Até que enfim você é minha – Cap 32 2


Anteriormente:

– Viu quando eu era criança… Agora é diferente. – disse Tiago irritado.
– Não é não! – disse James rindo. – Eu tenho espelho no meu quarto. – brincou antes de sair. – Você não vem? – perguntou.
– Já vou! – falou Tiago se levantando ainda emburrado. – Chamou o Sirius?
– Chamei. Ele já esta lá na sala. – respondeu James.
– Ele não estava com a Kely? – perguntou Tiago sem entender.
– Ele esta com a Kely. A menina esta lá na sala com ele. – respondeu James rindo.

Cap 32 – Mudanças

Os outros três meses seguintes passaram que nenhum dos jovens bruxos percebeu. Os cursos estavam tomando grande parte do tempo de todos.

Frank, Tiago, Sirius e Lílian ficavam horas no curso de autor, todos os meninos fazendo de tarde e a nossa ruiva pela parte da manhã. Os primeiros faziam estágios pela manhã para ganhar um dinheiro, enquanto a ruiva trabalhava ajudando Moody com poções na parte da tarde.

Alice e Kely se tornaram mais amigas que antes, trabalhavam juntas no hospital e ainda faziam curso de medi bruxas na parte da tarde e de noite, estando sempre juntas e não sobrando tempo para ver seus namorados, que no caso de Alice já era noivo.

Os preparativos de casamento de Alice e Frank tomavam grande parte do final de semana dos amigos principalmente dos noivos.

Remo havia viajado para a França, e poucas vezes mandava cartas coletivas para todos, ora em nome de Tiago, ora em nome de Sirius, ou das meninas, cada semana a carta ia endereçada a um amigo diferente, fazendo todos se reunirem para lê-la.

Peter aparecia pouquíssimas vezes, era mais difícil falar com o rato do que com o lobo que estava em outro país. Peter não estava fazendo curso, somente trabalhando, cada hora em um lugar diferente, ficando difícil e localizar, até mesmo para mandar cartas os amigos achavam dificuldades, porém nesses dois meses tinham conseguido mandar uma carta que demorou mais de duas semanas para ser respondida.

Chegando o mês de setembro às duas jovens já haviam encontrado um apartamento, apesar de não ser muito grande ou luxuoso (elas não tinham muito dinheiro), mas era confortável e aconchegante.

Assim que colocaram o apartamento em ordem, “habitável” como Kely vivia dizendo, chamaram os amigos para comemorar e estrear a nova casa. Lílian foi a que comemorou mais. Se livrar a querida Pety, foi a melhor coisa na vida dela, tirando um certo moreno, ex apanhador da grifinória.

Infelizmente Alice não participou da festa de inauguração da nova casa das ex grifinorianas, tinha ido decidir a igreja do casamento junto com Frank, então a festa foi apenas dos casais: Tiago e Lílian, Sirius e Kely.

Ao final da festa, quando todos já estavam um pouco “alegres”, para não dizer outra coisa, Kely parou a macarena (que os quadro dançavam animadamente), para mostrar um presente que havia comprado para o Sirius:

– Para tudo! – pediu a moça desligando o rádio.
– O que foi agora coisa loira? – perguntou Lílian

Loira? Sim… Kely havia visto uma trouxa mudado a cor do cabelo com uma mistura estranha de creme e resolveu fazer o mesmo, mas quando resolveu tirar a cor dourada do cabelo, não conseguiu e descobriu que magia não funcionava com química trouxa, e acabou se acostumando com a cor dos cabelos.

– O que foi coisa ruiva? – perguntou Kely.
– Como elas se amam! – brincou Sirius vendo as meninas se chamarem de coisa.
– Por que parou a música? – perguntou Tiago se sentando no sofá.

A sala do apartamento onde se encontravam era média, com dois sofás, um de dois lugares e outro de três, com uma mesinha no centro (que estava no corredor para dar espaço para eles dançarem), uma estante cheia de bugigangas trouxas da Lily, com uma TV bruxa, uma estante de livros (quase todos de medicina bruxa e trouxa, e aurores).

– É que lembrei que não mostrei meu presente para o Sirius! – disse Kely.
– Cadê o “cachorrinho”? – perguntou Lílian estranhando à amiga que ultimamente só chamava o namorado pelo nome ao invés dos apelidos “carinhosos” de cachorro.
– Parem as duas de conversa… Eu quero ver o meu presente! – disse Sirius sorrindo e cortando a discussão que iria começar.
– Vem comigo. E não fala nada em Lily! – disse a menina saindo da sala e caminhando até a lavanderia.

Passaram pela cozinha que era relativamente pequena, e foram para a lavanderia que tinham várias vassouras, um armário com ingredientes e pó de flu. Depararam-se com uma casinha de bonecas rosa, escrito “Six” de vermelho em cima, e com vários coraçõeszinhos pairando pelo local.

Sirius levou o maior susto junto com Tiago quando chegou à lavanderia, o segundo começou a rir tanto que teve que se segurar na namorada para não precisar sentar no chão, enquanto o casal se segurava um no outro rindo Sirius ficava com uma cara confusa olhando da casinha para a namorada.

– Gostou? – perguntou Kely segurando o riso.
– Cadê o meu presente? – perguntou ele ignorando a casinha.
– Esta aqui! Não esta vendo? – perguntou ela enquanto os outros riam.
– Não vejo nada. – disse ele olhando em todos os cantos da lavanderia.
– A essa coisa rosa aí, não é nada? – perguntou ela rindo da cara dele.
– Você adotou uma criança chamada Six? – perguntou ele confuso fazendo Tiago e Lílian não se agüentarem de pé e sentarem no chão para rir.
– Fala logo que minha barriga já esta doendo de tanto rir! – comentou Lílian rindo.
– Amei a casinha! – disse Tiago rindo junto.
– Não vai me dizer que essa coisa rosa é pra mim? – perguntou ele emburrado.
– Mais ou menos Sirius. – respondeu Kely rindo timidamente.
– Explique-se senhorita Mright.
– É simples.. A casinha é para você sim… Tem até seu nome!
– Eu não me chamo Six! – protestou ele.
– Mas agora em diante sua forma animaga se chamara Six! – disse a menina fazendo os outros dois rirem mais ainda.
– Mas tinha que ser rosa? E com flor e coração? Não poderia ser uma coisa de macho?
– Macho? Machucado só se for – disse Tiago rindo mais ainda fazendo Kely também rir.
– Cala a boca veado! – rosnou Sirius.
– Cervo, por gentileza! – respondeu Tiago voltando a rir mais ainda.
– Não dava para ser de macho… Eu prefiro rosa… Sem contar que ficou a sua cara!
– Aff! – foi o que Sirius conseguiu dizer.
– Quando você quiser dormir aqui, ou precisar sair da casa do Tiago, já tem um lugar… Sua casinha! – disse ela mostrado à casinha rosa.
– Depois dessa vou até deitar! – disse ele se transformando em cachorro.
– Não adianta fazer essa carinha de cachorro que caiu da mudança Black… Vai dormir na sua casinha! – disse Kely apontando a casinha com um dedo indicador.

Sirius virou e entrou na casinha se deitou e fingiu dormir enquanto os dois amigos riam sentados no chão e Kely se afastava para arrumar a sala.

– Acabou a festa! – disse Tiago parando de rir depois de uns 10 minutos.
– Já esta tarde mesmo… Quem manda fazer festa em plena terça feira! – disse a ruiva se colocando de pé.
– Posso ficar? – perguntou Tiago.
– Pode, mas nada de gracinhas! – respondeu à ruiva. – Vai ficar aí Six?
– Minha namorada me expulsou do quarto! – protestou ele se transformando em humano novamente.
– Ela estava brincando. Esta mais bêbada que nós todos juntos! – respondeu Lílian.
– Nisso ela tem razão! – disse Tiago saindo da lavanderia atrás da sua ruivinha.
– Vai lá ao quarto… Ela deve estar te esperando! – disse Lílian.
– Já estou indo! – disse Sirius partindo em disparada para o quarto da namorada.
– E nós vamos também. Só que avisa seus pais que vocês vão ficar.. Não quero ter que estuporar ninguém… – brincou ela.
– Sim senhora! – disse Tiago batendo continência fazendo a moça rir.

E logo todos dormiam, mas o que para muitos foi uma longa noite de lua cheia, para outros foi um noite muito rápida, mal deitaram e parecia que já tinha que levantar. Foi à idéia que Lílian Evans teve ao se levantar e não encontrar o namorado na cama.

– Tiago! – chamou a menina sonolenta.

Como não obteve resposta se levantou o agiu como todas as manhas. Trocou-se, e foi tomar seu café, onde viu Tiago e Sirius já terminando de comer.

– Acordaram cedo! – disse menina se servindo de leite e torradas.
– É que temos que chegar mais cedo hoje. Sabe como é… O patrão hoje é meu pai… Então tem que mostra serviço! – brincou Tiago.
– E a Kely? – perguntou Lílian.
– Já saiu correndo pro hospital. A Alice apareceu não era nem 5 da manhã falando para ela ir correndo pro hospital. – respondeu Sirius.
– E vocês estão bem Six? – perguntou Lílian
– Estamos levando Lily… Só não sei por quanto tempo mais… Não nos vemos muito, e isso atrapalha. – começou Sirius cabisbaixo e desanimado.
– Mas nós também não nos vemos e estamos bem, não é Lírio? Não desanima Sirius… – disse Tiago cortando Sirius e deixando o ambiente mais alegre.
– Claro que estamos bem… – respondeu Lílian para Tiago. – E não se preocupe, vai dar tudo certo para vocês Six. – respondeu para o menino que deu um sorriso fraco.
– Agora temos que ir! – disse Thiago se levantando do balcão da mesa. – Beijo meu amor. E venho buscar a Midd mais tarde para levá-la no veterinário.
– Já tinha me esquecido. Seus pais colocaram feitiços no apartamento… Vai precisar da chave para entrar… Pegue essa cópia… – disse Lílian pegando uma cópia da chave na gaveta e entregando a Tiago.
– Te devolvo de noite. – disse ele pegando a chave e guardando no bolso. – Beijo foginho! – disse ele dando um selinho na namorada.
– Tchau cunhada! – disse Sirius abraçando Lílian forte e dando um beijo carinhoso em seu rosto.

E assim se passou mais algumas semanas. No final do mês de setembro Tiago e Sirius começaram a procurar uma nova casa, o que não foi difícil de achar. Quase na metade de Outubro eles já estavam se acomodando na casa, e uma nova festa foi feita, mas desse vez Frank e Alice puderam participar:

– Eu tenho outra surpresa! – disse Sirius depois que todos já tinham visto a casa inteira e feito todos os comentários possíveis.
– E lá vem o cachorro metendo o fusinho na conversa! – brincou Tiago.
– Não enche veado! Tivemos até que arrumar uma casa com a porta grande para os seus chifres conseguiram habitar essa beleza! – disse ele mostrando a espaçosa sala.
– É cervo seu inútil! – resmungou Tiago.
– Então quero que venham todos ver o meu bebê! – disse Sirius ignorando Tiago.
– Bebê? – perguntaram as meninas assustadas.
– Calminha meninas… – disse Tiago rindo.

Todos foram até a garagem.
– Adivinhem o que eu comprei! – pediu ele.
– Uma vassoura nova? – perguntou Lily
– Maior! – falou Sirius.
– Uma… – começou Tiago.
– Cala a boca seu veado… Eles têm que descobrir! – disse Sirius.
– Um poney! – disse Alice.
– O que ele iria fazer com um poney Alice? – perguntou Frank rindo.
– Sei lá… O Sirius é maluco mesmo. – respondeu a menina dando de ombros.
– Obrigado pela parte que me toca! – resmungou Sirius. – Mas passou longe Lice… Alguém chuta mais alguma coisa?
– Um carro trouxa! – arriscou Frank.
– Ainda não é isso. – respondeu Sirius.
– Fala logo. Eles não vão acertar! – disse Tiago.
– Me chamou de burra? – perguntou Kely fingindo estar ofendida. – Deve ser uma moto, é bem mais a cara do Six.
– Quase lá Kely.
– Está na cara que é uma moto voadora! – disse Lílian por fim.
– Como sabia? – perguntou Tiago e Sirius.
– É a cara do Sirius uma moto, Kely tem razão nisso, e como ele ama voar, tinha que ser voadora!
– Mas são raras… – comentou Frank.
– Olha meu bebê! – disse Sirius descobrindo a moto preta.
– Muito bonita! Vamos dar uma volta? – perguntou Kely.
– Eu não posso. Tenho que ir para casa. Sábado já é o casamento. – disse Frank.
– E eu também tenho que ir. Amanhã cedo tenho prova do vestido de noiva. – respondeu Alice.
– Tenho que fazer uma prova extra de DCAT. Estou quase conseguindo o estágio, e ainda tenho que deixar a Lily em casa. – disse Tiago.
– Tiago tem razão. Precisamos ir. Sem contar que por ser sexta tenho mais trabalho amanhã. – disse a ruiva.
– Vamos? – perguntou Sirius para Kely.
– Posso dirigir? – perguntou a menina.
– Nem pensar. Só eu posso tocar no meu bebê! – disse Sirius subindo na moto com Kely atrás.
– Olha o dengo com a moto! – disse Tiago revirando os olhos.
– Estamos indo então! – disse Alice se despedindo de todos. – Nos vemos amanhã Kely! – disse antes de sumir.
– Também vou. Tchau gente. Até sábado! – disse Frank antes de aparatar também.
– Também vamos. Tchau para os dois. E se comportem… Amanhã tem que trabalhar! – disse Tiago.
– Sim pai! – respondeu Sirius entediado.
– Ele esta aprendendo com a Lily! – respondeu Kely antes de Sirius ligar a moto.
– Te deixo em casa, mas não posso demorar meu amor. – disse Tiago antes de aparatar levando Lílian.

Cap Anterior
Próximo Cap


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

2 thoughts on “Até que enfim você é minha – Cap 32