Eu monitor chefe?Não! – Cap 15 1


Anteriormente:

A Lene adora implicar comigo. Vê se pode… Ela briga por que eu não dou uma chance para o Potter, mas eu não estou louca ainda!

E quem te contou essa mentira ruiva? Você sempre foi maluca!

Esqueçam o Sirius e vamos direto para o que interessa, a minha versão da história!

Cap 15 – Dias Monótonos

Não vou começar a minha história igual o Tiago, vou pular a parte do plano diabólico deles e dizer simplesmente que naquela semana os maroto estavam estranhos…

Muito estranhos por sinal. Eles andavam rodeando o coitado do Remo que fugia deles como Diabo da cruz.

Como sempre… Sempre que eles estão muito quietos, como estavam naquela semana significava apenas uma única coisa: eles estavam aprontando, e eu amo pegar os marotos aprontando… É tão bom dar detenções para eles… Eles ficam o dia inteiro me paparicando para que a detenção seja bem fácil, mas aí é que eu fico com raiva mesmo… O Potter merece a pior detenção da escola, alias, se possível a expulsão!

Lembro-me que um certo dia dessa mesma semana eu estava saindo do meu dormitório de dei de cara com os maroto, escutei eles brigando e resolvi ajudar o Remo:

– Mal acordaram e já estão fazendo escândalos? Potter, Sirius… Querem deixar o coitado do Remo em paz? – perguntou Lily surgindo da porta em baixo da escada.
– Agora não é hora para sermão Lily! – disse Sirius irritado.
– Bom dia para você também ruivinha! – me disse o chato do Potter com aquele sorriso irritante dele, aquele sorriso sedutor que não adianta nada comigo!

Mal começou a narrar a já esta mentindo!

Não é mentira Lene!

– Eu estou com fome! – a voz do chato do Pedro se fez presente pela primeira vez.
– Vamos comer. Deixem esse traidor monitor-chefe aí. – disse o Sirius realmente aborrecido.
– Como você agüenta isso? – eu perguntei para o Remo inconformada cm aquela situação… Os marotos são muito chatos… Sorte que o Remo salva o grupo.

E assim eu e o Remo saímos do salão.

– Eles são legais Lily! Só que às vezes exageram! – me respondeu o Remo assim que saímos.
– Legais? Realmente não sei como você os agüenta!
– Assim como você agüenta a Lene. – me respondeu ele rindo.
– Ei! Reclamei. – A Lene é legal!

Sou mesmo!

– Eles também são Lily. – me respondeu meu amigo loiro.

Achei melhor não discutir mais sobre aquilo, a minha discusão com o Remo sobre esse assunto já durava anos.

Ficamos tomando café e conversando animadamente.

– Então os marotos estão assim por que eles querem aprontar alguma coisa que você não concorda? – Perguntei revoltada.
-É… – me respondeu o Remo receoso. – Mas veja como eles são legais… Até me perguntaram o que eu acho…
– Mas estão brigando com você! – eu disse revoltada.
– Mas eles não podem agir assim com você só por causa disso… – disse Marlene parecendo irritada.
– Os dois são assim. Logo eles voltam ao normal. – respondeu Remo.
– Você deveria parar de andar com eles… Eles são muito crianças Remo! – eu disse revoltada, e para quem não entendeu o recado é claro que eu estava falando do Potter, e ele pensa que eu não sei, mas eu vi que ele estava escutando a conversa, ou pelo menos um pedaço dela quando eles passaram do nosso lado.
– Eles são ótimos amigos Lily. E confio muito neles e sei que eles só vão aprontar se eu permitir. – me respondeu o Remo.
– Você se engana muito fácil com eles Remo. Pare de ser ingênuo! – eu disse enfiando mais uma torrada na boca.

Fomos para a sala e adivinhem? O Potter e o Sirius chegaram atrasados na aula como sempre. E eles ainda são caras de pau.

– Já é a terceira vez nesse ano e só tivemos quatro dias de aulas. O que estavam fazendo? Não vão dizer que perderam à hora por que os senhores Lupin e Pediggrew estavam aqui na hora. – disse a professora nervosa parando a aula. Como eu queria que ela desse uma suspensão para os dois.
– Não nos acostumamos ainda com o novo horário e acabamos indo para a sala de poções, como era a nossa primeira aula na segunda feira ano passado. – respondeu o Sirius com a maior cara de pau.
– Podem se sentar, mas espero que tenham mais cuidado da próxima vez. Olhar o horário antes de sair do dormitório é uma boa opção. – não acredito que a minha amada professora caiu nessa conversa mole do Sirius.

Fiquei olhando a professora indignada por algum tempo. Eu não estava acreditando que ela tinha deixado os dois impunes.

A mais uma vez tive azar. A Lene tinha se sentado em outro lugar para ficar paquerando um garoto. Resumindo tinham sobrado só dois lugares para o dois atrasados se sentarem, ou comigo ou com a Lene. Rezei mentalmente para que o Sirius se sentasse comigo, mas infelizmente ninguém ouviu minhas preces.

– Posso me sentar contigo Lírio? – perguntou o traste irritante tentando se mostrar um ser gentil, coisa que ele não é.
– Infelizmente não tem outro lugar para você s sentar Potter. – respondi depois de verificar mais uma vez se não tinha outro lugar mesmo para ele se sentar
– Obrigado. – ele me respondeu sorrindo.
– E é Evans para você Potter. – eu disse em um cochicho irritado.
– E para você é Tiago. – ele me respondeu passando as mãos pelos cabelos.
– Não enche Potter! – eu disse visivelmente tentando não gritar, mas minha voz ainda assim não passou despercebida pela professora que falava sem parar.
– Senhor Potter, será que pode parar de perturbar sua colega e nos dizer como qual feitiço usamos para transformar objetos de madeira em objetos de ferro? – eu já disse que adoro a professora Mcgonacall?

Vi que o Potter não sabia a resposta… Fiquei rindo internamente.

– Estamos esperando a resposta senhor Potter! – disse a querida proffessora a minha frente.

Ele me olhou apreensivo me pedindo ajuda, então tive que fazer um acordo com ele:

– Se não me perturbar na aula eu te conto. – eu sussurrei.

Ele mexeu a cabeça levemente concordando e mais um ponto para Lílian Evans que se livrou das chatices do Potter por mais uma aula.

Eu dei a resposta e depois do traste a dizer a professora ficou o olhando com uma cara do tipo: “Como você soube responder?”, fiquei até com dó da professora, mas foi melhor assim…

– Como nosso amigo Potter nos disse… – começou a professora, mas fui falar com o Potter
– Você deveria prestar atenção nessa aula, ela vai cair nos NIEN’s. – eu disse com um leve sorriso. Ao me perguntei por que eu sorri. As vezes eu faço coisas sem entender.

Depois disso as coisas continuaram calmas, mas como o que é bom dura pouco eu estava passeando pelo castelo para ir me encontrar com a Lene o jardim quando escutei uma discussão dos marotos e do Snape:

– Que maus modos são esses Ranhoso… – disse o energúmeno do Potter fazendo sinal de negação. – Só fizemos uma pergunta inocente. E quando você vai seguir meu conselho e lavar esse cabelo? Tem medo de água? – perguntou rindo.
– Não precisa ter medo de água Seboso… Ela não faz nada. Quem faz alguma coisa é a lula gigante se você resolver tomar banho no lago dela. Quer experimentar? – perguntou Sirius já com a varinha pronta.
– Me deixem em paz. Potter e Black, vocês são uns arrogantes. Pensam que mandam na escola…
– Acho melhor não falar mal deles Ranhoso. – disse Remo se juntando a nós também com a varinha em punho.
– Agora o mestiço também veio se intrometer na conversa… – disse o Seboso parecendo sem paciência.
– Mestiço? – perguntou o Potter já irritado.
– Pensam que eu não sei que seu amiguinho esconde um grande segredo. Quando eu tiver certeza todos vão saber, e o Lupin vai ser expulso da escola.

Remo ficou mais branco do que costuma ser. Sirius ficou estático. O Pedro quase borrou as calças como de costume, e eu? Fiquei muito nervosa. Como o Snape sabia do segredo do Remo? Eu demorei anos para descorir!

– Ora Ranhoso, acho que você esta lendo livros de terror de mais… – disse o chato tentando descontrair e consegui. Logo todos já estavam rindo, menos eu que não vejo graça nenhuma nessas piadas dele.
– Eu sei que tem algo a esconder Lupin… – disse o Snape apontando o dedo para o Remo.
– Acho que você é que esta escondendo coisa de mais Ranhoso… Como fez para aumentar tanto o tamanho do seu nariz? Não é possível que sua mãe tenha dado a luz a um ser tão feio. – disse o Remo rindo e fazendo uma explosão de risos no local.
– Não Remo… Acho que tudo isso é falta de banho… Devemos dar uma ajudinha para ele… – disse Sirius com um sorriso maléfico no rosto.
– Não podemos deixar de ajudar um amigo… É nosso dever de cidadão… Primeiro… – disse aquele traste com um sorriso maroto, estava na cara que ele iria aprontar. – Água! – e jogou aguar no Snape.
– Segundo: Sabão! – disse o Sirius rindo o enchendo o lago de sabão cor de rosa.
– Depois tem que se esfregar senão não vai adiantar tomar banho… – disse o Remo fazendo aparecer uma escova gigante que ficou afogando o Ranhoso.
– E por último, você precisa de um brinquedo para se distrair na banheira. – disse o Pedro fazendo a lula acordar e começar a querer matar o Snape que se debatia na água.

Até o Remo aprontou… Apesar do Snape merecer… Mas eu tive que fazer alguma coisa:

– Potter, Black, Pettigrew, e até você Remo… Tirem ele da água agora! – gritei irritada.
– Ele merece Lily! – disse o Sirius ainda rindo.
– A festa acabou. Todos para o castelo! – gritei para os outros alunos, enquanto nós ainda assistíamos o Snape fugindo da lula. – Tirem ele dá água! – gritei mais uma vez já pegando a varinha para atacar os meninos. – Vão tirar ele da água ou esperam que eu faça isso? –perguntei vendo que eles não iriam fazer nada.
– Se acalme Lily… – pediu o Remo calmamente.
– Vocês vão matar ele… – eu disse assustada vendo que a lula finalmente alcançou o Ranhoso.
– Vaso ruim não quebra! – quem disse dessa vez foi o não acredito que ele me disse isso… Fiquei ainda mais nervosa.
– Cala a boca Pettigrew! – eu disse tentando me acalmar lançando um feitiço que deixou o Pedro sem voz.
– Calminha minha florzinha… – disse o Sirius tirando o Snape da água.
– Sua florzinha é a mãe, Black! – Gritei antes de correr até o Snape para o ajudar.
– O que deu em você para tirar ele de lá? Ele mereceu! – disse o imprestável do Potter brigando com o Sirius enquanto eu brigava com o Snape por ter aceitado a chantagem daqueles idiotas.

Briguei com o Snape e depois que ele estava indo embora ouvi o Sirius rindo:

– Rindo do que Black? – perguntei chegando perto deles.
– Nada não Lily. – respondeu o Sirius
– Vou conseguir uma bela de uma detenção para vocês… – eu disse sorrindo feliz.
– Você que vai monitorar ruivinha? – perguntou o traste passando as mãos nos cabelos já feliz com a noticia.
– Não enche a minha paciência Potter! – respondi rispidamente – Não se preocupe Remo, vou falar agora mesmo com a professora Minerva… E os cinco estão em detenção até segunda ordem… – eu adoro dar detenção neles!
– Você não pode me dar detenção Lily! – protestou meu amigo Remo.
– Não posso, mas o Victor pode. – eu disse mostrando o monitor da Lufa-lufa.

O Remo estava irritado e vi o Victor me mandar um beijo, e eu sorri para ele feliz. Pelo menos ele era bonito.

Depois desse episódio fiquei conversando com a Lene, mas não agüentei ela falando como amou beijar o cara, então fui para o salão comunal e quem eu encontro? Quem disse o inútil do Potter acertou.

– Boa noite meu lírio. – ela me disse ao pé do meu ouvido.
– Má noite Potter! E pela milésima vez, me chame de Evans. Não te dei intimidade para mais nada. – eu respondi irritada tentando me afastar dele traste.

Vai dizer que não sentiu nenhum arrepio quando ele disse aquilo no seu ouvido?

Não!

Mentirosa!

– Mas podemos ter intimidade agora se aceitar sair comigo. – ele me disse me irritando ainda mais.
– Já disse que NÃO Potter! – gritei no ouvido dele, quem sabe assim ele me escutava – E não pensa que vai ficar sem detenção. A professora disse que vai pensar em algo para vocês fazerem. – eu disse triunfante.
– Sendo do seu lado… – que cantada mais velha!
– Sendo do seu lado vai ser um inferno… – eu respondi já imaginando o Potter me perturbando na detenção.
– Isso mesmo ruiva… Quente e pervertido. – ele me respondeu. Eu não acredito que ele me disse isso. Quem ele pensa que é para falar assim comigo? Não sou uma qualquer.

Adivinhem o que eu fiz? Bati nele é claro!

– Quem fala o que quer ouve o que não quer! – e disse o Remo enquanto o Potter massageava o rosto que ainda tinha a marca da minha mão
– Vamos Remo? – perguntei ignorando o Potter.
– Vamos Lily. – respondeu o Reminho.
– Boa noite Lene! –eu disse para a minha amiga
– Eu não ganho nem um “boa noite Tiago?” – me perguntou o traste.
– Má noite Potter! – eu respondi entrando na sala dos monitores.

Eu e o Remo fomos fazer os relatórios.

Longa noite de relatórios por sinal!

Cap Anterior

Próximo Cap


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

One thought on “Eu monitor chefe?Não! – Cap 15

  • Wateru

    Bastante interessante a versão da Lily para os fatos! :ddd:
    É até bom porque faz lembrar as partes que já passaram há tanto tempo. Já tava dando saudade *.*

    E outra coisa que me deixa feliz é que, pelo visto, vai ser um pouco mais fácil pra você escrever os capítulos, e isso significa que teremos caps mais rapidamente! :naughty:
    Pelo menos é o que eu espero >.<

    [Responder]