Até que enfim você é minha – Cap 35 2


Anteriormente:

– Se der mole pego ela para mim. – brincou Tiago.
– Sem chance! – disse James pegando Sara pelo outro braço.
– Vamos? Eu e os homens da minha vida… Só faltou o Sirius…
– Deixa Sirius fora disso… Já tenho que dividir você com esse ciumento aí… – disse Tiago indicando o pai.
– Olha quem fala.. – disse James rindo.

A festa passou na maior tranqüilidade. Todos tentavam ao máximo esquecer o ocorrido a pouco, e por alguns instantes conseguiram.

Cap 35 – A aposta

Alguns meses se passaram e o curso de auror dos nossos jovens bruxos terminou. Com o fim do curso logo Lílian, Sirius, Tiago e Frank estavam trabalhando de aurores para o ministério da magia.

Alice assim que viu os amigos lutando contra Voldmorte, teve a brilhante idéia de abandonar o curso de medi bruxa, que estava na metade, para se juntar aos seus amigos, ingressando no curso de aurora.

A vida de todos não estava nenhum mar de rosas!
* Sirius e Kely enfrentavam uma crise grave no namoro deles.
* James e Sara cada dia chegavam com mais cicatrizes deixando todos preocupados.
* Frank estava trabalhando o dobro para sustentar a casa, e ainda pagar o curso de auror de Alice, que com a guerra foi aumentado para integral, impedindo a moça de trabalhar e a deixando super cansada ao final do dia.
* Remo não conseguia arrumar emprego por causa da sua condição! Ninguém quer empregar um lobisomem. Estava vivendo de pequenos trabalhos durante 3/4 do mês, quando não tinha lua cheia, afinal, sem a poção ele perdia os sentidos quando se transformava, por isso deveria estar sempre perto de uma floresta, o que dificultava muito sua vida, porém não desistia.
* Peter dificilmente era visto. Quando todos se encontravam e o convidavam ele sempre parecia distante nos assuntos, e meio avoado, mas para os marotos isso era normal, afinal estavam falando do Peter!
* Tiago e Lílian trabalhavam e estudando muito. Nos dias de folga estavam com Sirius, James e Sara, poucas vezes viam Kely, a menina com a guerra começou a ter mais trabalho do que antes. Os dois viviam preocupados com tudo e todos, Tiago principalmente.

Certo dia foi definido como lei que todos os aurores formados ou não, deveriam aprender feitiços que se tornaram essências para permanecerem vivos!

Moody, o feche dos aurores, deu um certo tempo para que todos aprendessem tais feitiços, uma semana era o suficiente, e ele se encarregaria dos novos alunos que estavam participando do curso, afinal esse numero havia sido reduzido pela metade assim que a guerra explodiu pelo mundo.

Nossa história volta quando tal prazo para aprender tais feitiços estava acabando, e havia uma Lílian e um Tiago desesperados no salão de treinamento da academia de aurores. Sirius, Frank, James e Sara já tinham sido bem sucedidos nessa missão, deixando Tiago e Lílian mais frustrados ainda.

Sirius julgava que a falta de concentração dos dois dificultava muito o aprendizado, nenhum dos dois conseguia se concentrar em uma lembrança feliz para aprender o feitiço do Patrono, com uma guerra acontecendo ao seu redor.

Cada vez que o profeta diário era entregue na casa dos dois eles já entravam em depressão e precisavam de minutos para voltar ao normal. Afinal como entender e aceitar que um bruxo quisesse fazer tão mal a humanidade? Um ser humano prejudicando outro! Isso era algo difícil de aceitar, ou melhor, isso é algo difícil de se aceitar.

Lílian sentou no chão cansada. Tirou um chocolate do bolso e ficou vendo Tiago tentar inutilmente conjurar um patrono perfeito diante do bicho papão.

– Cansei Tiago! – disse ela depois de vê-lo não conseguir realizar o feitiço pela quinta vez.
– Temos que conseguir Lily! – disse ele exausto sentando ao lado dela.
– Somos os únicos do ministério que não conseguimos.
– Ou conseguimos ou vamos ser atacados por dementadores nas ruas. Você sabe que o ministério finge que esta tudo sobre controle, mas não está. Dementadores, gigantes e lobisomens estão atacando sem motivo em plena luz do dia. – disse Tiago preocupado.
– Por que essa guerra nos afeta mais que as outras pessoas? – perguntou Lílian olhando dentro dos olhos do seu namorado.
– Não sei. Tenho sonhos confusos. Sinto que precisamos estar muito bem preparados para o que virá. – respondeu Tiago.
– Certo. Mas um tempinho de folga e praticamos mais.
– Que tal uma aposta para melhorar o nosso animo? – perguntou Tiago sorrindo.
– Que tipo de aposta? – perguntou ela desconfiada.
– Do tipo: aposto que na próxima eu consigo um patrono perfeito.
– Duvido! Estamos aqui há horas. – disse ela rindo.
– Eis a graça. Acho que achei a lembrança perfeita e tenho o que preciso para me concentrar nela.
– O que esta tramando Potter? – perguntou ela desconfiada levantando levemente uma das sobrancelhas enquanto falava.
– Nada de mais… – respondeu ele rindo.
– Você não me engana senhor Potter!
– E nem quero senhorita Evans. – respondeu ele se levantando.
– Ainda bem! – respondeu ela rindo.
– Você esta linda assim…
– Assim como? Toda suada, descabelada, e acabada? – perguntou ela vendo sua aparência no enorme espelho que existia na parede.
– Assim, doce, meiga e minha… – respondeu ele indo beijá-la.
– Você esta com gosto de chocolate na boca! – reclamou ela.
– E você também.. Vai dizer que não gosta de chocolate? – perguntou ele sem soltar a cintura da moça.
– Eu adoro chocolate! – respondeu ela rindo.
– Bom saber! – disse ele antes de tomá-la em um beijo.
– O que eu ganho se você não conseguir? – perguntou ela depois de se afastar.
– Deixa eu pensa… – Tiago pareceu pensar por alguns minutos. – O livro dos marotos que você tanto quer.
– Mas você disse que não pode me dar… – disse ela desconfiada.
– Como é desconfiada… – disse ele rindo. – Vou dar, mas por amor… Poderá ficar com ele… Sem contar que quando nos casarmos ele vai voltar a ser meu.
– Casar? – perguntou ela rindo.
– Claro que sim… Já falei que vamos ter um time de quadribol inteiro.
– Você e quantas esposas? – perguntou ela rindo.
– Uma só…
– E quem seria essa louca? – perguntou ela fingindo espanto.
– Você! – disse ele antes de beijá-la novamente. – Topa? – perguntou quando se afastou.
– Sei que não vai acontecer… Mas e se você por milagre conseguir realizar o feitiço? – perguntou ela.
– Depois que eu ganhar eu te conto. – respondeu ele com um enorme sorriso.
– Sem chance… Esse seu sorriso… Não sei não…
– Estou ferrado com você! Que mulher desconfiada…
– Ou conta, ou fica sem a aposta…
– Certo… Só quero sua permissão para preparar seu refeição… Jantar e café da manhã. – respondeu maliciosamente.
– Sem chance Tiago! – disse ela.
– Deixa Lily! Não vou fazer nada… Prometo! Só quero dormir ao seu lado e fazer uma comida gostosa para você!
– Esta querendo me pegar pela barriga? –perguntou ela não contendo o riso.
– Se funcionar… – respondeu ele rindo.
– Não funcionou.. – respondeu ela rindo.
– Que pena! – respondeu ele fingindo estar triste. – E então? Aceita minha proposta?
– Não vai tentar nada? É só dormir e cozinhar?
– E te beijar às vezes se você quiser… – acrescentou ele.
– Certo…
– Aceita então minha aposta?
– Vai buscar meu livro… Já ganhei! – disse ela rindo.
– Vou buscar o livro para você ler, mas eu é que vou ganhar!
– Vamos ver… – disse ela indo sentar no chão novamente.
– Já volto! – respondeu ele antes de sumir.

Tiago voltou rapidamente assustando a ruiva que comia um chocolate distraída.

– Voltei! – disse ele alto para assustá-la, e conseguiu.
– Que susto seu doido! –disse ela levando a mão ao coração.
– Trouxe seu livro. – disse ele mostrando o livro que tinha nas mãos “The marotos book”
– Perfeito. E lá vou eu ganhar um livro… Erre o feitiço Tiago. – disse ela indo abrir o baú
– Preciso de um beijo como incentivo… – pediu ele.
– Só para você não achar que sou má vou te dar… – brincou ela dando um rápido selinho nele.
– Só isso? – perguntou fazendo cara de cervo abandonado.
– Só! – respondeu ela rindo da cara dele.
– Mancada! – respondeu ele tristinho. – Vou conseguir por questão de honra agora! – brincou indo para frente do baú.
– Posso abrir? – perguntou Lílian.
– Pode! – respondeu ele segurando firmemente a varinha.

A ruiva abriu o baú e logo um dementador surgiu deixando o lugar gelado e sombrio.
Expecto Patronum! – gritou Tiago.

Logo um lindo cervo surgiu de uma fumaça branca mandando o suposto dementador para dentro do baú.

Tiago pareceu voltar à infância e esquecer que sua ruiva estava presente por alguns instantes. Começou a fazer uma dança bisara mexendo as mãos e a cintura em círculos e cantando alegremente: “Eu consegui! Ah ra uh ru! Eu consegui! Ah ra uh ru!”

Lílian não agüentou não rir da cena. Explodiu em uma gostosa gargalhada vendo o namorado dançando.

– O que vem a ser isso aí? – perguntou ela assim que ele parou de dançar olhando para ela.
– Minha dança da vitória. – respondeu ele. – Vem dançar comigo!
– Nem pensar! – respondeu ela voltando a rir enquanto ele voltava a dançar.

Minutos depois Moody e Sirius surgem na sala deixando Tiago encabulado e parando rapidamente sua dança maluca.

– O que esta acontecendo? – perguntou Sirius se segurando para não rir na frente do patrão.

Lílian parou de rir na mesma hora de rir e Tiago pingariou um “hum hum”, e pareceu sério, tentando segurar a risada.

– Senhor Potter e senhorita Evans! – chamou Moody sério a porta.
– Sim! – respondeu Lílian com um enorme sorriso.
– Conseguiram realizar o feitiço? – perguntou Moody.
– Conseguimos! – disse Tiago.
– Ótimo! Quero ver… – disse ele entrando no salão.

Lílian olhou pedindo ajuda para Tiago que fez sinal para que ela ficasse calma, se colocou em frente o baú e realizou o feitiço com perfeição.

– Muito bem senhor Potter! Agora a senhorita! – pediu ele.

Lílian passou ao lado de Tiago e este sussurrou em seu ouvido:

– Pensa em mim. Nos nossos três meses de namoro. – sussurrou piscando com um dos olhos discretamente.

A Ruiva assentiu com a cabeça e se colocou apreensiva de frente ao baú.

– Pronto? – perguntou Tiago antes de abrir o baú.
– Pronto! – respondeu ela mentalizando os melhores momentos dos dois na cabeça. – Expecto Patronum! – disse a ruiva apontando firmemente a varinha para o bichão papão que foi colocado novamente no baú por uma linda corça esbranquiçada.
– Parabéns aos dois. Estão dispensados por hoje. – disse Moody indo embora.
– Como sabia que iria dar certo? – perguntou ela assim que Moody saiu.
– Foi à lembrança que usei. Sabia que estava muito feliz aquele dia. – disse ele com um lindo sorriso nos lábios.

Ela sorriu de volta, mas quando foram se beijar Sirius interrompeu:

– Agora posso saber que dança maluca era aquela?
– Estava comemorando que tinha conseguido realizar o patrono e ainda ganhei uma aposta.
– Que aposta? – perguntou Sirius curioso.
– Lílian disse que eu não conseguiria realizar o feitiço, então apostei com ela..
– E o que você ganhou? – perguntou Sirius.
– Ele vai passar a noite lá em casa. – respondeu à ruiva dando de ombros e comendo um chocolate.
– Que premio hein! – respondeu Sirius maliciosamente.
– Não é isso… – respondeu Tiago rindo. – Vamos para casa, preciso tomar um banho e já te explico…
– Também já vou. Te vejo mais tarde Ti. Tchau cunhado! – disse Lílian abraçando Sirius.
– Você esta toda suada… O que você ficaram fazendo? – perguntou Sirius com um sorriso maldoso.
– Treinando! – respondeu o casal.
– Vamos? – perguntou Tiago.
– Lily ele esta querendo me levar para casa do qualquer jeito… Você esta vendo… Esse veado! – disse Sirius fazendo uma voz mais fina e amedrontada, mas concluiu voltando ao normal.
– Cervo! – disse Tiago.
– Tchau meninos! – disse a ruiva antes de aparatar rindo.
– Como ela consegue aparatar dentro do ministério? – perguntou Sirius confuso.
– Aqui não faz mais parte do ministério. Pessoas autorizadas podem aparatar quando quiserem. – respondeu Tiago. – Vamos?
– Claro! – e ambos sumiram num piscar de olhos.

Um pouco mais tarde Tiago apareceu na casa da ruiva escondeu uma caixinha na estante e foi direto para a cozinha. Minutos depois a ruiva escutou um barulho na cozinha:

– Kely? – perguntou a menina gritando do quarto.
– Não Lily. Sou eu o Tiago.
– E como entrou? – perguntou ela ainda gritando do quarto.
– Sirius estava com a chave da Kely, então peguei emprestada. – respondeu Tiago.
– E o que faz na cozinha? – perguntou ela chegando terminando de arrumar os cabelos.
– Penteando os cabelos na cozinha Lily? – brigou Tiago. – Vá fazer isso em outro lugar! – disse ele despachando a namorada para o corredor.
– Já vou pai! – brincou ela revirando os olhos e voltando para o quarto.

A ruiva voltou para o quarto rindo de si mesma e de Tiago, enquanto o menino terminava o jantar dos dois.

Ela voltou para a cozinha alguns instantes depois já pronta para dormir.

– Se quiser fico de olho na comida enquanto você vai trocar de roupa. – disse ela se sentando.
– É só trocar de calça Lily.. Durmo sem camisa se você deixar… É que esta calor hoje.. –comentou ele como quem não quer nada.
– Pode sim Ti! – respondeu ela rindo. – Vai lá. Eu fico de olho. Não vou queimar a cozinha em 5 min.
– Certeza? – perguntou ele rindo.
– Claro! – respondeu ela rindo ainda mais.
– Já volto. Tenta não queimar nada! – brincou ele saindo e pegando uma sacola de papel que jazia no canto da porta.

Tiago voltou instantes depois e ficou tentando ensinar Lílian a cozinhar, coisa que foi em vão, pois a ruiva não aprendeu nada só quase salgou o peixe dos dois.

Assim que terminaram de comer escutaram um barulho da porta.

– Kely? –perguntou à ruiva.
– Desculpa gente. Vim pegar algumas coisas e já vou. Terão a casa só para vocês. – gritou ela para eles. – Não sei como Sirius me convenceu de dormir lá… Ah, sei sim! – disse ela indo para o quarto.
– Vou dar um oi para ela. – disse Tiago saindo da cozinha.

Entrou junto com Kely no quarto e fechou a porta as suas costas.

– O que Sirius te falou? – perguntou ele assim que fechou a porta as suas costas.
– Dos seus planos. Não quero atrapalhar nada. – disse ela piscando um dos olhos.
– Obrigado! – respondeu ele rindo.
– Quero ser noticiada? E quero ser a primeira, a saber, a resposta dela.
– Sim senhora! Será a terceira, a saber…
– Terceira? – perguntou Kely chateada. – Se for assim não ajudo você!
– Calminha… Não sabia que loiras eram tão estressadas. – brincou Tiago. – Vai ser a terceira, Lily vai ser a primeira, eu vou ser o segundo e você e Sirius dividiram o terceiro lugar. – explicou Tiago.
– Acho que estou mais ansiosa que você! – disse ela rindo.
– Duvido! – respondeu ele rindo.
– Tenho que ir. Boa sorte! – disse ela dando um abraço nele antes de sair do quarto.

Kely se despediu de Tiago e logo partiu para o apartamento dos dois Potter’s, enquanto Lílian ficava se deliciando com a comida do namorado.

– Nunca vou poder morar com você! – disse ela assim que terminou de comer a sobremesa.
– Por quê? – perguntou ele triste e decepcionado.
– Vou engordar uns dez quilos por dia. – respondeu ela rindo e o fazendo rir também.
– Exagerada… – disse ele fazendo uma careta.
– Olha quem fala! – brincou ela.
– Não se fala que vai engordar kilos se fala gramas.. – brincou Tiago – Não se preocupe você vai engordar poucas gramas depois dos nossos 7 filhinhos!
– Ninguém merece sete filhos! Não á corpo que resista! – respondeu Lílian rindo.

O casal ficou ali por mais uns minutos, e foram se deitar. Já no quarto ficaram conversando mais um pouco:

– Anda tendo noticias do Remo? – perguntou Lílian de repente.
– Mais ou menos. Ele me disse que estava tendo problemas para arrumar um trabalho, mas nada de muito grave.
– Que bom! Estou com saudades dele.
– Eu também! – respondeu Tiago pensativo abraçando a ruiva na cama.
– Pensando em que? – perguntou ela depois de alguns minutos em silêncio.
– Na escola…
– O que exatamente?
– Tudo! Minhas marotices, nos marotos, de como você brigava comigo, de como você apertou a minha bunda aquele dia…
– Que vergonha! Você ainda lembra disso? – perguntou ela com um risinho tímido e um pouco corada.
– Claro que lembro. Alias sou capaz de lembrar de todas as suas marotices.
– Então diga mais duas.. – pediu ela rindo.
– Fácil! – respondeu ele rindo. – No dia que pegamos os sonserinos de jeito lá na torre…

Lílian começo a rir compulsivamente.

– Realmente aquele dia nunca vou esquecer… – disse ela rindo. – Pega aqui, pega aqui, vem pegar! – começou ela a cantar fazendo ele rir.
– Realmente. Aquele dia vai entrar para a história de Hogwarts. – respondeu ele sorrindo pensativo.
– Fala mais uma marotice… Duvido que sabia mais alguma.
– Deveria começar a parar de apostar comigo foginho. – disse Tiago rindo.
– Por quê? – perguntou ela sem entender.
– Por que eu sempre ganho! – respondeu ele passando uma das mãos nos cabelos bagunçados.
– Pare de me enrolar e fale logo qual outra marotice eu fiz no tempo de escola…
– Ficou escutando a conversa alheia! – respondeu ele.
– Conversa alheia? De quem? Nunca escutei nenhuma conversa escondida, a não ser quando me distraia com o livro e acabava por escutar a conversa de certos marotos próximos de mim no salão comunal. – respondeu ela rindo.
– Pois saiba mocinha que não estou falando dessas vezes, pois nem sabia da existência delas… – disse Tiago sorrindo. – Bom saber que prestava atenção em mim, mesmo dizendo que me odiava! – respondeu ele com um sorriso de orelha a orelha.
– E de que dia esta falando então? – perguntou Lílian curiosa sem lembrar de mais nenhuma ocasião.
– Dia 25 de março. – disse ele sem rodeios.
– E o que teve esse dia que eu não sei?
– Lembra da primeira vez do Sirius e da Kely? – perguntou ele.
– Claro que sim. Lembro que quis matá-la. Ele não queria me contar como foi.

Tiago riu.

– O que foi?
– Para que queria saber como foi? – perguntou ele.
– Para saber! – respondeu ela simplesmente.
– Sei… – disse ele desconfiado – Então… No dia seguinte estávamos os marotos e Frank conversando no salão comunal e certas moças estavam escondidas na escada escutando a conversa.
– Aquele dia que todos te chamaram de veado? – perguntou ela rindo.
– Ri dá desgraça alheia mesmo! – disse ele fingindo estar ofendido.
– Desculpa meu cervinho! – respondeu à ruiva apertando as bochechas do namorado. – Vou reformular minha pergunta: Foi aquele dia que te achei o cara mais fofo do mundo por que disse que iria esperar por mim o tempo que fosse preciso? – perguntou ela fazendo biquinho.
– Esse mesmo! – respondeu ele sorrindo. – Você estava cometendo uma marotice! Escutar a conversa dos outros escondida…
– Certo… Você venceu… Fui um pouco marota… Mas em falar daquele dia, esqueci de perguntar uma coisa desde então..
– Pois pergunte! – disse Tiago voltando a abraçá-la.
– Na verdade são duas perguntas… Ti… Com quem foi a sua primeira vez?
– Que diferença faz? – perguntou ele sentando na cama.
– Nenhuma. Só queria saber… Sei a de quase todos… Por exemplo: Alice foi com Frank, Frank foi com uma corvinal, Sirius com Belatrix, Kely com aquele idiota do Malfoy, Peter ainda é virgem, a minha vai ser com você…
– Sério? – perguntou ele esboçando um sorriso.
– O que? – perguntou ela confusa.
– Sua primeira vez vai ser comigo? – perguntou ele.
– Claro que sim. – respondeu ela. – Pensou que eu não sou virgem?
– Não… Pensei que queria morrer virgem! – respondeu ele rindo.
– Engraçadinho! – disse ela fazendo uma careta. – E então? Com quem foi?
– Quer mesmo saber? – perguntou ele desistindo.
– Quero! – disse ela rapidamente.
– Foi com uma visinha minha. Se não me engano eu tinha meus doze anos.
– Doze anos? – perguntou ela espantada.
– É… Por quê?
– Não era muito novo não? – perguntou ela rindo.
– Um pouco. Sirius foi um dia antes de ir para Hogwarts, resumindo, ele tinha uns onze… – respondeu Tiago rindo.
– Minha nossa! – respondeu à ruiva rindo.
– Próximo pergunta… – disse ele.
– Agora sei sobre todos… Quer dizer… Só falta o Remo! Ele não vai se importar se você me contar…
– Não quero falar disso Lily! – disse Tiago mudando de humor rapidamente.
– Mas por que não? – perguntou e menina.
– Por que não. Pergunta para ele! – respondeu Tiago se levantando transtornado.
– Aonde você vai? -perguntou ela sem entender a mudança de humor do rapaz.
– Vou beber água. Já volto. – disse ele antes de sair do quarto.
– Que estranho! – disse ela para si mesma.

O que será que deu nele? Estava estranho… Amanhã mesmo falo com o Remo sobre isso… Agora fiquei mais curiosa que nunca… – Tiago voltou para o quarto – Minha nossa… Que peitoral ele tem… Adoro quando anda sem camisa por aí… É tão fofinho…

– Já te falei que é todo seu! – sussurrou Tiago ao ouvido da ruiva.
– Ãh?
– Estava babando em cima do meu tórax. Pensa que não vi? – perguntou ele rindo e fazendo-a corar. – Não precisa corar. Sou seu namorado Lily.. Pode olhar e passar a mão o quanto quiser.
-Então deita aqui.. – pediu ela com uma carinha sapeca.
– Que cara é essa? – perguntou ele indo se deitar.
– Cara de quem vai deitar no seu peito para dormir fazendo carinho em você! – respondeu ela apoiando a cabeça nele quando este deitou.
– Amei a idéia ruivinha! – disse ele aninhando os cabelos ruivos da menina.

Ambos dormiram assim naquele dia.

Tiago acordou mais cedo e foi preparar o café da manhã de Lílian enquanto a menina dormia docemente e com um pequeno e tímido sorriso nos lábios.

O menino voltou para o quarto depositou a bandeja na estante e foi pegar um presente que havia guardado na sala para a moça.

Colocou a caixa em cima da escrivaninha da moça, a bandeja nos pés da cama e foi acordar sua princesa. Depois de vários beijinhos a moça despertou por completou, ficou se espreguiçando na cama sem ter coragem de levantar.

– Fiz seu café! – disse ele pegando a bandeja e fazendo a moça sentar para comer.
– Estou falando que vou engordar se ficar comendo sua comida! – disse ela depois de algum tempo comendo.
– Lily eu tinha um propósito quando fiz essa aposta com você para vir dormir aqui ao seu lado, assim como tinha um propósito lá no restaurante há algum tempo.
– Ficar perto de mim? – perguntou ela sorrindo convencida.
– Também… – respondeu ele se levantando e pegando a caixa que largou na escrivaninha.
– O que é isso? – perguntou ela tomando mais um gole de suco.
– Um presente! – respondeu ele tirando a bandeja e colocando para o lado para colocar a caixa em cima da cama.
– É meu aniversário e eu não me lembrei? – perguntou assustada.
– Passou longe… – respondeu ele rindo.
– Me desculpa Ti… Esqueci que hoje era dia 24 e… – começou ela, mas ele começou a rir freneticamente.
– Não é nosso aniversário de namoro Lírio.
– Então por que o presente? – perguntou Lílian olhando a caixa sem entender.
– Não posso mais dar um presente para a minha namorada? – perguntou ele sorrindo.
– Claro que pode. – disse ela envergonhada.
– Não vai abrir? – perguntou ele a vendo observar a caixa.
– Disfarça… Eu estava tentando adivinhar o que tem aí dentro.
– Acho que você nunca vai adivinhar. – respondeu ele.
– Então é melhor abrir logo. – disse ela puxando a caixa mais para perto.

Lílian demorou a conseguir abrir a caixa, foi tirando cada fita delicadamente, sem querer rasgar o embrulho, quando finalmente conseguiu tirar o seu tão esperado presente da caixa viu que era um bauzinho de madeira com seu 30 X 20 cm com um feixe dourado e delicado.

Ficou contemplando o baú por alguns instantes antes falar algo:

– Amei Ti. Muito fofinho! – respondeu abraçando Tiago.
– Mas você nem viu direito. – respondeu ele rindo. – Vamos ver se vai gostar. Pegue a sua varinha! – pediu.
– Varinha? Para que? – perguntou ela desconfiada.
– Como é desconfiada… Pegue a varinha já te mostro… – disse ele sorrindo.

Lílian abriu a gaveta do criado mudo e pegou a varinha.

– E agora? – perguntou.
– Aponte a varinha para o baú e diga seu nome completo. Ele vai ser gravado no baú.
– Gravado? Mas não vai ficar feio? – perguntou ela.
– Claro que não. – respondeu ele rindo do bico dela.

Lílian apontou a varinha para o baú e disse:

– Lílian Elisabeth Evans!

Logo linhas invisíveis começaram a perfurar a madeira deixando um contorno lindo gravado com o nome da menina, uma letra fina e delicada surgiu estampando o baú.

– Pronto. Agora o baú é seu. – disse ele rindo. – Depois faça esse feitiço e autorize quem você quiser a abri o baú, e ninguém mais terá esse poder. A palavra secreta para abrir é seu nome, como pode ver… – disse Tiago entregando um pergaminho para a moça e depois mostrando o baixo relevo do nome dela.
– Amei o presente Ti. – disse ela por fim.
– Calma que ainda não te dei tudo que queria. – disse ele rindo.
– Tem mais? – perguntou ela olhando alegremente para ele.
– Tem sim. Abre o baú!

A menina abriu o baú e a primeira coisa que viu foi um lírio vermelho.

– Amei o Lírio! – disse ela cheirando a flor.
– Diga que me ama! – pediu ele.
– Não conto mentiras… – disse ela e logo o lírio murchou um pouco.
– Se não dizer que me ama vai ficar sem o lírio… – brincou ele.
– Vou ter que falar mesmo? Seu ego já é grande de mais. – brincou ela fazendo ele fazer um bico. – Você fica lindo mesmo com esse bico. – ela disse e logo o lírio voltou ao normal. – Me comprou um lírio doido… Ele só fica bonito quanto te elogio… Isso foi para ganhar elogios? – perguntou ela rindo.
– Não… Foi para te dar meu verdadeiro presente. – respondeu ela.
– Ainda não entendi.
– Amo você mesmo sendo lerda Lily! – brincou ele.
– Obrigada pela parte que me toca! – respondeu ela fazendo uma careta. – Mas também te amo seu chato!

O lírio que estava em suas mãos se abriu e fez surgir uma pequena caixinha azul marinho de dentro.

– Esse é seu presente! – disse ele vendo a menina olhar atentamente para dentro da flor. – Pegue!

Lílian tirou delicadamente a caixinha da flor e quando abriu não havia nada dentro.

– Mas não tem nada… – disse ela deprimida.
– Por que esta comigo.. – disse ele se levantando da cama e ajoelhando aos pés dela.
– O que esta querendo dizer Ti? – perguntou ela olhando confusa para ele.
– Senhorita Lílian Elisabeth Evans… Aceita ser minha esposa? Aceita ser a senhora Tiago Potter? – perguntou ele fazendo surgir um lindo anel de noivado na caixinha que estava nas mãos da moça.

Cap Anterior
Próximo Cap


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

2 thoughts on “Até que enfim você é minha – Cap 35