Cenário – Tempo e Espaço 13


Cenário – Tempo e espaço
Todos nós sabemos o que significa cenário, principalmente quando estamos falando de uma peça de teatro, mas o cenário literário é um pouco mais que isso, afinal o autor precisa descrever o cenário deixando que o leitor visualize tudo, e é aí que as coisas começam a complicar.

Muitos autores principiantes tem dificuldades no começo para descrever cenário, nos meus primeiros livros por exemplo, você encontra a escassez de descrição de cenário. Aqui vão algumas dicas e sugestões que podem ajuda-lo nessa hora.

Tempo e espaço

O tempo e espaço:

Muitas histórias se passam em um curto período de tempo; outras têm um enredo que se estende por muitos anos. O tempo em um conto, geralmente é mais curto em relação ao romance e a novela, nestes o transcurso do tempo é mais dilatado. No romance, novela e conto, o tempo é fictício, ou seja, correspondem aos eventos da história. Por isso, o tempo da história nem sempre coincide com o tempo em que ela foi escrita ou publicada.

É importante também, não confundir o tempo do narrador com o tempo da ação(eventualmente pode ser o mesmo). Exemplo: “Eu tinha onze anos”, afirma o personagem-narrador. Pelo pronome pessoal e o verbo no pretérito podemos perceber que o tempo da ação está no passado, mas, o da narração, no presente da história.

No romance, novela e conto há dois tipos fundamentais de tempo: o cronológico ou histórico e o psicológico ou metafísico.

  • relogioCronológico ou Histórico

É marcado pelo ritmo do relógio, pelo movimento do sol (alternância dia-noite), pelo calendário, pelas estações do ano. É o tempo visível ao leitor mais desprevenido: este vê a história desenrolar-se à sua frente. Serve de exemplo, o segundo capítulo de Senhora (José de Alencar); logo à entrada, observa-se a seguinte cronologia:

“Seriam nove horas do dia. Um sol ardente de março esbate-se nas venezianas que vestem as sacadas de uma sala, nas laranjeiras.”

O processo narrativo no tempo cronológico pode apresentar os fatos no momento em que estão acontecendo, isto é, no presente da história, ou, então, no passado, quando já perfeitamente concluídos. Da mesma maneira, pode também misturar os dois, utilizando a técnica de flashback, para um exemplo da técnica leia Whisk a go go.

O flashback tem a função de esticar a trama, apesar que o flashback cumpre papel importante na caracterização dos personagens e na introdução de elementos explicativos do passado para os conflitos do presente da narrativa.

Não podemos esquecer que se a história esta passando em outra época temos que levar em conta os costumes, linguagem, vestuário, da época em questão. Não podemos escrever uma história que acontece na idade média com as mulheres de calça jeans e todo mundo falando girias. Os costumes da época em que o texto ocorre é de extrema importancia!

Generos que mais utilizam tempo cronológico:

As narrativas de ação usam o tempo cronológico. As Históricas, que fazem referência a fatos históricos reais, usam o tempo histórico. Referem-se a épocas passadas e apresentam uma cronologia que corresponde à realidade histórica do passado.

  • psicologicoPsicológico ou Imaterial

Também conhecido como metafísico. Este tempo não obedece à cronologia, não mantém nenhuma relação com o tempo propriamente dito. O tempo psicológico acontece no interior de cada personagem numa ordem determinada pelo desejo ou pela imaginação do narrador ou dos personagens e reflete suas vivências subjetivas, suas angustias e ansiedades.

Falas como “Ah, o tempo não passa…” ou “Esse minuto não acaba!” refletem o tempo psicológico. Daí, dizer-se que o tempo psicológico altera-se de pessoa para pessoa. O que importa,  é o momento da personagem, suas emoções e reflexões.

Para exemplificar, observe esta passagem do conto Missa do Galo (Machado de Assis), em que o narrador-personagem espera a meia-noite da véspera de Natal:

“Os minutos voavam, ao contrário do que costumam fazer, quando são de espera; ouvi bater onze horas, mas quase sem dar por elas, um acaso”.

Observe como o tempo para o narrador-personagem e voa. Quer dizer, parecia que voavam, pois, era esta a sensação que ele, tinha naquele momento.

O Cenário:

Um cenário é composto de elementos físicos e/ou virtuais que definem o espaço cênico, bem como todos os objetos no seu interior, como cores, texturas, estilos, mobiliário e pequenos objetos, todos com a finalidade de caracterizar o personagem, e tendo como base os perfis psicológico e econômico determinados na sinopse ou em um briefing.

Não podemos deixar os personagens voando por aí, o leitor sempre tem que saber onde o personagem se encontra, pois faz extrema diferença se o personagem esta na sala, na cozinha, no sótão, no meio da rua. Tudo que o autor descreve para que possamos identificar o lugar faz parte do cenário.

Podemos fazer isso diretamente:

“Uma sala repleta de móveis sobre o piso de linóleo, móveis pesados, de feitio antigo: o enorme sofá, a mesa negra, a cristaleira, o relógio…”

Ou ir dando dicas ao longo do texto, o que é claro dificulta para o leitor desatento.

Não podemos também esquecer de citar pequenos gestos importantes dos personagens “E ela cruzou os braços a altura do peito.” Coisas simples como a expressão facial, gestos com as mãos pode facilitar a comunicação do texto com o leitor, fazendo com que ele veja claramente a cena e consiga absorver mais informações tanto sobre a cena quando sobre os personagens envolvidos.

Só tome cuidado para não exagerar na hora da descrição, um texto que passa mais tempo descrevendo o lugar do que contando a história em si acaba cansado o leitor mais facilmente e fazendo ele absorver menos a história.

Para dúvidas deixe o seu comentário.

Menu

Consultoria para novos autores


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

13 thoughts on “Cenário – Tempo e Espaço

  • daniel

    Ola Vanessa queria que você desse uma opinião sobre o prologo do meu livro olha so:

    O condomínio City Rio de janeiro Leblon cidade maravilhosa. Uns dos condomínios mais luxuosos do rio de janeiro. Jardim sempre impecável pintura muito bonita uma segurança de guerra enfim. O condomínio perfeito boa vizinhança e ect. Lá e que mora Henrrique, Laura, Cleber e Sara quatro amigos muito unidos. Henrrique Parissom e um garoto ruivo e magricelo que adora dormir mais que tudo. Sua mãe Marcia esta sempre gritando para ele acordar pra ia pro colégio. Seu pai Carlos esta sempre muito ocupado com sua construtora, por isso quase nunca esta em casa. Bom a vida de Henrrique e como uma vida normal como todo pré-adolescente dorminhoco, mas por enquanto.
    Sete hores de uma manhã muito ensolarada Henrrique estava dormindo parecia estar sonhando com algo engraçado quando pulou da cama assustado com o grito de sua mãe dizendo:
    – HENRRIQUE! Acorda já esta na hora de ir pro colégio já são sete e meia!
    Henrrique acordou com a cara amassada olhou para o relógio, eram sete horas em ponto. Henrrique disse:
    – Há! Odeio quando ela faz isso.
    Henrrique se levantou da cama enxugando os olhos e foi direto para o banheiro meia hora depois ele saiu já estava arrumado pegou sua mochila e se dirigiu para cozinha, desceu as escadas atravessou a sala e foi para cozinha, sua mãe parecia estar preparando um pudim então Henrrique deu um beijo no rosto de sua mãe alisou seus longos cabelos castanhos e disse:
    – Mãe já estou indo.
    – Mas já? Você ainda nem tomou café.
    – Estou com o meu café na mão. – disse Henrrique segurando uma maça

    E ai ta bom ou esta ruim aguardando a sua resposta o mais rapido possivel!! por favor responde e de sua opinião.

    [Responder]

    daniel Reply:

    POOOOOOOOOOOOOOOXA VANESSA ESTOU AGUARDANDO A SUA RESPOSTA AO MAIOR TEMPÃO RESPONDE AE PÓ

    [Responder]

    Vanessa Sueroz Reply:

    eu te mandei um email sobre o assunto qdo seu comentário saiu rsrsrs eu gostei do texto, só coloca mais ação em cada fala como fulano disse, a entonação de voz, essas coisas, fica bem melhor, tipo: – Mãe já estou indo. – respondeu ele bufando de raiva porque sabia que estava atrasado.

    Bjos

    [Responder]

    daniel Reply:

    valeu a e muito obrigado kk e q eu nao entro nesse email entro no gmail mas vou conferir

  • daniel

    ooi muito obrigado pela ajuda estou escrevendo uma saga mas assim no meu livro estou escrevendo os cenario mas importantes mas tambem falo de algumas coisas no começo do me livro ele começa assim:
    Henrrique estva dormindo em seu quarto roxo.
    quando tentei escrevelo de primeira eu descrevia tuda e a leitura ficava chata sem açao muito obrigado por mi ajudar e uma pergunta presciza descrevber detalhadamente todos os cenarios ou so os mais inportantes? grato

    [Responder]

    Vanessa Sueroz Reply:

    Oie Daniel,

    Na verdade não é necessário descrever todos os cenários, é sempre bom, mas vai depender do seu estilo de escrita e história. Se você quer uma leitura mais detalhada, provavelmente vai gostar de descrever cada cena, se quiser isso pode pegar alguns livros como “Senhor dos Anéis” e “Operação cavalo de Tróia” que são livros que tem bastante descrição de cenário. Mas isso sempre fica a critério do autor.

    [Responder]

    daniel Reply:

    obrigado e que eu to meio confuso e a primeira vez que decido escrever algo que quero levar pra frente estou meio apreesivo muio obrigado por responde

    [Responder]

  • Jey

    Realmente amei o seu blog, tem muitas coisas das quais eu não sabia, então os artigos irão me ajudar muito. Talvez com isso, os meus textos consigam ficar mais completos e menos maçantes.
    Agradecendo desde já.
    Jey

    [Responder]

    Vanessa Sueroz Reply:

    Obrigada Jey. Espero que continue achando coisas úteis por aqui. Qualquer dúvida que tiver e eu puder ajudar… Estamos ai!

    [Responder]