Cap 1. Uma noite diferente 12


Introdução:

Primeiro cap da fic “Até que enfim você é minha”. Cap um pouco parado, mas que dá uma pequena introdução a nossa história, onde Lily e Tiago conseguem ter uma conversa amigavel.

Uma noite Diferente

04h30min da manhã

“Eu não acredito!! Acho que ainda estou sonhando! Eu, Tiago James Potter, estou no salão Comunal da Grifinória dormindo com a Lílian Evans no meu colo! A noite foi tão mágica… só que infelizmente tenho certeza que quando a Lily perceber o que fez vai brigar tanto comigo… Mas tivemos uma conversa civilizada, ela não gritou, não xingou e nem me mandou ir embora!! Queria que o dia nunca amanhecesse.”

– Tiago… – chamou Lílian.
– Tudo bem, Lily? –ele perguntou tentando ver se ela estava acordada.

”Lílian, pelo visto, está sonhando comigo! Meu Deus, não acredito… Minha ruivinha está sonhando comigo!!! Nossa! Como ela é forte, está apertando tanto a minha mão…”

Tiago ficou um tempo observando ela dormir e percebeu o quanto estava frio.

”Será que acordo ela? Não, já sei!!! Eu sou um bruxo, com uma varinha posso conjurar um cobertor…Ainda bem que tenho dois braços… Como é difícil colocar um cobertor em alguém com uma mão só… Afinal, meu lírio está segurando a minha mão… E que pele macia ela tem… Ainda estou na dúvida se acordo ela ou não… Não, não vou acordar não… Não quero que esta noite acabe!”

Flashback dessa noite

Tiago estava tendo um sonho perturbador… Um menino… Ele precisava proteger o menino e uma moça… Eles corriam… Alguém estava vindo matá-los…

Tiago acordou assustado e desistiu de dormir.
Assim que chegou ao salão Comunal, viu uma moça de cabelos vermelhos como o fogo observando a lareira. Ali estava ela… A sua ruivinha, sua amada Lily.

Por alguns instantes achou melhor não falar com ela, mas logo mudou de idéia e sentou-se ao seu lado:

– Oi Li… Evans, pelo visto não sou o único que não consegue dormir.
– O que você quer, Potter?-perguntou ela secamente.
– Você está… Chorando? Mas o que aconteceu? – perguntou preocupado.
– Não é da sua conta, Potter. – respondeu ela secando as lágrimas.
– Você pode não saber, mas tudo que diz respeito a você me interessa. Tudo que me lembra você me interessa…
– Você não vai sair enquanto eu não contar o que houve, não é? – perguntou Lily olhando-o pela primeira vez.
– Finalmente acertou alguma coisa sobre mim, Evans.

Lily não respondeu, apenas olhou pela janela vendo a tempestade e voltou a olhar para a lareira.

– Então… O que houve com você? – perguntou ele mais uma vez
– Você iria rir.
– Nunca! De você, nunca. Pode me contar…
– Estou com medo dos trovões. – disse ela.
– Medo? Lílian Evans com medo? É mentira.
– É verdade, Potter!
– Não é não.
– Está me chamando de mentirosa? – perguntou ela olhando bem nos olhos do moreno.
– Não. Só que seus olhos me dizem que não está com medo. Está triste. Essas esmeraldas não mentem para mim… O que houve? Sonhos ruins?

”Meus Deus, como ele sabe que estou triste? Como ele sabe que estava mentindo?” – pensava Lily.

– Finalmente acertou alguma coisa a meu respeito. – falou mais seca do que queria.
– Eu sei tudo a seu respeito, Li… Evans. Sei que gosta de olhar o céu, adora ler poesias, finge que não gosta de quebrar as regras, quando está ansiosa não come, quando está feliz seus olhos brilham, quando está triste fica sentada na beira do lago…
– Como sabe tudo isso? – perguntou espantada
– Já te disse que sei tudo sobre você. Agora por que não me conta o que está acontecendo?
– Estava pensando no meu pai. Sinto falta dele.
– Mas você vai todas as férias para casa… Não faz tanto tempo que não o vê…
– Ele morreu há um ano, Tiago.
– Mas como eu não soube? Como ninguém me contou? – pensou alto.
– Ninguém sabe… Nem mesmo as meninas… – respondeu ela sem olhá-lo.

”Droga, não devia ter contado… Agora ele vai contar pra todo mundo!”

– Não se preocupe, Lily. Não vou contar para ninguém. Essa escolha é sua. E obrigado por ter me contado. – disse ele sorrindo.
– Sinto tanta falta dele. – disse ela mais uma vez deixando as lágrimas rolarem.

Tiago a abraçou e disse:
– Não se preocupe.
– Não posso esquecê-lo, Tiago.
– Não irá esquecer. Ele estará sempre no seu coração.

Ficaram abraçados por um tempo indeterminado que para ambos foi uma eternidade:

– E você? Por que não consegue dormir?
– Um sonho está me incomodando.
– Está com medo de um sonho? Tiago Potter está com medo? – perguntou ela finalmente sorrindo.
– Não. Tiago Potter não está com medo. Só está incomodado, querida Lily.
– Não quer me contar o sonho?
– Infelizmente não posso meu lírio… Foi muito estranho… Não saberia te contar… Mas vejo que já está melhor…
– Estou mesmo. Obrigada! – respondeu

”Que Mérlin me ajude! Eu estou agradecendo o prepotente do Potter? Até que ele não é má pessoa… E nossa! Como ele fica bonito assim com pouca luz e sem óculos… O que estou dizendo? Ele é um maroto!”

– Lily?- Chamou Tiago.
– Sim… – respondeu ela voltando a si.
– Acho melhor você ir dormir. Está tarde…
– Não Tiago… Quero ficar aqui com você!

”O que foi que eu disse? Só posso estar ficando louca…”

– Claro… Vem aqui… – disse ele levantando e sentando no sofá. – Ponha a cabeça aqui no meu colo. Deite um pouco.

”Não acredito que fiz isso… Eu simplesmente levantei e fiz o que ele pediu… Eu, Lílian Evans, deitei no colo do Potter… E como foi bom sentir ele tocar meus cabelos delicadamente…”

Aos poucos Lily dormiu… Tiago ficou observando ela dormir por algum tempo e pegou no sono.

Fim do flashback

Assim que colocou cobertor em Lily, seus olhos foram fechando aos poucos e Thiago voltou a dormir… Mesmo lutando contra o sono, acabou dormindo…

5 horas da manhã

– Tiago… Não… O Harry… – disse Lílian enquanto dormia – Tiago! – gritou levantando e acordando assustada.
– O quê? Como? – disse Tiago que também acordou com o grito de Lílian. Ao perceber que ela tinha gritado e acordado assustada, ele completou: – O que houve, Lily?
– Pesadelo… Você… O menino…
– Calma, foi só um sonho… – disse ele abraçando-a.
– Tem razão… Foi um sonho.
– Lily, logo-logo começará a amanhecer… Se ficarmos aqui, todos verão que dormimos aqui juntos e você vai me matar assim que acordar… Então é melhor agente subir para o dormitório…
– Você tem razão! – disse ela se levantando.

”Não acredito que fiz isso… Falei para a minha ruivinha sair de perto de mim? Quando ela acordar vai pensar que foi um sonho e vai continuar brigando comigo… Agora que estamos nos entendendo…” – pensava Tiago quando levantou e foi a caminho do dormitório

”Não acredito que ele me mandou embora! Ele me traz tanta segurança… Não quero sair de perto dele… não é como eu pensava… Não é tão arrogante assim… Oh Mérlin, o que estou dizendo? Ele é o Potter! Estou ficando louca…”

– Tiago! –Lílian chamou.

– Sim… – disse ele antes de abrir a porta do dormitório.

– Posso dormir com você hoje? – não acredito que eu disse isso…

– Aham… Você tem certeza disso? – perguntou ele sem entender. “Não acredito que ela disse isso… Acho que devo estar escutando coisas…”

– Claro Tiago! Sabe como é… Trovões… – o que estou dizendo? Devo estar realmente com muito sono pra fazer isso…

– Claro, meu lírio. Vem aqui. Não posso entrar no dormitório feminino. – disse ele ainda na escada do dormitório. – Não estou acreditando nos meus ouvidos… – pensou

Lílian saiu correndo e foi se encontrar com ele na outra escada.

“Meu Mérlin, como ele é lindo, e fofo…” – pensava Lílian.

”Minha ruivinha vai me matar de manhã… Mas não consigo resistir… Finalmente estou fazendo algo que ajude ela… Não vou perder essa chance.”

– Senhorita… Bem vinda ao dormitório masculino da Grifinória. – disse ele galanteador.

Caramba! Isso está uma bagunça… –Lílian pensou ao entrar no quarto.

– Lily, se incomoda se eu colocar uma capa em você?

– Capa? Como assim?

– Eu não me importaria que todos te vissem aqui comigo, mas você vai me matar se alguém descobrir que esteve aqui… Mesmo que seja só para dormir… – completou sorrindo.

– Certo… – respondeu a menina sem certeza

Ele abaixou e pegou uma capa no malão…

– Mas no que essa capa vai ajudar? – perguntou a menina ainda sem entender.

– É uma capa da invisibilidade… Vou fazer um feitiço para que ela não descubra você enquanto dorme… Assim ninguém te vê.

Tiago colocou a capa em Lílian e fez o feitiço. Ela deitou na cama dele apreensiva e ele deitou ao seu lado cobrindo os dois para evitar o frio.

Todos, como sempre fazem os Grifinórios, levantaram e foram tomar café da manhã, sem se preocupar com horário, afinal era sábado.

– Vamos Sirius, vamos descer. – chamou Lupin.

– Temos que acordar o Pontas. – disse Sirius indo em direção à cama de Tiago.

Assim que abriram o cortinado da cama:

– Vou jogar água nele… – comentou Sirius conjurando um balde.

– Espere! – pediu Remo.

– Esperar o que, Aluado? Já passa das dez da manhã!

– Tem alguma coisa estanha. Olha o braço do Tiago, ele parece que está abraçando alguma coisa…

– Alguma coisa invisível? –perguntou Sirius tirando o cobertor de cima de Tiago.

Ele estava deitado de barriga para cima, só que somente sua cabeça e metade de sua barriga estavam aparecendo, assim como metade de uma das pernas.

– O Pontinhas trouxe alguém para o quarto e nem nos avisou. – brincou Sirius.

– Demorou pra gente descobrir quem é. – disse Remo se aproximando para tirar a capa.

– Tira logo essa capa, Remo. – disse Sirius impaciente.

– Não dá! Ele colocou algum feitiço…

– Temos que saber quem é. – disse Sirius pensativo. – Já sei! Cadê o mapa?

– Não acredito que você vai fazer isso! Se ele colocou um feitiço, era para ninguém ver com quem ele está…

– Cala a boca, Aluado… Nós só vamos ver quem é. –disse Sirius com o mapa na mão.

Minutos depois…

– Eu não acredito… –falou ele olhando incrédulo para o mapa.

– Quem é? – perguntou Remo curioso.

– É a Evans! – gritou Sirius espantado.

E foi assim que Tiago acordou naquela manhã…

– Seu veado. Por que não disse que estava pegando a Evans? – perguntou Sirius se divertindo com a reação do amigo.

– É cervo. – respondeu Tiago se espreguiçando.

– Acho melhor você dar uma boa explicação para Evans estar aqui. Ela nunca viria para cá. – disse Remo

– Como vocês sabem da Lily? – perguntou ele espantado.

– Além de veado, agora está ficando burro? Agente usou o mapa! – disse Sirius.

– Seu cachorro pulguento! Você não poderia ter feito isso. Agora ela vai me matar quando acordar.

– Pelo visto vocês estão juntos… – começou Lupin

– Não, claro que não… – começou Tiago.

– Então, por que ela está agarrada em você? – perguntou Sirius finalmente tirando o feitiço da capa.

Lílian estava com a cabeça no peito de Tiago e com uma das mãos do lado acariciando-o, enquanto que uma das pernas estava entrelaçada com as dele.

– Saiam daqui e não deixem ninguém entrar. Preciso acordá-la. Que horas são, afinal? – perguntou Tiago desesperado.

– Já passa das dez… E não se preocupe… Todos já desceram. – disse Remo.

– Pode ir contando o que está acontecendo entre vocês dois… – disse Sirius.

– Depois eu conto. Vai embora, seu vira-lata. – disse Tiago.

– Tarde de mais veadinho. Sua ruivinha já está acordando. – disse Sirius.

– Ela vai me… – começou Tiago.

– Tiago? Remo? Black? O que estão fazendo aqui… – começou ela. – Ai! O que eu estou fazendo aqui… E com… Potter? Não foi um sonho? – disse ela começando a entrar em pânico.

– Não foi um sonho, Lily. Eu sabia que você ia brigar comigo quando acordasse, mas foi você que…

– Eu vou matar vocês se contarem pra alguém o que houve aqui. – disse ela se levantando da cama.

– Sim, senhora. Não vamos contar. – disse Lupin.

– E não se preocupe, não tem ninguém aqui em cima além de nós. – completou Sirius.

– Uau! Tiago Potter deu uns pegas na Evans? – disse Pettigrew chegando.

– O quê? – perguntou ela nervosa.

– Caramba, Tiago. Você poderia ter contado que ia trazer a Evans pro quarto… – começou Pettigrew
– O que você disse para ele, Potter? – perguntou ela nervosa.

– Calma Lily, eu…

– É Evans, Potter!! Evans! – gritou ela saindo do quarto.

– Eu vou matar você, seu rato imprestável! – disse Tiago se levantando furioso.

”Como ele teve coragem de falar isso? Ele foi tão fofo ontem… O que eu estou dizendo? Ele é o Potter! Não é fofo, é arrogante, prepotente, estúpido, um maroto! Ele me paga por isso! E onde eu estava com a cabeça pra ter ido pro dormitório com ele? Que vergonha!! Mas ele me trazia tanta segurança que nem pensei duas vezes antes de… Para de pensar assim Lílian! A culpa foi dele, totalmente dele. Ele fez isso de propósito. Já tinha dito pros outros que ia ficar com você. E não rolou nada! Ele não tentou fazer nada. Simplesmente deitou do meu lado e dormiu… E eu acordei abraçada com ele… Não sei se mato ele ou me mato!” – pensava a jovem enquanto ia tomar um banho.

– Eu vou matar você, seu rato imprestável! – disse Tiago indo para cima do amigo.

– Calma Pontas. – disse Lupin segurando o amigo.

– Ele estragou tudo com a Lily! Agora ela me odeia novamente! Me solta! Eu vou matar esse rato! – gritava Tiago.

– Não vai não. Ele pensou o mesmo que nós. A diferença é que ele disse isso na frente da sua ruiva. – disse Sirius.- Pedro, desce e fica lá. Precisamos falar com o Pontinhas.

Depois que o amigo saiu Tiago sentou na cama tentando se acalmar.

– Agora pode nos contar o que aconteceu entre vocês dois? – perguntou Remo sentando em frente ao amigo.

Tiago narrou todos os fatos, sem deixar um único detalhe passar, tirando a parte do pai da ruiva.

– E você acreditou que ela tem medo de trovões? A Evans? – perguntou Sirius divertindo-se com a situação.

– Acreditei. – mentiu Tiago.

– Deixe-me ver se entendi direito… A Evans estava com medo de dormir sozinha e pediu para fica com você?

– Isso mesmo. – disse Tiago sem entender o motivo de tantas perguntas.

– Vocês finalmente tinham se entendido… – começou Lupin.

– Preciso falar com ela. Explicar que a culpa não foi minha. Ela tem que entender. – disse Tiago indo em direção à porta.

– É melhor você tomar um banho e comer alguma coisa antes, afinal, não vai conseguir entrar no dormitório dela.

– Tem razão, Sirius. – disse Tiago desanimado indo tomar banho.

Enquanto isso, Lílian já tinha tomado banho e estava descendo para tomar café.

– Ei Evans! – chamou Sirius ainda na escada do dormitório.

– O que você quer, Black? – perguntou ela nervosa.

– Calma. Só queria te falar que a culpa não foi do Tiago. – disse Sirius.

– Não venha tentar defender seu amigo. Ele deve ter combinado alguma coisa com vocês. Não sei onde eu estava com a cabeça ontem… – falava Lílian indo em direção à saída.

– Dá uma chance para ele se explicar Lily. – disse Lupin.

– Não, Remo. Não vou ser mais uma na lista dele. Sem contar que logo todos vão saber o que aconteceu…

– Tiago não vai contar para ninguém. Tenho certeza disso… – começou Remo.

– Não adianta defender ele, Remo. Vocês são marotos! – disse ela saindo irritada.

– E o que tem de mal em ser um maroto? – perguntou Sirius assim que a menina saiu.

– Ela deve estar falando da galinhagem de vocês dois.

– E o que tem de mais ser tão gostoso e irresistível? – perguntou Sirius com um sorriso maroto.

Lupin preferiu não responder.

– Certo, vamos procurar a Kely. – disse Sirius.

– Acho melhor você não ir agora atrás dela. – disse Tiago descendo.

– Por que não, Pontinhas? – perguntou Sirius

– Porque a minha ruivinha vai estar com a Kely.
– Eu sei disso. As duas são amigas… – começou Sirius.

– E por isso a Lily vai contar tudo para ela. – completou Remo.

Algum tempo depois no lago:

– Você fez o quê? – gritou Kely.

– Eu dormi com ele. – disse Lily o mais baixo possível. – Não me olhe assim. Eu só dormi. Não fiz nada.

– Você está dizendo que passou a noite inteira com o gostoso do Potter e nem ao menos beijou ele? – perguntou Kely inconformada.

– Ele não é tão lindo assim! – disse Lily.

– Como não?

– Vamos mudar de assunto, sim? – perguntou Lily.

– Só quando você admitir que está gostando do Tiago.

– Eu não gosto dele. – disse Lily. – Alias, eu odeio o Potter!

– Então por que foi atrás dele depois dele ter te mandado ir dormir no seu quarto? – perguntou Kely com um sorriso maroto.

– Eu… Eu…

– Bom dia, meninas! – disse Sirius chegando.

– Bom dia. – respondeu Kely.

– Bom dia, Evans. – disse Sirius animado.

– Mau dia, Black. – respondeu irritada.

– Lily, eu preciso… – começou Tiago.

– É Evans, Potter! Evans!! Para você é Evans! – gritou ela.
– Você precisa me escutar! – pediu ele.

– Não. Você já conseguiu o que queria. Todo mundo agora vai pensar que ficamos juntos. – disse ela.

– Acho melhor agente ir dar uma volta, meninos. – disse Kely dando o braço para Remo e Sirius.

– Boa idéia, princesa. – disse Sirius galanteador.

– Isso foi uma cantada, Black? – perguntou Kely.

– Depende… Funcionou? – perguntou ele sorrindo marotamente.

– Não sei… Quem sabe… – respondeu Kely.

Quando os três se afastaram Lílian encostou-se na árvore.

– Li… Evans, a culpa não foi minha. Fui tão vítima quanto você. Eu nunca faria isso com você, eu…

– Você o quê, Potter? Vai falar que tinha acabado de acordar também?

– Mas eu tinha Li… Evans. – disse ele se aproximando dela.

– Eu confiei em você ontem. Eu te contei um segredo, pensei que você estivesse mudando…

– Eu não estou mudando. Eu mudei. Por você! Não vou contar seu segredo para ninguém. E muito menos o que aconteceu ontem. Lily… Eu te amo! – disse ele chegando cada vez mais próximo dela.

“Será que ele está sendo sincero? Esses olhos… Não parecem estar mentindo… O que eu estou pensando? É claro que é mentira… Ele só está tentado me enganar como sempre… Que Merlin me ajude! Ele está muito próximo. Não consigo me mexer…”

Tiago passou a mão pela cintura da menina trazendo-a para mais perto dele, enquanto a outra mão tirava uma mexa de seus cabelos ruivos que estava em cima do rosto…

“Ela não se mexe… Ainda não pediu para eu parar… Só posso estar sonhando… tenho que me aproximar devagar… não posso assustá-la… Que pele macia… seus olhos estão com um brilho que ainda não tinha visto… não é raiva… o nariz dela está gelado… estou tão próximo… sinto sua respiração ofegante, meu coração parece que vai sair pela boca… vou finalmente beijar minha ruivinha…”

– Parabéns, Potter. Você achou alguém pior que você. – disse uma voz fria às suas costas.

– Sai de cima de mim, Potter! – gritou Lílian empurrando Tiago que caiu no chão.

“Não sei quem é… Mas me salvou de cometer uma besteira… Me fez voltar a mim… Não podia deixar ele me beijar… Eu o odeio… Ou será que não?”

– Olha que cena linda. Potter e Evans juntos…

– Cala a boca, Seboso. – disse Tiago levantando-se.

– O que foi, Potter? A sangue-ruim te deu um fora? – perguntou ele rindo.

– Não se atreva a chamar a Lily de sangue-ruim! – disse ele tirando a varinha do bolso.

– Pára com isso Potter! Não vale a pena. Guarda a varinha. – pediu Lílian.

– Escute a sangue-ruim, Potter. Não vale a pena ser humilhado…

– Já mandei parar de chamá-la assim! – gritou Potter.

– Cansei de você. – disse Snape. – Petri…

– Estupefaça! – disse Tiago jogando Snape longe.

– Ester… – começou Snape

– Accio varinha Snape – e a varinha de Snape voou para a mão de Tiago. – Vingardium Leviosa!

– Ponha ele no chão! – gritou Evans.

– Mas Lily ele…

– É Evans, Potter! Evans! E cinco pontos a menos para as duas casas.

– Se salvou porque a Evans está aqui, Seboso. – disse Tiago jogado ele no chão, e se virando para Lílian que saia apressada. Completou. – Precisamos terminar nossa conversa, Evans.

– Não tenho nada para falar com você, Potter! Nossa conversa já acabou. – disse ela saindo.

– O que aconteceu? – perguntou Kely correndo na direção de Tiago.

– Brigamos de novo. Ela não quer me escutar! – respondeu um pouco triste.

– E o que houve com o Seboso aqui? – perguntou Sirius.

– Ele chegou bem na hora que eu ia beijar minha ruivinha, e ainda a chamou de sangue-ruim… E por incrível que pareça ela ainda o defendeu. – disse Tiago sentando na grama.

– Você ia beijar a Evans? – perguntou Remo.

– Ia. Estava tão perto. Aquele perfume de lírios, a pele macia, o cabelo de fogo, o nariz…

– Já entendemos. – disse Sirius interrompendo Tiago.

– Certo, vou atrás dela. E vocês fiquem ai. Não procure ela hoje, Ti. – disse Kely.

– Mas…

– Mas nada senhor Potter. – disse Kely.

– Espere Kelly. Tem reunião dos monitores agora. Deixa que eu fale com ela. – disse Remo.
– Certo Remo. – disse a menina se sentando do lado de Tiago. – Então, vamos pensar em como vamos fazer a Lily se apaixonar por você. – disse Kely pensativa.

– Que tal me ajudar também Kely? – perguntou Sirius sentando do lado da menina.

– Eu só trabalho com apaixonados senhor Black.

– E quem disse que eu não estou apaixonado? – perguntou ele fingindo estar ofendido.

– E por quem seria? – perguntou ela divertida.

– Por você! – respondeu ele marotamente.

– Não tente me enganar. Vamos Tiago. Primeiro temos que te tirar dessa fossa. – disse ela levantando.

– Agora não, Kely. Preciso ficar sozinho. Não acredito que ontem estava tudo tão bem e hoje…

– Sabe qual é o seu problema? – perguntou Kely distraída.

– Qual? – perguntaram Sirius e Tiago juntos.

– Vocês são marotos. Ela nunca vai acreditar que você gosta mesmo dela. Afinal, o segundo maior “pegador” da escola não pode estar simplesmente apaixonado. – disse Kely.

– Segundo? – perguntou Tiago ofendido.

– Segundo sim. Seu amigo aqui consegue ser mais galinha que você. – disse ela rindo.

– Isso foi um elogio? – perguntou Sirius confuso.

– Não! – disse a menina rindo.

– Que culpa eu tenho se as meninas não resistem ao meu olhar quarenta e três? – perguntou ele.

– Da onde você tirou isso, Almofadinhas? – perguntou Tiago rindo.

– Coisa de trouxa, meu caro Pontas. E pelo menos você riu um pouco.

– Vem, vamos dar uma volta, meninos. Vai demorar até que o Remo e a Lily voltem. – disse Kely.

– Que tal jogar quadribol para distrair? – perguntou Sirius.

– Ótima idéia. – disse Kely empolgada.

– Você não vem, Pontas? – perguntou Sirius.

– Vou sim. Quem sabe me distraio um pouco? – disse ele se levantando.

Página Anterior

Próxima Página


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

12 thoughts on “Cap 1. Uma noite diferente

  • catherine plimpya evans

    amei adoro eles na minha opiniao eles sao mais fofos que o ronnyy e a mione e que a gina e o harry.so acho quebdeveria avisa la que o severo gosta da evans

    [Responder]

    Vanessa Sueroz Reply:

    rsrsr eu sei que gosta, mas a fic foi escrita em 2005/2006 naquela época eu não sabia rsrsrs

    [Responder]

  • Wateru

    Oi, Vanessa, olha eu aqui de novo :B

    Vim ler mais uma fic sua :ddd:

    Mas ela também tá incompleta? :drama:

    Tudo bem, lerei :#1:

    Interessante… A Lily realmente fala besteira quando tá com sono? :think:

    Esse Snape, viu? :tsc: ele era assim mesmo? :tsc:

    Tô indo ler mais *.*

    [Responder]

  • Bianca Pontas Potter

    Adoorei Parabéns voç escreve suuper bem ^^ ‘
    aai que raiva da lily cara , ela bem que podia deixar ele se explicar ao invés de sair por ai chingando e tirando conclusões precipitadas das pessoas (leia-se Tiago <3) HSUAHS
    ok parei .

    [Responder]

    Vanessa Sueroz Reply:

    A Lily é meio cabeça quente mesmo 😀

    [Responder]

  • Mine

    Caara, tive que caçar essa história no google… começei a ler há mil anos atrás no recanto das letras e nao terminei, agr que lembrei, nao te achei lá, tive um treco. que booom que te achei aqui, adoro essa história *-*
    bjos

    [Responder]

    Vanessa Sueroz Reply:

    Obrigada pelo carinho, espero que curta a fic ainda mais 🙂

    [Responder]

  • aninha_mb

    “Ela não se mexe… Ainda não pediu para eu parar… Só posso estar sonhando… tenho que me aproximar devagar… não posso assustá-la… Que pele macia… seus olhos estão com um brilho que ainda não tinha visto… não é raiva… o nariz dela está gelado… estou tão próximo… sinto sua respiração ofegante, meu coração parece que vai sair pela boca… vou finalmente beijar minha ruivinha…”

    Aiii que fofo… o James e a Lily assim…

    to amando!

    E o Seboso! Que Chato! Estragou o momento!

    posta mais!

    [Responder]