Inocência? 9


Olá queridos,

Quem esta acompanhando a série Protetorado da sombrinha? Já resenhamos os dois primeiros livros aqui no blog: Alma? e Metamorfose? e agora vamos conhecer o terceiro livro da série:

inocenciaAutor: Gail Carriger

Editora: Valentina

ISBN: 9788565859554

Ano: 2015

Páginas: 302

Tradutor: Flávia Carneiro Anderson

Skoob

Contra – Capa: Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Ao abandonar a residência do marido e se mudar de volta para o lar de sua terrível família, Lady Maccon se tornou o escândalo da temporada em Londres. Além disso, a Rainha Vitória dispensa Alexia do Conselho Paralelo, e a única pessoa capaz de ajudar a esclarecer os fatos, Lorde Akeldama, inesperadamente deixa a cidade. Como se não bastasse, Alexia é atacada por joaninhas mecânicas assassinas, indicando – como apenas joaninhas são capazes de fazê-lo – o fato de que todos os vampiros londrinos estão muito interessados em vê-la rigorosamente morta. Enquanto Lorde Maccon concentra seus esforços em ficar cada vez mais ébrio e o Professor Lyall se desdobra para que a Alcateia de Woolsey se mantenha coesa, Alexia deixa a Inglaterra em direção à Itália em busca dos misteriosos Templários. Somente eles têm o conhecimento sobre os seres preternaturais que Alexia precisa para entender sua crescente e inconveniente condição, mas eles podem ser piores que os vampiros – e estão armados com molho pesto. A série de STEAMPUNK mais cultuada do mundo! Best-seller do New York Times e finalista do Goodreads Choice Award na categoria Paranormal Fantasy.

Resenha:

Neste livro vamos ter a sequencia da vida de Alexia, agora grávida terá ainda mais problemas pela frente. Ela foi abandonada pelo marido Lorde Maccon,  e pouco tempo depois de estar com a sua família eles a abandonam também. Sem a ajuda de seu amigo Lorde Alkeldama que esta desaparecido, Alexia esta prestes a virar o escândalo do século.

“(…) Uma imagem do rosto do marido abalou sua determinação por um instante. O olhar dele da última vez em que se viram – o de quem se sentia traído. Mas o que achara que sua esposa havia feito e o fato de duvidar dela daquele modo eram injustificáveis.”

Agora ela esta correndo para provar sua inocência, mas para isso vai acabar se metendo em muitos problemas. Ela parte com alguns amigos em busca de respostas na Itália, onde seu pai nasceu.

Alexia acaba sendo perseguida por joaninhas mecânicas, vampiros querendo mata-la e cavaleiros templários, então aventuras não vão faltar nesta gravidez.

A parte engraçada do livro fica com Malccon que acaba bêbado pelos cantos e fazendo varias maluquices.  Seu beta Lyall é o destaque em inteligência e fidelidade.

“Por fim, os dois chegaram ao castelo, e Lorde Maccon se distraiu momentaneamente com a tarefa monumental de tentar subir a escada.- Sabe – prosseguiu, em tom de mágoa revoltada, assim que pôs os pés no patamar – , eu rastejava por aquela mulher. Eu! – Fuzilou com os olhos o professor Lyall. – E você me disse para fazer isso!”

Alexia ainda continua a mesma de sempre, doida, engraçada e inteligente. Maccon faz papel de bobo quase o livro inteiro.

Eu não estava muito empolgada para ler este livro, pensei que seria bem chatinho com Alexia tentando reconquistar o marido, mas me surpreendi muito quando me deparei com a mesma qualidade dos outros livros da série.

“Apesar dos inúmeros dispositivos, Lady Maccon usava mais a sombrinha para bater com força na cabeça do adversário. Era um modus operandi rudimentar e talvez pouco decoroso, porém tinha dado tão certo no passado, que ela relutava em recorrer aos modernos artefatos incluídos no objeto.”

Adorei o livro e mal posso esperar para ler o próximo da série que esta me esperando em casa.


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

9 thoughts on “Inocência?