A casa dos gritos – Cap 2 3


No capitulo anterior

– Dispensados! – eu gritei para o time.

Definitivamente foi um bom treino. Era bom que as meninas estivessem por aqui sempre, assim os meninos ficam mais animados, inclusive eu!

Ver aquela ruiva ali, torcendo por mim, mesmo que discretamente.

Fomos rapidamente para o vestiário. Nada melhor do que um belo banho para deixar a minha ruiva com mais vontade ainda de me agarrar.

Cap 2: Cabelos

Narrado por Lílian Evans

E lá se foi mais um dia tedioso onde eu perdi a única coisa boa do dia, à hora me que o Potter pega o maldito pomo de ouro.

Só por que eu estou dizendo que essa é a melhor parte do dia, não quer dizer que ficar olhando o Potter em cima de uma vassoura seja uma coisa boa, pelo contrário, me dá até nojo, mas como o dia já foi ruim, acho que a única coisa que poderia se salvar era a hora do pomo, por que ai finalmente acabaria o treino e eu poderia voltar para o meu dormitório.

Depois de muito tempo eu finalmente criei coragem e desci para o salão comunal onde o pessoal estava conversando em frente à lareira.

Vi a Dora envergonhada, e o que quer dizer que o Six, a Lene e o Potter estavam se divertindo as custas da Dora e do Remo. Eu até que gosto de deixar meus amigos envergonhados, isso é bem divertido, o problema é que só restava um único lugar, ao lado do Potter, e é claro que eu não iria me sentar ali!

Por que eles nunca facilitam? Já falei que eles não vão conseguir manter eu e o Potter no mesmo grupo de amigos por muito tempo, mas eles insistem. Então para mostrar a minha revolta interna eu peguei meu livro de poções e fui me sentar do outro lado do salão.

Fiquei sem meus amigos, mas pelo menos o Potter esta bem distante.

Ok! Depois de dez minutos meu plano falhou.

São bons amigos, mas tinha que trazer o traste junto com eles?

É… Eles estão todos vindo na minha direção, no mínimo vão ficar por aqui.

– Que coisa mais feia… Fugindo dos amigos ruivinha! – me disse o Sirius já se jogando em cima de mim no sofá.
– Você vai esmagá-la Sirius! – reclamou o Remo.
– Quem sabe esmagando a pobre ruiva ela fique um pouco maior.

Ele ainda tem coragem de me zoar por causa da minha altura! Não tenho culpa de ser baixinha!

– Ei! – reclamei com o Sirius que ainda estava em cima de mim.
– Montinho na Lily! – escutei a Dora gritando.

Se eu sair viva eu juro que mato a Dora!

O Pedro não! – foi meu ultimo pensamento antes de ser esmagada.

Estou viva… Ainda!

– Estou ficando sem ar! – reclamei tentando me manter viva.
– Dê espaço para a ruivinha respirar! – escutei o Potter pedindo e logo aquele peso todo do pessoal saiu de cima de mim.

Até que o Potter não é tão inútil assim.

– Será que ela esta viva? – escutei o Pedro perguntando.

Ótimo… Eu devo estar com a maior cara de tapada!

– Eu faço respiração boca-a-boca nela. – escutei o Potter dizendo.
– Estou bem! – eu disse na mesma hora.

Meu corpo esta todo dolorido. Acho que preciso de uma massagem.

– Vocês queriam me matar? – gritei assustando o Sirius que estava do meu lado.
– Lenezinha… Faz ela parar de gritar com o Six. – ele disse fazendo manha.

Falando com essa voz e essa carinha de cachorro sem dono o Sirius até que parece uma criança inocente.

– Me solta Sirius. – reclamou a Lene empurrando o Six para cima do Remo.
– Seu amante é o Tiago, Sirius. – reclamou o Remo empurrando o Six.
– Sai fora… Sou mais a ruiva. – reclamou o Potter empurrando o Six.
– Ninguém me ama! Ninguém me quer! – reclamou o Six fingindo choro.
– Coitadinho Six! Eu te quero! – brinquei abraçando ele.
– Ela não resiste vendo um homem chorando. – escutei a Alice comentando com o Frank.
– Essa é uma boa informação. – escutei o Potter falando do meu lado.
– Agora sem dramas. Hora de todas as crianças irem dormir! – escutamos a Alice dizendo.
– Ei! A monitora aqui sou eu! – reclamei.
– Só estava brincando senhora monitora. – respondeu a Alice fazendo uma reverencia.
– E eu também. – respondi rindo.
– Quando é o próximo passeio para Hogmead? – perguntou o Pedro.
– Sábado. – respondi na mesma hora.

Adoro ser monitora… Eu sempre sei dos passeios.

– E lá vamos nós para mais uma sessão de segurar vela para a Alice e para o Frank. – disse a Lene entediada.
– Já disse que o Frank entenderia se eu quisesse passar metade do dia com vocês. – nos disse a Alice.
– Não queremos atrapalhar o casal. – eu respondi entediada.

Hogmead é sempre a mesma coisa. Vamos a dedos de mel e ficamos vendo a Alice e o Frank no maior love, damos uma volta pela cidade ainda segurando vela e depois vamos ao três vassouras onde ajudamos o Remo a fazer o Pedro parar de comer e ficamos segurando vela para o Sirius (que sempre aparece com uma “amiga” nova) e as vezes para o Potter, mas o ultimo geralmente não leva a acompanhante para lá.

– Hogmead é sempre a mesma coisa. – reclamou a Dora. – Poderíamos fazer alguma coisa diferente dessa vez.
– Poderíamos sair só o nosso grupo para variar. – sugeriu a Lene.

No mínimo ela disse isso para não precisar ver o Sirius se agarrando com outra.

– Minha primeira opção é sempre a Lily, mas como ela nunca aceita… – começou o Potter.
– Aí é que esta o problema Tiago. – respondeu a Alice revirando os olhos.

Esse Potter não tem jeito. Agora quer até arrumar desculpas para ficar se agarrando com metade da escola.

– Que problema? – perguntou o Sirius.
– Mas como são lerdos! – reclamou o Remo entediado.
– A Lily pode até ser a primeira opção, mas não é a única. – respondeu a Alice como se ninguém tivesse interrompido.
– O dia que ela aceitar sair comigo ela será a única. – respondeu o mala sem alça.
– Até parece! Você não consegue ficar sem agarrar ninguém, piorou se contentar com uma garota. – respondi irritada.

Odeio quando o assunto toma esse rumo.

Narrado por Tiago Potter

Sinceramente ainda não entendi por que todo esse drama.

Eu já não disse que a Lily é única para mim?

Mas se ela não me quer… Tem quem queira.

– Ele já tentou ficar sem ninguém para provar para você que gosta de você, mas você nem se importou. – respondeu o Sirius para a Lily.
– Isso só prova que ele não consegue. Senão não teria voltado a namorar metade da escola. – reclamou à ruivinha.

Ela fica tão lindinha assim com ciúmes.

O problema é que toda vez que a Lily fica com ciúmes eu me dou mal na história.

Lembro-me da última vez… Eu estava em Hogmead com a Luana da Corvinal, e como se costume fui me encontrar com os marotos ao três vassouras e como sempre as meninas estavam com eles.

Como eu ia dar um fora na Luana mais tarde e ela era muito chata eu não podia a deixar ficar falando para não estragar o clima, então passei a maior parte do tempo a beijando, o problema é que a Lily ficou com ciúmes e logo nós dois estávamos discutindo, por isso evito levar minhas ficante para o três vassouras. A Lily sempre sai brigando comigo e depois demoro dias para fazer-la voltar a olhar para a minha cara.

– Por que não mudamos logo de assunto? – perguntou a Dora entediada.
– Então está combinado. Sábado vamos ao três vassouras, e ninguém leva acompanhante. – disse a Lene empolgada.

O Sirius é que não vai gostar disso.

– Ei! E o Frank? – reclamou a Alice.
– O Frank já esta convertido para os marotos. – respondeu o Remo dando de ombros.
– Mas é claro que o Frank pode ir. – eu disse na mesma hora.

Quando a Alice esta com o Frank ela me ajuda ainda mais com a Lily. Ela sempre fazendo alguma piadinha ou comentário. E eu adoro quando a Lily fica corada!

– Mas a parte da manhã eu posso sair com alguém? – perguntou o Pedro.

Até parece que ele vai sair com alguém.

Ele só quer comer em paz, por que sabe que não vamos deixar ele se empanturrar de comida do nosso lado.

Ninguém quer pagar a conta do Pedro no bar.

– Se a sua acompanhante for à comida… – respondeu a Dora rindo.
– Eu tenho a intenção de sair com uma menina sim. Ou vocês pensam que só o Tiago e o Sirius que podem?
– Na verdade eles também não poderiam, mas… – começou a Alice.
– Pode sair com a sua garota Pedro. – respondeu a Lily já sem paciência.
– Garota do Pedro? E desde quando o Pedro tem garota? – perguntou o Sirius para zoar com o Pedro.
– Ei! Eu tenho uma garota. – reclamou o Rabicho.
– Vamos você tem uma garota tipo o Pontas tem a ruiva, ou você tem uma garota tipo o Frank que tem a Alice? – perguntou o Almofadinhas sorrindo debochadamente.
– Querem deixar o garoto em paz? – reclamou à ruivinha.
– E o que vamos fazer de bom em Hogmead? – perguntou a Dora para dar fim à discussão que eu e a Lily iríamos começar.

Mas como eu adoro perturbar a Lily eu queria discutir.

– Podemos beber umas cervejas, ficar bêbedos e escutar as meninas contando os podres delas. – sugeri.

Quem sabe bêbada a Lily confesse o seu grande amor por mim.

– Ou podemos simplesmente sair e conversar. – sugeriu a Alice.
– Poderíamos fazer um piquenique. Aproveitar por que logo começa e inverno… – sugeriu a Lene.
– Poderíamos fazer o piquenique aqui no castelo mesmo. Precisamos fazer algo que não fazemos sempre. – comentou o Aluado pensativo.
– As meninas poderiam nos ajudar a pegar umas gatinhas novas. Elas nunca ajudam mesmo. Seria até que bom. – sugeriu o Almofadinhas.
– Claro… Depois que vocês nos ajudarem a arrumar um belo namorado. – comentou a Lily revirando os olhos.

Eu seria um namorado perfeito para ela.

– Mas já arrumamos um namorado para você! – respondi na maior cara de pau.

Vi todos me olhando com os olhos arregalados, enquanto a Lily finalmente olhou para mim.

– E quem seria Potter? – ela me perguntou com os olhos vidrados em mim.

Eu sei como conquistar uma garota!

Narrado por Lílian Evans

E agora estou aqui olhando para o Potter, alias, não só eu como a turma inteira.

Desde quando o Potter arruma namorado para mim?

Geralmente é ele que estraga os meus namoros arrumando briga com os pobres coitados.

– Não faz nem idéia ruivinha? – ele me perguntou com a maior cara séria.

Até que o Potter fica bonitinho quando está sério.

– Não. Não faço idéia Potter. – respondi séria também.

Até que é legal ficar provocando o Potter desse jeito. Parece que estamos competindo para ver quem consegue ficar mais tempo sem rir. E é claro que eu vou ganhar.

– Eu posso ser seu namorado na hora que você quiser. – ele respondeu sorrindo.

Não falei que eu iria ganhar?

– Sonhar faz bem, mas não no seu caso. – respondi não dando importância para ele.

O segredo disso tudo é o desprezo. Qualquer dia ele se cansa de me irritar e vai procurar algo mais interessante para fazer. E espero que esse dia não demore a chegar.

– Como você esta agressiva hoje meu amor. – me disse o Potter com uma voz melosa e pegando nos meus lindos fios ruivos.
– Não encoste Potter. Eu posso ficar contaminada com o seu vírus da estupidez. – respondi me afastando dele.
– Esta assim só por que ele pediu para namorar você? Que isso ruiva… Você não pode ficar tão estressada por causa disso ou você vai acabar morrendo de estresse. Você sabe que ele nunca vai parar com isso. – me respondeu o Six.
– Dizem que a esperança é a última que morre. – respondi sorrindo para ele.

Minha esperança de o Potter desistir desse palhaçada de em ter como troféu ainda esta intacta.

– A minha esperança também é a última que morre ruiva. E pode apostar que algum dia você ainda vai me quere ainda mais do que eu te quero. – me respondeu ele piscando o olho direito.
– Não vamos exagerar Pontas. Mais do que você a quer? Eu acho isso meio, alias totalmente impossível. – respondeu o Remo.
– A não ser que você faça uma poção do amor para ela. – respondeu o Sirius rindo feito louco.
– Não gostei da piada! – respondemos eu e o Potter juntos.

Em pelo menos alguma coisa nós teríamos que combinar, não é?

– Nunca iria fazer uma coisa dessas com nenhuma mulher, muito menos com a minha Lily. Ela tem que me amar pelo que sou e não por causa de uma poção ridícula. – respondeu o Potter parecendo ofendido.

Uau! Até eu quase acreditei no que o Potter disse.

– Concordo plenamente com o Tiago! – disse a Lene sorrindo e o abraçando pelo pescoço.

Por que a Lene sempre tem que estar abraçada com o Potter? Eca! Por que ela não abraça alguém menos nojento?

– Já soltei Lil. – ela me disse indo se sentar do lado do Remo.
– Ah?

Do que aquela doida estava falando?

– Não finja que não estava com ciúmes por que todo mundo viu a sua cara de assassina agora a pouco olhando para a Lene e o Tiago. – me respondeu a Alice risonha.
– Eu estava normal Lice. Nem vem com essa história! – respondi já ficando nervosa.

Eu estava com cara de nojo. Nunca que eu iria ficar com ciúmes do mala sem alça do Potter. Até parece!

– Ok! Nada de brigas… Eu sei que a ruivinha me ama e ela sabe que eu sou todo dela. – respondeu o Potter com aquele irritante sorriso maroto nos lábios.
– Se não quer brigas… Então por que fica contando mentiras Potter? Não sabe que é feio mentir? – perguntei lançando para ele o meu melhor olhar de raiva.
– Você fica uma gracinha quando esta nervosa Lily. – ele me respondeu colocando a mão no meu queixo.

Certo! Um alarme vermelho soou na minha cabeça: “Ele esta próximo de mais”

– Sou uma gracinha, mas não para o seu bico. – respondi me afastando.

Eu tentei disfarçar e acho até que deu certo. Ele nem deve ter reparado que me afastei por que não achei muito seguro para eu ficar tão perto dele assim.

Meus hormônios às vezes falam mais alto que meu cérebro.

Narrado por Tiago Potter

Eu tive que me aproximar dela.

A vontade foi maior que eu.

Ela é linda de qualquer jeito, mas quando fica brava…

– Você fica uma gracinha quando esta nervosa Lily. – eu disse já pegando no queixo dela.

Certo. Só mais alguns centímetros e eu alcanço a boca dela.

– Sou uma gracinha, mas não para o seu bico. – ela respondeu se afastando.

Mas ela se afastou muito rápido para quem estava tudo bem com a situação.

E eu sei o que se passa naquela cabeça ruiva. Ela tem medo que eu a beije e ela não resista, por que aí ela não vai mais poder fingir que não me ama.

Lily, você definitivamente é uma medrosa.

– Por que não vamos dormir antes que os dois comecem mesmo a brigar? – perguntou a Dora com a maior cara de tédio.
– Melhor irmos mesmo. Eu tenho que desmarcar alguns encontros que tinha marcado para o sábado. – reclamou o Almofadinhas emburrado.
– Desmarcar? – perguntou o Rabicho indignado.
– Ou melhor, preciso adiantar uns encontros para amanhã. – disse o Almofadinhas com um sorriso maroto.
– Espero que você peça todas as noites para nunca se apaixonar Sirius. – disse o Aluado inconformado.

Não sei como o Aluado não se acostumou ainda com os tantos encontros diários do Almofadinhas, os encontros as vezes até nos envolve tendo que dar cobertura as saídas estratégicas dele.

Ok! Não posso reclamar que ele já fez muito o mesmo por mim no passado, mas como eu sou um homem comprometido com a mulher mais linda do mundo eu não ficar com mais ninguém.

Certo… Não sou comprometido ainda, mas em breve, muito em breve vou ser.

– Eu peço todas as noites por mais e mais mulheres lindas, gostosas.
– E que te queiram… – completei rindo.
– Não preciso pedir que me queiram. Ninguém resiste a Sirius Black.

Eu não resisti e dei um tapinha de leve na cabeça do Sirius, ele subiu as escadas xingando e não demorou muito para todos os marotos já estarem quase dormindo.

– Almofadinhas! – chamei.

Eu sei que o Sirius demora para pegar no sono.

– Fala Pontas. Não consegue dormir pensando na ruiva de novo? – ele me perguntou ainda deitado.
– Não. Queria saber se você queria não gostar de Lene. Assim como às vezes eu queria não estar apaixonado pela Lily.
– Eu não gosto dela! – ele disse nervosinho.

O Sirius tem problemas para admitir seus sentimentos.

– Todos estão dormindo Almofadinhas. E eu sei a verdade.
– Que seja, mas não quero falar disso agora. – ele me respondeu emburrado.
– Poderíamos arrumar um plano para conquistá-las. – sugeri.
– Mas já fazemos planos quase toda semana. – ele respondeu rindo levemente.
– Precisamos de um bom plano e bem planejado para que nada dê errado. – eu disse depois de dois segundos refletindo os nossos planos fracassados.
– Quando tiver uma boa idéia você me avisa. – ele disse se virando para dormir.

Eu sei que ele só não queria voltar ao assunto: “Marlene”.

– Conto com você para isso. – respondi também me arrumando para dormir.

Não precisamos dizer mais nada e não demorei para dormir naquela noite, mas não deixei de sonhar com a Lily.

– Vamos Tiago… Você já esta atrasado. Nós não íamos ao lago juntos? – escutei a voz graciosa da Lily.

Dei um pulo da cama.

– Estou quase pronto Lil. – eu disse na maior cara de pau.

Por que eu não acordei mais cedo? Eu nem me lembrava de ter marcado com a Lily e…

Ok! Já abri os olhos e não vi bem o que queria e imaginava.

Eu estava imaginando a Lily na minha frente sorrindo para mim e o que eu vejo? O Aluado e o Almofadinhas sentados na cama se acabando de rir.

– Não falei que desse jeito ele acordava rapidinho? – o Almofadinhas disse rindo sem parar.
– A tática é boa. – respondeu o Remo também rindo da minha cara.

Pelo menos o Rabicho não esta rindo. Acho que me sobrou alguma reputação.

– Vocês me pagam por essa! – respondi para os dois e fui logo para o meu banho.

O que eu fiz para merecer uns amigos desses? Enganaram-me. Pensei que a Lily queria sair comigo, mas não, eram os dois idiotas dos meus amigos tentando me acordar. Isso não teve a menor graça.

Tentei não demorar no banho. Peguei o uniforme chato da escola e como de costume fui tentar arrumar o meu cabelo. Quem sabe um dia eu consigo. Isso poderia deixar a Lily feliz.

– Ainda não sei por que você não desistiu. – me disse o Aluado me vendo tentar arrumar o cabelo.
– Eu vi as meninas passando alguma coisa no cabelo para ele ficar no lugar. – me disse o Rabicho pensativo.
– Sério? – perguntei esperançoso.

Quem sabe a Lily goste mais de mim de cabelo arrumado.

– Mas para que você quer arrumar a porcaria do cabelo? – me perguntou o Almofadinhas irritado.

O que será que ele sonhou para estar tão irritadinho logo cedo.

– A Lily vai gostar mais de mim de cabelo arrumado. – respondi convicto.

Mas é claro que ela detesta o meu cabelo bagunçado. Se ela gosta do Ranhoso deve ser por que o cabelo dele é arrumado. Ok! Ele só é arrumado por que tem tanto sebo que não dá para se mexer, mas é provável que ela goste mais de mim quando o meu cabelo estiver mais arrumado.

– De onde você tira essas coisas? – me perguntou o Aluado já pegando a mochila para ir tomar café.
– Oras… A Lily esta sempre reclamando do meu cabelo. Acho que ela iria gostar se fosse arrumado.
– Mas você iria gostar dele arrumado? – me perguntou o Aluado assim que saímos do quarto.

Achei melhor não responder.

Meu cabelo nunca foi arrumado por tempo suficiente para que eu olhasse no espelho e descobrisse se realmente fica bom, mas deve ficar maravilhoso. Eu sou maravilhoso.

– Bem que vocês poderiam me ajudar com isso. – eu disse assim que saímos do salão comunal.
– Mais um plano para fazer a Lily gostar de você? – me perguntou o Rabicho.
– Mais um plano para fazer a Lily ver que gosta de mim. – o corrigi.
– Não preciso dizer que não vai dar certo, não é? – me perguntou o Remo entediado.
– Ninguém vai me ajudar? – perguntei inconformado.
– Vamos te ajudar. Vou descobrir o que dá para fazer com o seu cabelo. A Lene deve saber de alguma coisa.
– Se fosse eu iria perguntar para a Alice ou para a Dora. A Lene sempre esta com o cabelo bagunçado. – respondeu o Aluado.
– E ela fica maravilhosa com o cabelo bagunçado. – respondeu o Sirius irritado.
– Vou falar com as meninas. – eu disse já me imaginando lindo, gostoso e de cabelo arrumado.

Nos sentamos do lado das meninas na mesa da Grifinória. Como sempre a Lily estava perfeita com aquele uniforme. Só faltou abrir um botão a mais da blusa. Ai iria ficar melhor ainda.

– Lene você esta maravilhosa. – escutei o Sirius dizendo.

Ai vem bomba. O Sirius não costuma ser tão gentil assim com ninguém, nem mesmo com a Lene.

– O que você quer Sirius? – a Lene já perguntou desconfiada.

E quem não iria desconfiar?

– Sabe… Estou com calor por você. – ele disse se abanando com a mão.
– Calor por mim? – ela repetiu erguendo a sobrancelha desconfiada.
– Claro. Muito calor! Por que você não abre um botão da sua blusa? Às vezes ajuda. – ele disse sorrindo como um cafajeste.

Alias, ele é um cafajeste.

– Six meu amor… – ela disse toda meiga.
– Aposto que o Sirius vai apanhar. – me disse a Dora do meu lado colocando dez chicletes na mesa.
– Aposto que ela vai abrir a blusa e irritá-lo. – me disse a Lily do meu outro lado já colocando o dinheiro na mesa também.
– O Sirius vai pedir desculpa. – disse o Rabicho.

Todos olhamos para ele sem acreditar que ele disse isso.

– Ele pode mudar, não é? – disse o Rabicho dando de ombros.
– Aposto que ela vai dar uma de Lily e vai dar uns gritos. – disse o Aluado colocando mais dinheiro na mesa.
– Também acho que ele vai apanhar. – disse a Alice jogando o dinheiro também.
– Estou com o Remo. – disse o Frank também.

Todos olharam para mim esperando alguma reação.

– Estou com a Lily nessa. – eu disse pegando e colocando o dinheiro na mesa.

Paramos para prestar atenção na briga dos dois, eu tenho que ganhar. Vai ser uma boa grana e fácil.

– E você tem certeza que essa seria a melhor opção para passar o calor? – a Lene perguntou ainda com a sobrancelha levantada.
– Não vejo opção mais agradável. – respondeu o Sirius com aquele sorriso safado dele.
– Realmente… É bem agradável. – ela respondeu sorrindo. – E realmente esta muito quente aqui no salão principal hoje. – respondeu sorrindo.

A Lene concordou com ele? Não acredito!

– Nossa! Assim esta bem melhor. – ela disse após abrir o segundo botão da blusa.

Olhei para a cara do Almofadinhas que tentava olhar para dentro do decote da Lene, apesar de não precisar se esforçar muito para ver o que ele queria.

– Não esta com calor Lily? – perguntou a Lene inocente para a Lily.

Vi a Lily arregalar os olhos espantada.

– É… Esta sim. – ela concordou ainda abismada.

Que ela abra um botão da blusa também!

– Muito calor. – disse a Lene abrindo outro botão.

Meu Merlin! O Sirius logo começa a babar em cima da Lene. Dá para ver até um pouco do sutiã dela.

– Não vai fazer o mesmo Lily? – perguntou a Lene já prendendo os cabelos. – Agora que o Sirius comentou parece que o calor aumentou.
– Não obrigada! Não esta tanto calor assim. Só o suco já esta refrescando. – respondeu a ruivinha ainda parecendo espantada.

Meu Merlin! A Lene abriu o quarto botão. O sutiã dela esta praticamente todo à mostra.

– Belo sutiã! – disse um menino loiro passando perto de nós.

Vi a Lily sorrindo. Agora que eu não entendi mais nada.

– Adorei o sutiã Lene. Me empresta qualquer dia? – perguntou a Lily sorrindo.
– Vai mostrá-lo para quem? – perguntou a Lene maliciosa.
– Depois penso nisso. – respondeu a Lily piscando para a Lene.

Eu nunca que vou deixar a ruivinha andar assim.

– Vamos para a sala? – perguntou a Lene apoiando na mesa.

Ela não vê que assim dá para ver o pouco que a blusa dela tampa?

– Não vai fechar a blusa? – escutei o Sirius perguntando assim que todos nós começamos a andar.
– Podem ir passando a grana! – disse a Lily sorrindo.
– Fechar a blusa para que? Foi você mesmo que disse que estava morrendo de calor por mim. – respondeu a Lene se fazendo de inocente.
– A ruivinha sempre esta certa. Podem ir me dando o meu dinheiro. – eu disse para o resto do pessoal.
– Estava, mas você não pode entrar na sala assim. Todo mundo vai ver o seu… – o Almofadinhas não terminou a frase. Agora sim eu fiquei chocado.
– Os meus peitos? Ora Six? E quem se importa? – ela respondeu sorrindo e entrando na sala.

Não preciso acrescentar que todos os homens presentes focaram na Lene, não é?

Narrado por Lílian Evans

Senti alguém me puxando pelo braço. Já pensei logo que era o Tiago. Ele que tem essa mania chata.

– Você precisa fazer alguma coisa. – escutei a voz do Sirius.
– Mas ela esta feliz. – provoquei indicando a Lene com a cabeça.

Minha amiga realmente sabe provocar. Todo mundo sabe que o Sirius adorou ver o sutiã da Lene, mas do jeito que ele é bem ciumento ele não deve estar gostando nada que a escola inteira também esta vendo o sutiã dela.

É… Eu tenho uma amiga louca.

– A Lene só pode estar bêbada ou delirando de febre. – ele me respondeu apreensivo.
– Só se foi você que deu álcool para ela. – respondi rindo e indo me sentar ao lado da Lene.

Alguém tem que avisá-la que a brincadeira já terminou.

– Vou guardar seu lugar ao lado do Pontas. – ele me disse assim que me sentei ao lado da Lene.

Ou seja, ele quer sentar aqui quando eu fizer essa maluca fechar a blusa.

– Arrasou Lene. – eu disse para ela assim que me sentei ao seu lado.
– Viu o estado que ele ficou? Ele estava babando. – ela me respondeu rindo.
– Mas é claro que estava. Você com esses peitos gigantes… Que homem não estaria? – eu perguntei revirando os olhos.
– Não vi o Tiago olhando nenhuma vez. – ele me respondeu sorridente.
– Então é por que acabamos de descobrir que ele é gay. – respondi sorrindo.

Adorei essa idéia do Potter ser gay. Eu iria virar amiga dele se ele assumisse. Nunca tive um amigo gay. Deve ser tão legal…

– Pare de graça Lil. – ela me pediu rindo.
– Então feche essa blusa. Não esta vendo que esta todo mundo olhando? Logo vão começar a te chamar de galinha e derivados.
– Eu não me importo. Sem contar que realmente é bom saber que o Sirius sente ciúmes.
– Lenizinha… – eu disse sem paciência.
– Diga Liriozinho do Tiago. – ela me respondeu com a maior cara de cínica.
– Fecha logo a porcaria da blusa antes que eu mesma feche. – eu respondi já irritada.

Ninguém me chama de Liriozinho e muito menos do Potter.

– Quando a professora reclamar eu fecho.
– E vai ficar passando vergonha até lá? – eu perguntei inconformada.
– Lily. O que é lindo é para se mostrar. Não é isso que a Dora sempre diz dos cabelos dela?
– Mas cabelo todo mundo tem. – respondi irritada.
– E peito todas as mulheres tem. – ela me respondeu dando de ombros.

A Lene é impossível.

– Fecha logo essa porcaria. – eu pedi já indo fechar os botões.
– Deixa que eu mesma faça isso. – ela disse assim que eu fechei o primeiro botão.

Não demorou nem dois minutos e ela já estava devidamente vestida novamente.

– Assim esta bom? – ela me perguntou entediada.

Eu não tive chances de responder por que o Sirius se sentou no meu colo.

Isso mesmo! Sentou no meu colo.

– Six, eu não tenho idéia para ter um filho desse tamanho então sai de cima de mim. – briguei com ele.
– Primeiro meu pai me abandona e agora minha mãe. O que será da minha vida? – ele perguntou fingindo chorar no meu ombro.
– Chorão! – reclamei segurando o riso.
– Você não se parece em nada com os seus pais. – brincou a Lene rindo.
– É que sou adotado. Não puxei nem os cabelos bagunçados do meu pai, nem os óculos, nem os olhos verdes da mamãe… – ele respondeu fingindo chorar.
– Quem foi que te contou isso meu filho? – eu perguntei entrando na brincadeira.
– O papai! – ele disse fingindo chorar ainda mais. – Ele não me ama mais mãe.
– Claro que ele te ama meu amor. Vou lá falar com ele. – eu disse empurrando o Sirius do meu colo que por muito pouco não caiu de bunda no chão.

Sabe… Iria ser bem engraçado o Sirius caindo no meio da aula de história da magia.

Me sentei no único lugar vago da sala, ao lado do Tiago.

– Que cena toda foi aquela? – ele me perguntou com um olhar estranho.
– É que o Six descobriu que é adotado. – respondi naturalmente.
– Adotado? Isso explica muita coisa sobre a família dele. Quem contou? A Belatriz? O irmão dele? – ele perguntou parecendo realmente triste.

Não acredito que o Potter caiu nessa!

– O pai dele! – respondi na maior cara de pau.

Adoro “tirar um barato” da cara do Potter.

– Pensei que o pai dele tivesse morrido há anos. – ele respondeu parecendo confuso.
– Eu estava falando de você. – respondi rindo da cara dele.

Ele finalmente pareceu entender que aquilo era tudo uma brincadeira.

– E quem é a mãe? – ele me perguntou com um sorriso malicioso.
– Mãe! A tia Lene esta me maltratando. – escutamos o Sirius dizendo.
– Como fomos ter um filho tão chato? – ele me perguntou rindo.
– Ele puxou o pai. – respondi dando de ombros.
– E como ele consegue arrumar o cabelo e eu não? – ele me perguntou estranhamente.

Dá onde ele tirou essa história de cabelo?

– E você tenta arrumar? – perguntei prendendo o riso.
– Até que tento. – ele me respondeu sorrindo.
– Até parece! – respondi rindo.

Se ele tentasse o cabelo iria ficar no lugar. E possivelmente bem melhor do que é agora.

– Sério mesmo. Não sei o que vocês fazem para deixar o cabelo bom desse jeito. – ele me respondeu sorrindo.

Parem o mundo! Tiago Potter pareceu muito gay agora!

– Eu não passo nada. Meu cabelo que é bom. – eu adoro zoar o Potter.
– Mas as meninas passam… – ele começou novamente.

O que deu nesse menino hoje? Desde quando ele se interessa por cabelo?

Narrado por Tiago Potter

Não custava nada entrar no assunto, não é?

Eu preciso descobrir o que elas fazem no cabelo.

Tenho certeza que a Lily vai querer sair comigo se eu arrumar o cabelo. Ela sempre di que odeio o meu cabelo bagunçado. No mínimo eu vou ficar mais irresistível ainda de cabelo arrumado.

– Você definitivamente não deve estar muito bem hoje. – ela me respondeu balançando a cabeça.

Depois eu é que sou maluco!

– Mãe! – escutei o Sirius chamando a Lily novamente.

Se fosse para casa com a Lily eu aceitaria ter um filho igual ao Sirius sem problemas, mas ninguém merece o Almofadinhas atrapalhando o meu futuro namoro. Ele não vê que nós estávamos conversando civilizadamente?

– Diga meu amor. – ela disse sorridente.
– A tia Lene esta querendo me bater.

A Lily deu um lindo sorriso e olhou para a Lene.

– Você não pode bater no meu filho Marlene. – ela disse para a Lene tentando fazer uma cara séria. – E você Tiago… – ela já disse se virando para mim. – Faça seu papel do pai e vá lá brigar com a Marlene. – ela me disse tentando ficar séria.
– O Sirius mereceu. – brigou a Lene já ficando vermelha.

Todos nós olhamos para o Sirius.

– Beijar não arranca pedaço. – ele disse dando de ombros.
– Mas eu não quero te beijar! – gritou a Lene irritada.

O Almofadinhas nunca aprende que primeiro se seduz para depois beijar?

– Melhor eu troar de lugar com ela algum deles, antes que eles se matem. – disse a Lily já de pé.

Agora que estava ficando bom…

Não demorou nem um minuto e o Almofadinhas já estava no lugar que era da Lily.

– O que você fez? – eu perguntei assim que ele se sentou.
– Ela praticamente me pediu um beijo. Eu só fiz o que ela mandou. – ele respondeu dando de ombros.
– Praticamente? – perguntei levantando a sobrancelha. Isso não me parece muito bom.
– Eu estava brincando com a Lily dizendo que eu era adotado e tals.
– Já fiquei sabendo. – respondi sorrindo.
– Então eu estava fazendo o maior drama com a Lene e ela disse que com os pais que eu tinha era impossível nascer feio, mas era uma pena eu não ter puxado os olhos verdes da Lily. Resumindo, ela disse que sou bonito, e quando as garotas falam isso é por que elas querem que eu as beije.

Acho que eu não preciso falar nada.

– Se eu fosse a Lene eu teria te espancado. – respondi dando de ombros. – Mas mudando de assunto. Fez o que eu te pedi?
– Não tive oportunidade. Mas tem certeza que quer arrumar seu cabelo? Isso parece uma coisa muito gay.
– A Lily vai gostar. – respondi sem me importar.

Se a Lily gostar se fico com o cabelo arrumado pelo resto da vida.

– Vou falar com a Lene. – me respondeu o Sirius dando de ombros. – Mas ainda acho isso uma coisa gay.

A aula passou rápido depois disso e logo já estávamos indo para as estufas.

Puxei o Aluado para um canto e já fui logo perguntando:

– Descobriu?
– A Dora disse que tem gente que alisa o cabelo. – ele respondeu sem importância.
– Mas meu cabelo já é liso. Só é bagunçado. – eu respondi começando a me irritar.
– Por que não pede ajuda delas? Aposto que elas vão fazer um milagre no seu cabelo. – ele sugeriu.
– Até que não é má idéia.

Quem sabe elas ajudem… Em festas elas fazem milagres… Por que não me ajudariam a conquistar a Lily arrumando o meu cabelo?

Novamente na aula de Herbologia eu dei um jeito de ficar perto da Lily, mas infelizmente não ficamos no mesmo grupo.

– E você o que Tiago? Vi que estavam se entendendo hoje cedo. – escutei a Dora dizendo para Lily.
– Às vezes ele não é tão chato assim. – ela respondeu dando de ombros.
– Acredita que o Remo estava me perguntando como eles podem fazer para arrumar o cabelo do Tiago? Acho que vão fazer alguma brincadeira com ele.
– Arrumar o cabelo do Potter? Até que não seria má idéia! – não falei que a Lily iria gostar.
– Vai ficar estranho Lily. Imagine o Tiago com o cabelo arrumado. – pediu a Dora.
– Sinceramente acho que ele pode ficar bem. Os meninos deveriam arrumar um trote melhor. – respondeu a Lily dando de ombros.
– Melhor do que mexer no cabelo sagrado do Tiago? Ele não deixe ninguém tocar naquele cabelo.
– Nem as adoráveis “amigas” dele? – perguntou a Lily incrédula.

Claro que não deixo. Depois elas ficam ai puxando e passando a mão e meu cabelo vai ficar horroroso.

– Aí você vai ter que perguntar para a Lene, mas ate onde eu saiba nem ela podem tocar no cabelo dele.
– E o que elas fazem com as mãos enquanto eles se beijam? – perguntou a Lily ainda sem acreditar.

Então quer dizer que ela vai gostar de passar as mãos no meu cabelo quando for me beijar? Bom saber!

– Esta com ciúmes? – perguntou a Dora rindo.
– Ok! Assunto encerrado! – disse a ruiva já levemente vermelha pelo comentário da amiga.

Eu preciso deixar o meu cabelo arrumado. A Lily vai adorar.

Eu não perdi tempo e assim que o almoço terminou eu segui a Alice e o Frank até o salão comunal.

– Alice minha miga linda… – eu já fui logo dizendo.
– No que você precisa de ajuda? Não vou trancar a Lily em lugar nenhum. – ela me disse já rindo.
– Por que você não discute seu plano maluco com ela depois? Eu quero namorar um pouco. – brincou o Frank segurando a risada. – Tchau meu amor. Vou passar na biblioteca antes de ir para a aula. – ele disse já de pé.

Pelo menos o Frank sabe quando não é querido por aqui. Eu não iria falar com a Alice na frente dele, não é?

– Qual o plano? – ela me perguntou quando eu me sentei ao seu lado.
– É o melhor plano de todos… Simples, rápido e espero que muito eficiente. – respondi animado.
– Rápido e simples? O que seria? Você ir lá e beijá-la a força? – perguntou a Alice sorrindo.

Se eu não soubesse o quanto a Alice gosta de brincar comigo eu iria achara que ela esta dizendo a verdade.

– Muito mais simples… E sem ferimentos da minha parte. – eu respondi sorridente.
– Então diga logo que esse promete ser o melhor de todos. Sem gritos da Lily também? – ela perguntou animada.
– Sem gritos! – eu respondi confiante.
– Vai falar ou vai ficar me torturando de curiosidade mais um pouco? – ela me perguntou com um sorriso que ela dá para o Frank quando quer alguma coisa.
– Eu vou arrumar o meu cabelo. – eu disse por fim.

Eu sou um gênio!

Ok! Ainda estou esperando um “Parabéns pelo melhor plano de todos Tiago”.

Só que os meus parabéns não chegaram. O que chegou ao meu ouvido foi a risada mais que escandalosa da Alice deitando no sofá e segurando a barriga, logo já vi lágrimas descendo pelo seu rosto enquanto ela ainda ria.

Acho que já passou uns dez minutos e ela ainda esta rindo.

– Já parou de rir? Eu não vi graça nenhuma. – eu disse emburrado.

Esse foi o melhor plano que já tive e ela começa a rir. Não vi graça nenhuma. E pode até dar certo.

– Você só pode estar brincando. – ele me disse ainda tentando parar de rir.
– Não estou. A Lily vive dizendo que odeia o meu cabelo bagunçado e tudo mais… Então pensei que ela iria gostar se eu arrumasse. Quem sabe até aceitasse sair comigo de cabelo arrumado.
– Eu sei que a Lily fala que odeia o seu cabelo Tiago, mas é mentira. – disse a Alice parando de rir
– Como pode ter certeza? – perguntou duvidando.
– Eu só sei. – ela respondeu dando de ombros.
– Vai me ajudar? Eu já tentei de todos os jeitos que conheço.
– Até um feitiço? – ela me perguntou me olhando descrente.
– Claro que não. Pode dar errado e estragar o meu cabelo. Já pensou se fico careca?
– É… Careca a Lily não iria gostar muito. – ela respondeu segurando o riso.

Aposto que ela já me imaginou sem meus lindos fios pretos na cabeça.

– Vai me ajudar? Aposto que você sabe um jeito de arrumar o meu cabelo sem precisar usar magia, e água, por que eu já tentei, a água quero dizer.
– É… Amanhã eu dou um jeito no seu cabelo, mas promete não me bater se você ficar ridículo. Já estou avisando que você fica bem melhor de cabelo bagunçado. – ela me disse sorrindo gentil.
– Não se preocupe. O que importa é o que a Lily acha. – respondi sorrindo para ela. E logo a puxei pela mão para irmos escovar os dentes e ir para as aulas da tarde.

Narrado por Lílian Evans

O que eu tenho a dizer das aulas dessa tarde? Nada! Elas foram horríveis e eu suportei ficar acordada, mas deveria ter entrado na onda dos marotos e tirado um cochilo. Estou muito cansada!

Alguém me carrega para a minha cama? Não quero subir as escadas.

Ok! Alguém que não seja o Potter!

É… Ele esta me perseguindo, de novo, não para de me olhar e sempre arruma um jeito de se sentar do meu lado.

Às vezes ele faz até parecer que sou eu que quero sentar com ele, mas isso não passa de um grande plano para colocar a Lily aqui na lista ridícula dele.

A melhor coisa que tenho para fazer antes do jantar é perturbar a Dora e o Remos, já que o Sirius e a Marlene foram para um encontro, claro que não juntos, infelizmente, e a Alice sumiu junto com o Potter.

Se eu suspeitar que o Potter esta tentando seduzir a Alice ele vai virar comida de hipogrifo.

– Você concorda? – me perguntou o Remo com a sobrancelha levantada.

Acho que perdi alguma parte da conversa.

É… Eu também odeio segurar vela.

– Concordo. É uma droga ter que ficar segurando vela. Cadê o resto do pessoal? –perguntei já entediada.
– Se você estivesse com o resto do pessoal você estaria segurando vela. – me respondeu o Remo levemente avermelhado.
– Eu estava falando que o Tiago estava muito estranho hoje de tarde. Não desgrudou da Alice a tarde inteira, os dois aos cochichos… – me disse a Dora pensativa.
– Ele deve estar tentando seduzir a Alice. Melhor alguém falar para o Frank tomar cuidado. – eu respondi dando de ombros.
– E eu já disse que o Tiago seria incapaz de algo do tipo.- comentou o Remo entediado também.
– Ao contrário de você e da Dora que ficam aí só no flerte e não partem para a ação. – eu comentei em um tom indiferente.
– Não estamos flertando! – disse a Dora na mesma hora.

Agora ela é que parece um morango gigante e não eu.

– Realmente…. Até para flertar discretamente vocês tem vergonha. Que decepção. – respondi escondendo um leve sorriso.
– Decepção é você ser apaixonada por uma pessoa e fingir que não é. – alfinetou a Dora.
– Concordo plenamente. Demorou para você dois admitirem que se amam. Sabe… Eu quero ter um casamento para ir quando sairmos da escola, um casamento sem ser o da Alice e do Frank é claro.
– Pode ser o seu e do Tiago, mas infelizmente o Tiago já prometeu que o Sirius poderia ser o padrinho, então não vou poder ter essa honra. – respondeu o Remo com um sorriso no rosto.
– Ok! Já entendi o recado. Vou deixar você namorarem em paz. – eu disse já me levantando para ir embora.

O jantar foi o maior tédio!

O Pedro comendo como se o mundo fosse acabar, a Dora com um livro aberto olhando ora para o livro, ora para a comida. O Remo… O Remo é sempre o certinho fofo. Ele estava apenas observando a Dora ler, como um homem apaixonado. É bonitinho. Já a Marlene voltou e trouxe o novo “amigo” dela. O problema é que isso criou o maior clima entre o Sirius e ela. O Potter ficou tentando manter o Sirius com os punhos do nosso lado da mesa (eu estava sentada do lado do Sirius), Já a Alice estava ali conversando animada com o Frank. E eu? Eu estava lá olhando o que todo mundo estava fazendo enquanto lia um romance.

Nada melhor do que ir dormir logo.

Assim que acordei tive certeza que o dia não seria tão normal assim. Eu sempre sou a primeira a acordar, mas hoje eu acordei e a Alice não estava na cama dela.

Ah! Minha amiga dormiu na cama do namorado e nem me contou!

Já fui para o banheiro pensando no que eu iria falar para a Alice. Que amiga traíra. Ela poderia ter me contado…

Quando sai do banho a Alice ainda não tinha voltado, e a Lene já tinha separado a roupa para vestir.

Eu odeio as quintas-feiras. A gente esta cansado da semana inteira e sabe que a semana ainda não acabou. Ao contrário das sextas que estamos felizes que no dia seguinte é final de semana.

Fiquei estudando transfiguração enquanto as meninas tomavam banho. E nada da Alice aparecer para tomar banho e muito menos para dar uma explicação de por que ela estava fora da cama tão cedo.

Ótimo! Estamos descendo para o salão comunal para esperar os meninos e a Alice não apareceu.

– Alguém sabe da Alice? – a Lene perguntou assim que nos sentamos no sofá.
– Ela veio me pedir um pouco de gel emprestado ontem. Achei bem estranho. E hoje ela some… – comentou a Dora pensativa.
– Ela deve estar com o Frank. – respondi tentando demonstrar indiferença.

Aquela traidora!

Escutamos risadas vindas do dormitório masculino. Não duvido que seja dos marotos.

– O que será que eles estão aprontando? – perguntou a Dora desconfiada.
– Vamos descobrir assim que eles descerem. E eu quero saber qual é a piada. – comentou a Lene sorridente.
– Acho que os meninos iriam aprontar alguma coisa com o Potter. Pelo menos foi o que eu ouvi do Sirius comentando com o Pedro.
– Até que não seria má idéia. Eles nunca conseguem aprontar nada com o Tiago. – comentou a Lene já animada.
– E lá vêm eles. – disse a Dora quando avistou o Remo descendo vermelho igual um pimentão.

Narrado por Tiago Potter

Ok! Eu sei que está ridículo, mas se a Lily gostar…

O que eu não faço por aquela ruiva!

Meu cabelo esta horrível! A Alice tinha razão… Ele é bem melhor bagunçado.

– Tem certeza que não quer deixar do jeito que estava? Ainda dá para voltar atrás. – me disse a Alice depois de se recuperar do seu ataque de risos.
– Vai ficar assim. A Lily vai gostar. – eu disse tentando mostrar confiança.

A quem eu estou tentando enganar? Estou ridículo!

– É bom ela gostar ou você vai morrer solteiro. Depois que todas as meninas te verem assim… – comentou o Remo ainda rindo baixo.
– Melhor para mim. Mais mulheres só para mim. – disse o Sirius tentando segurar a risada.
– Riam o quanto quiserem, mas esse cabelo ridículo vai me trazer a Lily. – eu sei confiante.

Afastei o espelho para dizer isso é claro.

E lá vou eu pagar o maior mico da minha vida. Esse cabelo dividido no meio, parecendo que a vaca lambeu. Meu Merlin! Eu estou parecendo um nerd!

– Eu vou à frente. Quero ver a cara das meninas quando te virem assim. – disse o Remo assim que eu fiquei de pé.
– Essa eu não quero perder. – disse a Alice animada seguindo o Remo.
– Boa sorte Tiago. Você vai precisar. – o Frank me disse antes de descer também.
– Ótimo… Agora o líder dos marotos tem cara de nerd! O que me falta acontecer? – perguntou o Sirius falando sozinho. – Isso não pega não é Pontas? Nunca quero estar apaixonado. As mulheres fazem você andar igual um idiota de cabelo arrumado. Cruzes!

Como o Sirius ajuda nessas horas!

É… Eu estou nervoso… Será que a Lily vai gostar?

– Alice! Pode dizendo o que a senhorita estava fazendo no dormitório masculino há essa hora? – escutei a voz da Lene.
– Estava ajudando o Tiago. Ele queria mudar o visual. – ela respondeu segurando o riso.
– E cadê o Tiago? – perguntou a Dora.
– Vocês conseguiram aprontar com ele? – perguntou a Lily parecendo impressionada.
– Na verdade ele que fez a cagada sozinho. – respondeu o Sirius.
– Ei! Isso ofende. – eu disse terminando de descer as escadas e podendo olhar para as meninas.

As reações foram bem diferentes: a Dora esfregou os olhos, eu sou tão lindo que ela esta duvidando que eu esteja aqui na frente dela.

A Lene fez igual aquele bando de chatos e começou a rir descontroladamente fazendo o resto dos marotos não agüentar e recomeçar a rir.

Eu mereço!

E por fim olhei para a minha ruiva, que mantinha os olhos arregalados, a linda boquinha aberta e parecia uma estátua parada lá olhando para mim, seus olhos nem piscavam.

Digam se eu não sou irresistível? Ela ficou hipnotizada com a minha beleza.

Narrado por Lílian Evans

O que o Potter fez com o cabelo dele?

Alguém já pensou em dar um espelho para ele?

Ainda não acredito que ele arrumou o cabelo!

Ok! Eu estava errada! Pensei realmente que iria ficar legal, mas isso aí esta horrível!

Vamos Lily respira e não ria. É errado rir da cara das pessoas. Muito errado.

Tentei sorrir para incentivá-lo a não chorar, mas parece que isso fez surgir um efeito positivo e o fez sorrir.

Alguém tem que falar para ele que este cabelo esta horroroso!

Narrado por Tiago Potter

– Não falei que ela iria gostar? – comentei com o Sirius na aula da transfiguração.
– Pontas… Até a Minerva teve que se segurar para não rir da sua cara. – me respondeu o meu grande a animador amigo, Sirius Black.
– Não estou falando da Minerva. Estou falando da Lily. – eu disse revirando os olhos. Como ele é lerdo!
– Só por que ela não riu ou não fez comentários maldosos como todo mundo normal não quer dizer que ela também não achou ridículo, só quer dizer que ela é anormal assim com você quando aceitou sair do quarto com esse cabelo.
– Não esta tão ruim! – eu tentei me animar, já que ele não ajudava muito.
– Nem o Remo que é o maior nerd anda com o cabelo parecendo que guspiram em cima. Isso aí esta um horror!
– Obrigado pelo incentivo! E tenho certeza que alguma coisa boa isso vai trazer. – eu respondi apontando para a minha cabeça.
– Vai te trazer juízo. – respondeu o Almofadinhas.
– Por que não aproveita que esta na hora do almoço e vai tirar essa porcaria da cabeça? – me perguntou o Remos.
– Só tiro se a Lily quiser. – eu respondi olhando para a minha linda ruivinha que estava de cabeça baixa. – A Lily esta bem?
– Ela deve estar rindo da sua cara de tonto. – respondeu o Pedro. – Tira essa porcaria da cabeça…

Até o Pedro esta me zoando… Espero que a ruiva faça valer à pena esse cabelo ridículo.

– Então é preciso que a Lily queira para você tirar isso aí da cabeça? – me perguntou a Dora.
– Exatamente. Fiz isso por ela e não tiro até que ela reclame e só tiro se ela achar ruim.
– Você ficaria parecendo um bicho papão pelo resto da vida se a Lily quisesse? – me perguntou o Sirius com a maior cara de nojo.
– Não pareço um bicho papão! – reclamei.
– Merlin me livre de me apaixonar. – pediu o Sirius já se ajoelhando no chão.
– O que pensa que esta fazendo senhor Black? – perguntou a professora.
– Estou rezando para que o Tiago fique careca ou crie juízo para bagunçar o cabelo novamente.

Agora o Sirius leva uma detenção!

– Se reza ajudar… – respondeu a professora se virando para olhar a transfiguração da alguns alunos da lufa-lufa.
– Não acredito que a Minerva não te deu detenção! – disse a Lene já chegando do nosso lado.
– É que ela também acha que o Pontas esta ridículo. – respondeu o Sirius dando de ombros.

E já ganhei o meu dia. A Lily olhou para mim e sorriu.

Ela me ama!

Narrado por Lílian Evans

Eu não sei até quando eu vou agüentar!

Acho que até o final do dia ele não agüenta com essa porcaria na cabeça!

Alguém tem que o fazerele tirar aquilo da cabeça ou eu não vou agüentar e vou rir da cara dele.

Ok! Até a professora estava achando aquilo ridículo. Ela nem deu detenção para o Sirius por estar zoando o Tiago.

Também eu não a culpo. Aposto que ela esta fazendo força para não rir, igual a mim.

Droga! Eu tinha que olhar para o Potter agora? Certo não ria! Se concentre e não ria! Logo é hora do almoço e ele vai tirar isso da cabeça.

Quase! Eu dei um sorriso para ele. Melhor do que rir. Pelo menos sorrindo ele não percebe que eu quero rir da cara dele, eu acho!

– Comeu alguma coisa estragada Lil? – me perguntou a Dora sentando do meu lado.
– Não! Só estou tentando ficar quieta no meu lugar e não ir fazer o Potter bagunçar aquele cabelo.
– Você também achou que ele esta parecendo aqueles nerds que tem na televisão? Óculos redondos, dentuços, cabelo lambido e de lado…
– Ele esta ridículo, mas como o Potter não é burro assim que bater o sinal do almoço ele vai sair correndo para o quarto dele e jogar água no cabelo e esfregar até que aquela coisa grudenta saia da cabeça dele. – respondi tentando acreditar nisso, ou eu não respondo por mim.
– É gel e laquê Lily. Pelo menos foi o que a Alice contou. – respondeu a Dora dando de ombros.
– Onde que a Alice estava com a cabeça quando fez isso? Ok! A brincadeira foi legal, mas não é para tanto.
– Se quer saber… O Sirius me contou que não foi brincadeira. Disse que o Tiago que quis. – me respondeu a Dora me deixando espantada.

Impossível alguém querer ficar tão feio assim.

Se ele não fizer alguma coisa eu é que faço.

Ah! O sinal finalmente é hora do almoço.

Narrado por Tiago Potter

Hora do almoço finalmente… Não vejo a hora do dia terminar!

– Agora é a sua melhor chance. Ninguém vai te zoar se você fizer isso. – me disse o Remo parando minha frente.
– Fizer o que? – perguntei inocente.

Do que aquele doido estava falando?

– De tirar essa porcaria da cabeça e voltar a ser o velho Tiago. – respondeu o Almofadinhas.
– Exatamente! Não vamos te zoar. – respondeu o Pedro.
– Não vou tirar nada. Vocês viram a cara da Lily? Ela gostou! – respondi já me virando para ir almoçar. – Vocês vêm meninas? – perguntei para as quatro que estavam nos esperando na porta da sala.

Elas se olharam e logo me acompanharam para o almoço.

Meu novo penteado esta fazendo sucesso!

Narrado por Lílian Evans

Respira!

Você não pode rir!

Isso é pura falta de educação Lily… Não ria!

Por que ele esta indo para o salão principal? Ele não vai tirar essa porcaria do cabelo?

Se jogar água será que adianta?

– Minha nossa Tiago… O que você fez o seu cabelo? – perguntou uma loirinha com cara de esnobe.
– Resolvi mudar. O que achou? – ele perguntou na inocência.

Espero que a menina não minta! Esta horrível!

– Lindo! – ela mentiu!

Sua nojenta. Você deveria ter vergonha na cara! Fale a verdade logo!

Alguém seja corajoso e fale a verdade para ele!

– O que foi Evans? Nunca me viu? – perguntou a menina querendo me matar com os olhos.
– Por que você não vai ver se eu estou na esquina? – perguntei para aquela desaforada!

Ela invade a minha turminha, dá em cima do Tiago e ainda mente para ele. Se ela tivesse sido pelo menos honesta, quem sabe o tonto iria correndo para o quarto tirar isso aí.

Alguém tem que balde de água?

– Para que você quer um balde com água? – me perguntou a Dora.

Droga e lá vou eu falando o que não se deve em voz alta!

– Nada não. Só estava pensando alto. – respondi tentando sorrir.

Narrado por Tiago Potter

Ela me ama!

Esta mais do que comprovado.

Ela acabou de ficar com ciúmes da Anita. Ok! A Anita é muito bonita e esses cabelos loiros seduz qualquer um, menos a mim é claro.

Eu sabia que esse novo penteado iria dar certo.

Meu plano é perfeito e sem falhas.

Agora sim essa ruivinha vai ser minha.

– Minha nossa Potter! Resolveu assumir seu lado feminino? – me perguntou o Malfoy parando do meu lado com aquele sorriso presunçoso.
– Cai fora Malfoy! – respondi sem dar importância.

Isso é pura inveja!

– Minha nossa a mocinha esta irritada. Esta de TPM? – ele me perguntou fazendo uma foz horrorosa.
– Eu só estou tentando fazer meu cabelo ficar igual ao seu e do Ranhoso. Quero ver qual deles afasta mais as mulheres. – respondi irritado.

Alguém tire o Malfoy da minha frente antes que eu o azare!

Ok! Eu tenho que admitir que meu cabelo esta horrível. Logo ele vai estar parecendo com o do Ranhoso, mas se a Lily gosta assim…

– Todas as mulheres amam o meu cabelo Potter. Não sou igual você que precisa ficar na frente de um espelho horas a fio só para tentar fazer isso aí ficar aceitável.
– Melhor tomar cuidado com o que quis Malfoy. – eu disse antes de jogar uma azaração não verbal nele.
– Se você não fosse monitor chefe iria estar em detenção. – cochichou a Dora para que a Lily não ouvisse.
– Ela pode me dar detenção quando quiser, o problema é que ela não vai resistir ficar trancada em um lugar tão pequeno sozinha comigo. – respondi sorrindo.

Como eu amo ser monitor chefe e só a Lily poder me dar detenção.

Narrado por Lílian Evans

Vou fingir que não vi o Potter azarando o Malfoy, apesar que achei muito bom o Malfoy irritá-lo. Quem sabe ele vê a verdade e tira aquela porcaria de gel do cabelo.

O dia passou quase tranqüilo. Tirando é claro as meninas que ficavam paquerando o Sirius e o Tiago.

Mas finalmente chegou o fim do dia. E a minha felicidade é que eu consegui!

Eu consegui ficar o dia inteiro sem rir do Potter, na frente dele é claro.

E como eu sei que ele não é burro ele vai tirar aquilo da cabeça hoje e pronto. Não preciso mais me esforçar para ser educada, mesmo por que eu não agüentaria mais um dia.

Quando eu disse que não ri na frente do Potter eu quis dizer literalmente, por que eu não me agüentei e fiquei lembrando da porcaria que ele fez no cabelo e simplesmente comecei a rir, no meio do salão comunal depois do jantar quando todo mundo foi escovar os dentes.

É eu sei que isso é coisa de maluca e tals, mas não deu para evitar.

– Do que você esta rindo Lil? – me perguntou o Sirius.
– De uma piada que eu me lembrei. – respondi de prontidão já limpando as lágrimas que as risadas causaram.
– Então pode ir me contanto. – ele falou já sorrindo e se sentando do meu lado.
– Eu não sei contar piada. – eu disse já parando de rir.

Pense Lily… Você não vai conseguir enganar o Sirius tão facilmente.

– Não tem problema. A piada deve ser muito boa para você estar nesse estado. – ele me respondeu sorrindo para mim.
– Em que estado? – melhor enrolá-lo até eu inventar uma piada.

Inventar… Eu sei… Todo mundo conhece alguma piada idiota, mas eu não sou todo mundo e é nessas horas que eu me encrenco. Como eu posso não conhecer nenhum piada?

– Descabelada, vermelha, chorando… Você esta em um estado lastimável. – ele me respondeu revirando os olhos.
– Você sabe o que significa lastimável? – perguntei arqueando a sobrancelha.
– Isso não vem ao caso. – ele me respondeu fugindo do assunto.
– Sabia que você não fazia idéia do que era. – respondi voltando a rir.

Eu não ri por causa do Sirius. Eu ri por que tenho uma imaginação muito fértil e comecei a imaginar o Sirius, com aquele cabelo até os ombros e com o novo penteado do Potter.

– E lá vai ela para mais uma sessão de risos. – disse a Alice sentando ao lado do Sirius.
– Ela é sempre assim? – perguntou o Six para a Alice.
– Só quando esta acordada. – respondeu a minha amiga traria.
– Ei! – reclamei.
– O que vocês estão fazendo com o Lily? – perguntou o Remo chegando também.
– Ela só teve uma crise de risos. – respondeu a Alice levantando os braços em rendição.
– Por quê? – perguntou o Remo.

Ótimo. Agora que o Sirius já tinha esquecido a história da piada o Remo o lembra.

– De uma piada qualquer que ela esta me enrolando para contar.
– Deve ser alguma coisa bem suja para ela não contar. – comentou a Dora se sentando na poltrona a nossa frente.
– Eu não conto piadas sujas. – respondi cruzando os braços irritada.
– Nunca nem te vi contando piada. – comentou a Dora para estragar de vez a minha desculpa.

Contar ou não que a piada era o cabelo do Potter?

– Que caras são essas? – escutei a voz do Potter se aproximando.

Não olhe para ele Lily!

Eu juro que se eu ver aquela porcaria de cabelo de novo eu não vou agüentar e vou rir da cara dele.

– A Lily estava se preparando para contar uma piada muito boa. – comentou o Sirius.

Tenho certeza que ele sabe que eu estava mentindo e agora quer que todos saibam.

– Sabe o que é Six… Eu já até esqueci de piada. – desconversei tentando manter meus olhos na direção oposta da qual o Potter vinha.
– Do jeito que você estava rindo é impossível já ter esquecido. – me disse a Alice.

Mais uma que não vê o meu problema. Será que é tanta falta de educação rir de alguém assim? As mães às vezes podem mentir, não é?

– Desculpem. Com essa discussão toda eu acabei me esquecendo da piada.
– Se esqueceu por que não existia piada. Você nunca conta piada. – disse a Lene sentando no chão.
– Eu não conto piada para você.

Nem para ela e nem para ninguém. Sou péssima nisso!

– Prometo que mesmo que for sem graça eu rio, ruiva. – e lá vem o Potter de novo…

Ok! Minha curiosidade é sempre maior e eu TIVE que olhar para o cabelo dele.

E fiquei tão feliz que quase não me contive e foi por muito pouco que não comecei a pular. Ele tinha tirado aquela porcaria da cabeça, isso significa que eu não vou mais sofrer tentando não rir.

Depois disso a noite correu bem tranqüila. Eu agindo normalmente e feliz por alguém ter conseguido enfiar na cabeça do Potter que o cabelo dele é bem melhor bagunçado.

E prometo que nunca mais vou brigar com ele por causa do cabelo.

E finalmente chegou a sexta feira, cheia de sol, calor, passarinhos cantando… E eu tendo que ir para a aula, mas pelo menos temos uma folga antes do almoço.

Ok! Meu dia perfeito acabou no instante que cheguei ao salão comunal.

Por quê? Por que o Potter tinha arrumado o cabelo, de novo.

Ele esta tentando provar que eu não sou educada e dou risada dos outros ou o que?

Não vou agüentar o dia inteiro!

Narrado por Tiago Potter

E lá estava eu de novo arrumando o meu cabelo.

Melhor eu até esconder os espelhos para não ver a desgraça que fiz com o pobre coitado, mas se a Lily gosta assim, é assim que ele vai ficar de agora em diante.

Respirei fundo ainda evitando o espelho e desci para esperar as meninas.

– Não acredito que você ainda não desistiu! – me disse o Remo assim que me viu.
– Bom dia para você também. E não desisti por que ela adorou.
– Ninguém pode ter gostado dessa coisa aí. – me disse o Sirius apontando para a minha cabeça.
– Mais respeito. Não é uma coisa! É o meu cabelo!
– Só se for o cabelo do Ranhoso. – respondeu ele fazendo a maior cara de nojo.
-Melhor ficar quieto. Estou escutando as meninas descendo. – eu disse já me levantando para ir até a minha ruiva.
– Ele gosta de ficar surdo logo cedo. – escutei o Pedro comentando.

Ficar surdo por quê? A Lily esta caidinha por mim. Ainda mais agora que ela ama o meu cabelo.

E lá vem ela sorridente e feliz pela escada. Aposto que esta feliz assim por que sabe que eu arrumei meu cabelo para ela.

– Bom dia! – ela disse com um sorriso pregado no rosto.
– Pensei que tivessem feito ele desistir. – disse a Lene olhando para mim.
– Tentamos. – respondeu o Remo dando de ombros.
– Se Merlin permitir ele tira isso ainda hoje. – respondeu a Dora. – Tiaguinho isso aí esta horrível. Desculpe-me, mas dá até vontade de rir.
– Você já riu. – eu a lembrei.
– Pode até ser, mas o seu cabelo anima o meu dia. É só olhar para ele que eu fico feliz com o meu cabelo esquisito.
– Seu cabelo é bonito, Dora. – disse o Remo na mesma hora.

O que foi isso? O Remo fez um elogio para a loirinha dele? O que o Sirius deu para ele beber?

– Não adianta ficar vermelho Remo. Você já falou. – disse a Lene rindo.
– Ele não mentiu. – comentou a Lily sorrindo.

Devo perguntar para a Lily o que ela achou do meu cabelo? Não! Se ela não tivesse gostado ela já teria me dito, não é?

As aulas correram maravilhosamente bem, apesar da minha ruivinha estar me evitando mais do que o costume.

Mas eu sei o que isso significa! Significa que se ela ficar muito tempo perto de mim não irá resistir e irá me agarrar!

Foi com esse pensamento que deixamos a algum aula da manhã. Felizmente hoje temos um intervalo de uma aula antes do almoço.

– O que vamos fazer agora? – perguntou a Alice empolgada depois de dar a mochila para o Frank.
– Podemos ir nadar no lago. – sugeriu a Dora empolgada também.
– Podem ir sem mim. Eu vou para a biblioteca ler um pouco. – disse a Lily jogando a mochila nas costas já pronta para sair correndo para a biblioteca.

Esse meu charme… Ela não resiste!

– Não vai não. Você vai se divertir um pouco. – disse o Sirius já puxando a Lily.
– Eu quero ir de cavalinho. – disse a Lene já se pendurando nas minhas costas.
– Sobe! – eu disse sem me importar.

Claro que eu preferiria que fosse a Lily, mas a Lene também é minha amiga, e convenhamos, nenhuma delas é pesada.

– Eu também quero Frank. – choramingou a Alice na mesma hora.
– Por que a Lene foi inventar. – ele reclamou jká abaixando um pouco para a Alice subir nas costas dele.
– Para o lago! – gritou a Alice apertando a cintura do Frank com as pernas.
– Vamos apostar corrida? – perguntou a Lene.
– Aposto que sou mais rápido. – eu disse na mesma hora.

Apostas são apostas.

– Eu aposto que eu chego mais rápido. – disse o Sirius já puxando a Lily. – Sobe!
– Essa eu quero ver… – ela disse já subindo nas costas do Sirius.
– Não vem Dora? – perguntou a Lene.

Vi a Dora olhando insegura para o Remo.

– Sobe logo no Remo. – disse o Sirius daquela jeito simpático dele.
– Não é uma boa idéia. – ela disse já vermelha.
– Eu acho que ela te acha um fraco. – brinquei com o Remo.
– Pode subir Dora. – ele disse na mesma hora.
– Certeza? – ela perguntou ainda insegura.
– Quer subir logo? Estamos perdendo tempo. – disse a Lily já sem paciência.

Alguma coisa me diz que essa ruiva esta aprontando alguma.

Ok! Confesso… Eu perdi… O Frank ganhou de nós. Dá para acreditar?

– Eu estava na desvantagem. A Lene mais parece um elefante. – brinquei.
– Você vai ver quem é o elefante Tiago. – ela disse antes de sair correndo atrás de mim.

Quando finalmente cansamos de correr fomos nos juntar ao resto do pessoal que estava conversando na beira do lago.

– Eu acho melhor você falar logo com ele. – escutei o Sirius dizendo para a Lily.
– Mas por que eu? – ela perguntou inconformada.
– Por que tudo isso é culpa sua. – respondeu o Pedro.

Ela deve estar pensando em um jeito de se declarar para mim.

Narrado por Lílian Evans

Isso não pode ser verdade.

– Feche a boca e escute Lily. – me disse o Sirius sério.
– Ele fez isso por que achou que você iria gostar. – repetiu o Remo.

Ele não pode ter ficado igual um nerd durante um dia e meio só por que achou que eu ia gostar.

– Vai lá e faça-o bagunçar aquele cabelo. Ele esta horrível, esta até sujando a nossa reputação. – comentou o Sirius.
– Eu? Nem pensar! Nunca ouviu falar que é falta de educação falar isso para alguém? – eu disse já tentando escapar dessa.

Eu não tenho coragem de falar isso para ninguém, muito menos para o Potter.

– Sabemos que você quer rir da cara dele tanto quanto nós. – disse a Alice dando de ombros.
– Confesso! Ontem no salão comunal eu estava rindo dele, mas ele não precisa saber disso.
– Vai lá e fala logo com ele! – me pediu o Remo.
– Eu acho melhor você falar logo com ele. –o Sirius disse para mim mais uma vez.
– Mas por que eu? – perguntei inconformada.
– Por que tudo isso é culpa sua. – repetiu o Pedro.

Ótimo! Agora quem tem que informar ao Potter que ele esta ridículo sou eu.

– Estão falando de mim? – escutamos o Tiago falando.
– A Lily quer falar com você! – disse a Alice já me empurrando.
– E é importante! – completou a Dora sorridente.

Claro que eles estão sorrindo, eu é que sou a portadora de más noticias.

O que eu falo?

“Potter você esta ridículo.” Ou “Por que não tira essa porcaria da cabeça?” ou “Você fica bem muito gato com o cabelo bagunçado”

Esquece! Isso definitivamente não vai dar certo.

Eu tentei fugir, mas aqueles meus amigos não deixaram!

Narrado por Tiago Potter

Eu falei… Eu disse para todo mundo, mas ninguém acreditou!

E agora estou aqui de frente para a Lily pronto para beijá-la quando ela finalmente confessar o seu grande amor por mim.

Eu sei… Ela tentou fugir, mas é porque ela esta com vergonha.

– Potter… – ela começou meio desajeitada.

Eu sei como é se declarar pela primeira vez… Coitada! Mas ela tem que falar…

– Pode me chamar de Tiago! – eu sugeri sorrindo.

Se ela vai se declarar melhor me chamando pelo nome.

– É que eu preciso te contar uma coisa. – ela disse ficando vermelha.

Eu poderia beijá-la e terminar com a tortura dela, mas prefiro ter a minha declaração e depois beijá-la.

– Sou todo ouvido.
– É que eu… Bem… Seja só… Sabe como é…

Por que ela não fala logo? Estamos em uma cena perfeita! Os dois frente a frente com os pés no lago…

– Como eu posso dizer isso… – ela disse para si mesma.
– Você pode me falar qualquer coisa ruivinha. – eu tentei ajudá-la.

Ela olhou para o pessoal que a incentivava a continuar a falar.

É hoje que eu tenho essa ruiva para mim!

– Eu… Você… Arg! – ela já esta ficando nervosa.

E esta ainda mais linda.

Narrado por Lílian Evans

Isso não esta dando muito certo.

Ele esta ridículo e toda hora que eu abro a boca para falar me dá vontade de rir da cara dele!

O que eu vou fazer? Não posso deixar ele com essa coisa ridícula na cabeça por muito mais tempo…

Ele precisa levar isso daí…

Ei! Eu estou no lago com ele! É isso!

Lily Evans você é um gênio!

– Acho que você esta precisando lavar o cabelo. – eu disse antes de empurrá-lo para dentro do lago.

Eu gostei disso!

A cara dele enquanto estava caindo foi realmente perfeita.

Posso fazer isso de novo?

Sério… Assim que todos começaram a rir eu não me agüentei e comecei a rir junto.

Pelo menos o cabelo bagunçou um pouco, mas acho que só esfregando para sair tudo!

– Lily Evans! – ele gritou levemente vermelho.

Melhor eu sair daqui antes que eu vire churrasquinho.

– Volte aqui! – ele gritou já rindo enquanto corria atrás de mim.

Onde eu posso me esconder?

Eu sempre fui péssima para esconde-esconde.

Corre perninhas! Ele esta quase nos alcançando.

– Peguei! – ele disse assim que me agarrou pela cintura.
– Você precisava de um banho. – eu disse quando vi que não tinha como me soltar.
– Precisava?
– Ainda precisa. E esfregue bem a cabeça. – eu disse rindo enquanto ele me pegava no colo. – Eu admiro você querer que eu não me canse, mas acho que já sei andar.
– Eu preciso de um banho! – ele disse fazendo um bico.
– Olha… Eu bem que tentei não falar nada, mas você esta ridículo. Seu cabelo fica muito melhor bagunçado. E prometo que nunca mais vou brigar com você por isso. Agora já pode me por no chão.

Eu sei que isso foi humilhante, mas eu não quero ficar molhada, alias mais molhada do que já estou, contando que estou no colo dele e ele está encharcado.

– Eu preciso tomar banho e você é que vai me dar um banho! – ele me disse quando chegou ao lago.
– Ok! Acabou a brincadeira. Pode me colocar no chão… – eu disse tentando manter a calma. – Agora! – eu gritei no ouvido dele quando ele deu mais um passo para o lago, já molhando os pés.
– Não precisa gritar! – ele disse rindo e me jogando no lago.

Exatamente! O Potter me jogou no lago!

Tirem todas as coisas afiadas de perto de mim senão vou cometer um assassinato.

Narrado por Tiago Potter

– Eu te odeio Potter! – ela gritou assim que se levantou.

Hum… Ela fica linda com a blusa transparente.

– Você não queria que eu lavasse meu cabelo? Agora você terá essa honra! – eu disse já entrando no lago.

Já estava molhado mesmo. Pelo menos eu iria ficar com ela.

– Aguamente! – ela disse apontando a varinha para mim. E logo senti aquela ducha de água na minha cara.

Ok! Isso não teve tanta graça como jogá-la no lago… Mas pelo menos ela esta rindo!

Aproveite que a Lily estava tendo um ataque de riso e fui devagar para perto dela.

– Realmente você precisa de um banho. – ela disse já com a varinha apontada para mim – Limpa!

Ok! Eu tinha esperanças que ela lavasse o meu cabelo, mas assim também foi bem divertido.

Mas não foi dessa vez que eu ganhei à ruivinha.

– Dá para os dois se apressarem aí? Temos que ir almoçar! – escutamos a Lene algum tempo depois.

Pelo visto ficamos a aula inteira dentro do lago brincando de jogar água um no outro.

Logo já estávamos secos e eu fui logo procurar um tão adorado espelho que eu rejeitei ontem e hoje de manhã.

Voltei a ser o Tiago Perfeito Potter de novo.

Vi as meninas sorrindo.

– Esse é o nosso Tiago! – me disse a Alice bagunçando o meu cabelo.
– Nada mal Potter! – me disse a Lily sorrindo.
– E o que aprendemos com tudo isso? – me perguntou o Remo assim chegamos ao salão comunal.

Verifiquei se as meninas não estavam perto o suficiente para ouvir e fui logo respondendo:

– Aprendi que se deve jogar Lily Evans no lago com mais freqüência!

Ela fica linda com a roupa transparente, cabelo colado no rosto e com a seu sutiã de bichinhos aparecendo.

Doce tentação!

Capitulo Anterior – Próximo Cap – Menu


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

3 thoughts on “A casa dos gritos – Cap 2

  • bruh prongs

    amei o cap!

    essa fiic eu num tinha lido ainda!

    é muito show né?

    k
    tô amando!

    posta logo tá?

    num entendi o titulo ainda.. mas, tô muito curiosa pra saber!

    Poste, POSTE E POSTE ok?

    BJinhuss!

    P.s: te add no Orkut! *–*

    MFF

    [Responder]