de ombros. – Não se preocupe… São coisas para o Harry. – ela completou quando ele abriu as sacolas e viu muitas roupinhas de bebê.

Acho que o Tiago pensou mesmo que eu estava virando vidente e achou que a Lily estava grávida de novo por que ele abriu o maior sorriso ao ver as roupas.

– E essa sacola? – perguntei depois de a Lily nos mostrar todas as roupas e brinquedos.
– Isso aí é meu. – ela respondeu com um sorriso que deduzi como safado, afinal a cara do Tiago não negou o ocorrido.
– Vai chegar em casa que horas meu amor? – perguntou o Tiago com a maior cara de safado que eu já o vi fazendo.
– Entre sete e oito. – ela respondeu se jogando no colo dele. – Tenho uma surpresa para você. Trate de fazer o Harry dormir cedo. – ele sussurrou no ouvido dele, mas eu ouvi. – Não mexa naquela sacola! – ela disse em voz alta se levantando. – Vou trabalhar. Mais tarde nos vemos. – deu um selinho no Pontas que ainda tinha aquele sorriso irritante e foi saindo da sala. – Tchau Six. – ela disse antes de chegar à porta.
– Vamos ver o que ela comprou? – perguntei na mesma hora já empolgado.
– Nem pensar… Quero se seja surpresa… – me disse o Tiaguinho pensativo.
– Estraga prazeres… – eu disse emburrado.

O que custava ele me deixar ver o que a ruiva comprou?
Começo a pensar que se ela estava com a minha noiva, então quer dizer que provável que a minha noiva tenha comprado alguma coisa também… O que me deixa muito animado.

O dia foi passando bem lentamente e minha curiosidade não me abandonou… Quando dei por mim e Pontas tinha ido falar com um colega nosso sobre um assassinato e eu me vi sozinho com a sacola misteriosa da Lily.

Não resisti e fui logo abrindo a sacola. O que encontrei? Até me assustei… Nunca pensei que a ruiva compraria algo assim… Lá estava um corpete preto com rendas vermelhas… Minha nossa! Fiquei até animado depois dessa… Por que a minha Kely não compra uma coisa dessas para mim e me faz um strip particular?

Ninguém tem dúvidas que eu iria adorar a idéia! Quem sabe no casamento ela faça isso…

Diante dessa idéia vejo que a melhor coisa a se fazer é casar…

Eu estava pensando na minha futura lua de mel quando o Pontas entrou na sala:

– Almofadinhas… Problemas! – ele disse serio e logo fechou a porta.

Definitivamente hoje não era o meu dia. Por que o tio Voldy tinha que atacar bem agora?

Fui para o povoado para ajudar. Duelamos por pouco tempo e logo os comensais sumiram. O que será que o Voldy quer agora? Atacar outro vilarejo trouxa? Isso já está ficando monótono de mais.

Ainda bem que o dia acabou rapidamente.

Fui com o Pontinhas para a casa dele e enquanto ele fazia a comida eu brincava com o Harry.

– Não sei quem é mais criança, Sirius. – brincou o Tiago vendo o Harry em cima de mim e eu deitado na chão da sala.
– É claro que ele é a criança aqui seu Veado! – respondi fechando a cara.
– É cervo! – ele me disse irritado. – Tem noticias do Remo? – me perguntou pensativo encostando no parapeito da porta.
– Depois daquela semana que ele passou lá em casa não tive mais noticias. – respondi pensativo também e tirando o Harry de cima de mim.

Será que aconteceu alguma coisa com o Aluado? Agora até fiquei preocupado com o lobinho.

– Sabe o endereço dele? Podemos mandar uma carta. – eu disse pensando onde encontrar o Aluado.
– Não tenho, mas as meninas podem ter… – me respondeu o Tiago pensativo.

Ele voltou para a cozinha para terminar o jantar e eu fui junto para dar comida para o Harry.

Como é duro esse negócio de Padrinho. Sempre sobra para mim trocar fralda e dar comida… Por que não me dão um trabalho legal como levar ele para passear? Até dar banho eu aceitaria, mas trocar fralda…

O Pontas foi arrumar um jantar romântico para a Lily enquanto eu tomava um banho de papinha de bebê. Espero que nenhuma mulher me veja neste estado… O Harry realmente sabe fazer uma boa guerra de comida, principalmente quando o alvo dele é o meu rosto.

– Quando vai aprender que não pode dar a colher a mão dele Almofadinhas? Ele é muito novo para isso! – me disse o Tiago rindo da minha cara.

Já perdi as contas que quantas vezes esses Potter’s já riram da minha linda cara hoje.

– Muito engraçado veado. Quero ver você fazer melhor. – eu o desafiei. Sabia que ele não iria querer estragar a roupinha cheirosinha que tinha colocado para agradar a esposa.
– Sai daí então… – ele disse me empurrando para sentar na cadeira de frente para a cadeirinha de bebê onde o Harry estava.

Como ele consegue? O Veado simplesmente ficou brincando de aviãozinho (uma cena muito gay) e Harry dava aquelas risadinhas gostosas e logo comia direitinho, babava às vezes, mas o Tiago não o deixou nem ao menos sujar a roupa. Eu assistia os dois brincando e comendo encharcado e sujo de papinha enquanto o veado se dava bem.

– Viu só? Ele comeu direitinho! – disse o Tiago tirando o Harry da cadeirinha e tirando a blusa suja do filho.

Isso não dá raiva? Ele tinha que ter se sujado todo também… Esse babão de bebê!

– Você é um gay! – eu disse cruzando os braços no peito e fazendo uma cara de mal.
– Só se for um gay muito bem casado, com uma mulher linda, um filho maravilhoso e um melhor amigo cachorro. – ele respondeu com aquele sorriso maroto.
– Mas não deixou de ser gay! – eu rebati irritado.
– Quem está dizendo que o meu maridinho é gay? – ouvi a voz da ruiva lá da sala.

O Tiago me olhou em pânico para o estado inundo que o Harry se encontrava. Iríamos levar a maior bronca se a ruiva visse o Harry naquele estado.

Corri para distrair a ruivinha na sala enquanto o Tiago ia dar um banho no marotinho.

– Olá ruivinha! – eu disse sorrindo falsamente.
– Six? O que vocês estão aprontando? Não pretendem ir caçar comensais naquela sua moto voadora de novo, não é? – ela me perguntou desconfiada.
– Eu? – perguntei fingindo espanto. – Nunca faria uma coisa dessas. Foi tudo culpa do Pontas… Ele que me convenceu…
– E vocês quase foram presos pela policia dos trouxas por andar em alta velocidade. – ela reclamou.
– Andar a cento e cinqüenta por hora em uma moto voadora no mundo bruxo não é alta velocidade. Uma boa vassoura chega a isso. – eu tentei me explicar.
– Mas para os trouxas isso é alta velocidade, Sirius. – ela me respondeu revirando os olhos e indo para a cozinha. – Cadê o Tiago?
– Dando banho no HP. – respondi sorrindo.
– Já falei para não chamar meu filho de HP. Parece que estamos falando de uma marca e não de uma criança. – reclamou à ruiva. – Você ajudou a fazer isso? – ela perguntou quando viu a um jantar a luz de velas, preparado na cozinha.
– Eu que dei a idéia… Você sabe… Eu sou o homem mais romântico e tentador da Terra.
– E acima de tudo o homem mais modesto também. – ela respondeu rindo. – O Tiago demorou muito para arrumar tudo isso? – ela me perguntou não acreditando que aquilo era obra minha.
– Não muito, mas eu ajudei… Fiquei brincando com o Harry. – eu disse emburrado. Por que ninguém me elogia também?
– Obrigada Six. – ela respondeu rindo.

Não demorou muito e subimos para ver o Harry.

– Ele já dormiu? – perguntei entrando no quarto do bebê e vendo o Harry deitado nos braços do Tiago.
– Quase. – respondeu o Tiago em um sussurro.

Vi a Lily com os olhos lacrimejados olhando os dois homens da vida dela, alias, os três por que eu sou um homem especial na vida da ruivinha estressada.

– Não são lindos? – ela me perguntou de repente.
– Eca ruiva! Eu não acho homem bonito. – reclamei com uma careta enquanto ela dava de ombros.
– Esqueci que estou falando com o Sirius Almodafinhas cachorro Black. – ela me respondeu sorrindo.
– Cachorro e com orgulho… Melhor cachorro do que veado! – respondi para provocar o Pontas que não poderia gritar o seu tradicional “É cervo”.

O veadinho só me lançou um olhar matador enquanto eu ria.

Não demorou nem cinco minutos e o Pontas já colocou o Harry no berço.

Ficamos parecendo três idiotas parados na porta olhando o Harry dormir. Não sei por que, mas esse garotinho desperta um lado que eu não conhecia em mim mesmo. Um lado babão de bebês… Como a Lily vive dizendo para mim e para o Pontas.

Depois disso a ruiva foi tomar um banho e eu fui conversar com o Tiago na cozinha:

– Você é um babão de bebê! – eu disse rindo.
– E você também! – ele respondeu com aquele sorriso maroto.
– Ah, o Pedro disse que vai aparecer lá em casa amanhã de noite para jantar. Aparece lá também. – sugeri.

Jantar com a turma seria muito bom. Lembraria-me dos tempos em Hogwarts.

– Com toda certeza que apareço. Reserve mais três lugares. – ele respondeu rindo.
– Hoje a noite promete hein, Pontas. – brinquei.
– Se eu te falar que sempre me sinto como se fosse a primeira vez que terei essa ruiva em meus braços você acredita? – ele me perguntou envergonhado.

Eu disse envergonhado? Tiago James Potter estava parecendo um pimentão por causa do comentário. E eu adoro isso!

– Se você me falar isso eu vou falar que já tenho a prova definitiva que você é um gay. – brinquei.

O Tiago revirou os olhos rindo, mas ele parou de rir na mesma hora que viu a esposa descendo as escadas com um vestido de gala preto. Aquele decote deveria ser proibido para mulheres casadas…

Achei melhor sair dali. Dei uma piscadela para o Pontas que estava babando em cima da esposa e aparatei na minha casa.

Lar doce lar…

Quando cheguei a minha loirinha já estava terminando o jantar e vestia ainda estava com a roupa do hospital.

– Ainda bem que você chegou meu amor. Vai tomar um banho que a janta esta quase pronta. – ela me disse experimentando o feijão.
– Já vou… – respondi cansado.
– E como estão a Lily, Tiago e o Harry?
– Melhor impossível. – eu disse com aquele meu sorriso safado.
– Os chamou para vir jantar aqui amanhã? – me perguntou minha noiva.
– Chamei. O Pontas mandou você separar três lugares, mas acho melhor você separar dois lugares e meio. – brinquei sorrindo.

Ela riu um pouco da minha cara, mas logo completou:

– Vai tomar seu banho… – ela me disse ainda rindo.

Demorei uma eternidade no banho tentando relaxar. Coloquei uma calça de moletom e fui para a cozinha, onde a Kely já me esperava com o jantar servido.

– Demorou para descer… – ela comentou sorrindo.
– Demorei no banho… Estava tentando relaxar.

Comemos na maior calma, ajudei a Kely a retirar as coisas da mesa e enquanto eu lavava a louça ela foi tomar banho.

Ainda escutava o barulho do chuveiro quando terminei de arrumar a cozinha, então fui me deitar no sofá da sala e acabei cochilando.

Acordei vendo um sorriso diante de mim:

– Olá dorminhoco. Vem para a cama. Estou te esperando. – ela me disse sorrindo.

Ela sorria até de mais para quem queria dormir, então subi rapidamente as escadas depois que levei o rosto.

Que cena maravilhosa me deparei quando entrei no quarto. A Kely estava deitada na cama, o roupão meio aberto mostrava uma lingerie nova para os meus olhos, as pernas torneadas e bronzeadas estava me cativando assim como o belo decote ousado.

Dei o meu melhor sorriso para ela que sorriu ainda mais de volta. Assim que cheguei na ponta da cama engatinhei até onde ela estava e logo que senti aquele corpo maravilhoso embaixo do meu eu capturei aqueles lábios salientes.

O gosto tão bom da boca dela invadiu a minha me deixando uma sensação agradável.

Agarrei sua cintura a trazendo mais para perto. Já fazia um tempo que não tínhamos um dia, ou melhor, uma noite só nossa. Geralmente ou ela estava em plantão no hospital ou eu em missão no ministério ou na ordem. Sentir seu corpo junto ao meu me trouxe uma paz que nunca pensei em sentir…

Que horror! Estou parecendo o Pontas falando desse jeito…

Quando dei por mim ela já estava sentada em cima de mim me observando enquanto tirava o roupão e jogava em algum canto do quarto. Nos beijávamos ardentemente. Beijos selvagens e avassaladores, assim como doces e românticos. Já estava abrindo o fecho do sutiã dela quando escutamos a droga da campainha tocar.

Respirei fundo irritado enquanto ela saia de cima de mim.

– Atende lá… – me pediu irritada.
– Pelo visto não vamos poder ficar juntos hoje novamente. – reclamei me levantando e descendo as escadas.

Sempre que a campainha toca de noite significa uma única coisa: problemas.

Abri a porta com o maior desanimo possível, e era o Frank:

– Problemas, Sirius. – ele me disse depois de me observar.
– E lá vamos nós perder mais uma noite de sossego. – reclamei. – Onde é?
– Em uma vila trouxa. Dumbledore mandou chamar a todos. – me disse o Frank desanimado.
– Vou colocar uma roupa e chamo o Tiago e a ruiva. – eu disse chateado.
– Vou indo então. A Alice já foi. Deixamos o Neville com pais dela. Fala pra Lílian que se ela quiser deixar o Harry lá também não terá problemas. -ele me disse antes de aparatar.

Fui irritado para o quarto, olhei emburrado para a Kely que já esperava por más noticias:

– Convocação da Ordem. Ataque a uma vila trouxa. – eu disse irritado indo me trocar.
– Nunca conseguimos ficar juntos… Já faz três meses Sirius… – ela reclamou.
– Pensa que eu não sei? – respondi nervoso.

Ela não respondeu. Só me entregou a camisa que eu estava procurando.

– Te amo. – eu disse lhe dando um beijo e saindo do quarto rumo a casa do Pontas.

Apararei em frente à casa do Pontas e toquei a campainha. Ninguém atendeu… Então peguei a chave que ele tinha me dado e entrei com o maior cuidado, para o Pontas não atender a porta só podia significar que ele estava distraído demais para perceber.

Abri a porta do quarto do Harry e ele dormia calmamente. Pelo menos alguém dorme tranqüilo em tempos de guerra.

Bati na porta do quarto do casal, escutei uma movimentação e logo o Pontas abriu a porta só de cueca:

– Sirius? Aconteceu alguma coisa? – ele perguntou me olhando confuso.
– Desculpe estragar a festa, mas temos problemas. – eu disse observando a ruiva deitada na cama só de lençol. Eu tinha chegado em uma péssima hora.

O Tiago respirou fundo irritado assim como eu havia feito:

– Já descemos! – ele disse e logo fechou a porta.

Desci e esperei os dois na sala. Logo escutei o Harry chorando e a ruiva descendo com ele no colo.

– Leve ele para a minha mãe. – pediu o Tiago pegando uma sacola com as coisas do Harry que já se acalmava no colo da mãe.
– Vou assim que o deixar lá. – ela respondeu antes de sair para aparatar.

Eu e o Pontas nos olhamos e novamente respiramos fundo. Mais uma noite desperdiçada atrás daquele maníaco.

– Desculpe. – eu pedi por atrapalhar eles.
– Não tem problema. – ele me respondeu com um sorriso fraco. – Sei que te atrapalharam também.
– Nem cheguei a fazer… O Frank chegou antes. – reclamei cansado.

E lá vamos nós para mais uma missão suicida atrás do cara de cobra.

Menu – Cap Anterior – Próximo Cap


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

3 thoughts on “Lembranças de uma guerra Cap 2

  • Caroline.

    Eu realmente adoro suas fics marotas Vanessa. +1
    Sirius e seu livro de memórias, imaginando o que vem por ai. O Harry bebê é tão fofo, desde de pequeno aprendendo a ser um verdadeiro maroto. As cenas do Sirius, Tiago e Harry são hilárias… essa da comida. rs’
    Fico imaginando como seria o Sirius como pai, provavelmente uma comédia. Tio Voldy cortando o barato dos casais, maldade.
    Poste o próximo capítulo, Nessa. Estou adorando.

    [Responder]

  • Cecília Aluada Lupin

    Eu realmente adoro suas fics marotas Vanessa!!! Você faz todas as histórias terem uma emoção diferente, seja comédia, medo, tensão… Adorei o jeito que você escreve como se fosse o Sirius. Acho que ele realmente falaria algo assim num diário, ops!! livro de memórias 😉 .
    Como eu já disse, adoro suas fics marotas e quando você vai postar mais um capítulo?? Espero ansiosamente.

    Beijos,
    Cecília Lupin

    [Responder]

    Vanessa Sueroz Reply:

    Oie,
    Obrigada. Fico feliz que goste das minhas fanfics. Ainda não sei qdo vou postar o próximo cap, ele já esta pronto, mas estou com mta coisa acumulada no blog para postar, mas não se preocupe que não vai demorar muito não…

    Bjos

    [Responder]