Até que enfim você é minha – Cap 18 2


Anteriormente:

– Mas já fiz mais quando não tinha ninguém olhando. – respondeu a menina maliciosamente.

– Hum-hum! – fizeram os demais.

– Vamos para o Salão Comunal? – perguntou Lílian agarrada a Tiago.

– Vamos. – responderam os outros indo em direção a mulher gorda.

Cap 18 – Segredo Maroto

Logo todos já estavam no Salão Comunal.

– Remo, amanhã temos ronda… Não esquece. – lembrou Lílian.

– Ninguém merece… Em pleno sábado ter que fazer ronda… – resmungou Remo.

– E vamos fazer o que amanhã? – perguntou Kely.

– De manhã temos treino de quadribol. Está chegando a final… –disse Tiago.

– Tinha até me esquecido. – disse Sirius.

– E ainda tem os NIEM’s chegando… – disse Lílian.

– Vai ser fácil, Lily… Não se preocupe. – disse Alice.

– Vou me preocupar sim… E vou fazer todos vocês estudarem.

– Vai me trocar por livros? – perguntou Tiago.

– Vai me trocar por uma vassoura? – retrucou Lílian.

– “Tuche”! – disse Tiago rindo. – Você venceu!

– Vamos parar de namorar aí… Estava pensando… – começou Peter.

– Você estava pensando? – debochou Sirius.

– Quando Remo vai falar com a Tonks? – perguntou Peter.

– Já tinha até me esquecido… – disse Frank pensativo.

– Quando vai ser o próximo passeio para Hogmead? – perguntou Tiago.

– Daqui umas duas semanas. – respondeu Lílian.

– Perfeito. Remo vai combinar de ir com a Tonks. – Disse Sirius.

– Que roubada, gente… Eu não quero namorar… – disse Remo.

– Não precisa, meu amigo tímido… – disse Sirius. – Só dar uns beijos… O que tem de mais nisso?

– Não sei não… – disse Remo indeciso.

Remo foi ler um livro, Peter foi para a cozinha comer, disse que ainda estava com fome, Frank e Alice foram namorar um pouco no dormitório, Sirius e Kely foram para uma sala vazia dar uns beijos, e Lílian e Tiago ficaram no Salão Comunal namorando, sendo mais discretos.

– Senta aqui, Lily. – pediu Tiago mostrando o colo.

– Não, Tiago. Não vai dar uma boa impressão…

– E quem é que está ligando para o que os outros vão pensar? Você é minha namorada. Ninguém tem que falar nada. – disse ele puxando Lílian para sentar em seu colo.

– Tiago… Tem uma coisa que me esqueci de perguntar. – disse ela abraçando-o.

– Pode falar! – pediu ele olhando-a fixamente.

– Como você virou um Maroto? – perguntou.

– Não posso te contar, Lily. Se não iria ter que contar um segredo de outra pessoa também…- respondeu ele sincero. – Mas não se preocupe. Não tem nada haver com mulheres. – acrescentou vendo a cara de desconfiada da namorada. – Agora vamos parar de falar nisso. Quero recuperar o tempo perdido… Passei muito tempo longe de você. – completou a beijando.

No dia seguinte, Sirius e Tiago foram jogar quadribol, e Kely e Lílian ficaram assistindo o do almoço todos se encontraram no lago.

– E como foi a manhã de vocês? – perguntou Remo.

– Lily e eu ficamos vendo os meninos jogando… e vocês? – perguntou Kely.

– Frank estava tendo aula de reforço em feitiços, e eu fiquei conversando com umas amigas. – respondeu Alice.

– A questão não é o que fizemos… – começou Peter.

– É o que vamos fazer. – concluiu Frank.

– Podemos aprontar com o Ranhoso. – sugeriu Sirius.

– Nem pensem nisso! – disse Lílian nervosa. – Irei dar detenção para vocês…

– Melhor ainda. Assim tenho desculpa para ficar com você. – disse Tiago sorridente.

– Engano seu. Em detenção eu sou senhorita Evans para vocês, e nada de intimidade.

– Falei para você não arrumar uma namorada monitora… – comentou Sirius para Tiago.

– Aprontamos amanhã. – disse Peter.

– Por quê? – perguntou Alice.

– Amanhã é lua cheia. – disse Peter com pouco caso.

– E o que tem de mais nisso? – perguntou Frank.

– Sei lá. – responderam os Marotos.

– Peter deve estar com fome. – disse Lílian olhando misteriosamente para Kely.

Todos ficaram conversando até dar a hora de Remo e Lílian fazerem a ronda.

– Nos vemos no Salão Comunal. E não demorem a ir para lá, ou vão levar detenção. – disse Remo.

– Te vejo mais tarde, Ti! – disse a menina selando seus lábios nos dele e se afastando.

E assim logo chegou o dia seguinte, que passou normalmente, entre beijos e risos. Logo que começou a anoitecer, os Marotos sumiram (foram para a casa dos gritos, junto com Remo), e logo apareceu uma Lily vermelha e uma Kely nervosa no Salão Comunal.

– Onde está o seu namorado? – perguntaram as duas irritadas.- Eu é que pergunto. – responderam juntas

– Hoje é lua cheia. Onde eles podem ter ido? – perguntou Lílian irritada.

– Você não acha que eles também são… – começou Kely.

– O que aconteceu, meninas? – perguntou Alice.

– Nada. Nós vamos procurar o Tiago e o Sirius. – disse Kely.

– Vamos primeiro no dormitório deles. Quero pegar uma coisa lá! – disse Lílian subindo com Kely atrás.

– O que veio pegar aqui? – perguntou Kely assim que chegaram ao dormitório.

– A capa de invisibilidade do Tiago. Se eles são lobisomens como o Remo, é melhor que não nos vejam. – disse Lílian mexendo no malão do namorado.

– Apesar de não ajudar muito. Eles vão sentir nosso cheiro. – respondeu Kely pensativa.

– Não está aqui! Seu namorado levou o meu para a farra! – disse Lílian irritada.

– Ei! O seu que fez isso! – respondeu Kely.

– Certo… Não vamos brigar. Vamos atrás deles.

– O onde eles podem estar? – perguntou Kely sentando na cama de Sirius.

– Nos jardins, é claro. – respondeu Lílian saindo do dormitório.

As meninas foram decididas para o jardim.

– Acho melhor não sairmos. Vai que o Remo está por aí. – disse Kely.

– Claro que o Remo já foi para a casa dos gritos. Vem… Vamos procurar aqueles dois. – disse Lílian saindo do andando por uns cinco minutos até escutarem um uivo.

– Acho melhor voltarmos antes que encontremos com o Remo! – disse Kely.

– Acho que é tarde de mais… – disse Lílian com a voz tremendo ao ver o lobisomem as olhando.

– Acho que ele pensa que nós somos o jantar. – disse Kely dando alguns passos para trás.

– Então é melhor correr! – disse Lílian apavorada vendo o lobisomem se aproximando rapidamente.

– Ahhhhhhhhhhhhhhhhh! – gritou Kely enquanto corria.

– O que é aquilo? – perguntou Lílian vendo alguma coisa se mexer atrás de Remo.

– Não quero nem saber. Não vou olhar para trás. – disse Kely ainda correndo e tropeçando em uma pedra.

– Levanta, Kely. – disse Lílian voltando para ajudar a amiga. – Não deveríamos estar aqui nos jardins!

– Não dá para andar. Torci o tornozelo, Lily. – respondeu a menina.

– Eu te ajudo! – disse Lílian fazendo a menina se apoiar nela.

– Tarde de mais. – disse Kely vendo o lobisomem na sua frente pronto para atacá-las, mas um cachorro preto se jogou mordendo o pescoço do lobisomem e um cervo se colocou entre o lobisomem e elas. – Que estranho!

– Eu conheço esse cervo de algum lugar… – disse Lílian pensativa vendo a briga dos animais.

– Dá para parar de observar o cervo e me ajudar a fugir? – perguntou Kely.

– Desculpa. – respondeu Lílian ajudando a menina.

Depois de algum tempo, Lílian olhou para trás e viu que o lobisomem já havia sumido e o cachorro vinha na direção delas.

– Eu conheço esses olhos… – disse Kely pensativa.

– Eu não acredito que… – mas Lílian parou de falar.

– Não acredita no quê? – perguntou Kely.

– Sirius Black, apareça já! – disse a menina irritada.E no instante seguinte, o cachorro desapareceu dando lugar a Sirius.

– Eu sabia que conhecia aquele cervo… – disse Lílian.

– O que vocês estão fazendo aqui? – perguntou Sirius pegando Kely no colo.

– Procurando os imprestáveis dos nossos namorados que sumiram bem na lua cheia. Parecem até que não sabem da transformação do Remo. – disse Lílian irritada. – E desde quando vocês são animagos?

– Desde o quarto ano. – respondeu Sirius.

– Gostei da coleira. – disse Kely rindo nos braços do menino e se lembrando de que Sirius, quando cachorro, tinha uma coleira com o nome dela.

– Coloquei para você! – disse ele meloso.

– Cadê o Tiago? – perguntou Lílian.

– Está atrasando o Remo até eu levar vocês para dentro do castelo. – respondeu Sirius.

– E você deixa o Tiago sozinho com o lobisomem? – perguntou ela irada.

– Lobisomens não atacam animais, Lílian. Só pessoas! Agora entre logo. Amanhã conversamos. – disse colocando Kely no chão. – Cuide dela. Não a leve para a enfermaria… Sei que você é boa com curativos… Tiago já me disse isso. – disse dando um beijo na testa das duas. – Vão logo. Tenho que ajudar Tiago. – disse antes de sair correndo na direção da floresta e se transformar em cachorro novamente.

As meninas voltaram para o Salão Comunal e Lílian cuidou dos ferimentos de Kely.

– Vamos subir. Amanhã falamos com eles. – disse Kely.

– Nem pensar. Tiago não me escapa amanhã. Vou ficar bem aqui. Sem contar que eles vão estar machucados. Vi muito bem quando Remo atacou Tiago quando Sirius saiu correndo. – disse Lílian preocupada.

– Precisamos fingir que não aconteceu nada, Lily, afinal, amanhã tem aula. – disse Kely.

– Mais um motivo para falar com o Tiago logo. Vou tomar um banho e trocar de roupa e já desço. – disse ela subindo.

As meninas dormiram no Salão Comunal. Assim que Tiago, Peter, Remo (abatido) e Sirius entraram no Salão Comunal deram de cara com as duas dormindo.

– Vocês terão problemas… – disse Peter subindo.

– Dá para alguém me explicar como elas souberam que era eu? – perguntou Remo irritado.

– Dá para falar baixo? Se elas acordarem… – começo Sirius.

– Tarde de mais! – disse Lílian abrindo os olhos.

– Ufa… Ainda bem que foi só a Lily. – disse Sirius tentando sair de fininho.

– Fique onde está, Sirius Black. – disse Kely sentando.

– Oi, meu lírio. – disse Tiago indo abraçar a namorada.

– Não me venha com meu lírio. Tiago Potter… Como não poderia ter ficado na sua cama? Para que ir parar nos jardins com o Remo transformado? – perguntou ela irritada repelindo ele.

– E você, Sirius Black. O que pensa que estava fazendo? – perguntou Kely.

– Estou de saída. – disse um Remo pálido.

– Não pense que vai escapar da bronca, Lupin. – disse Lílian irritada. – Por que não estava na casa dos gritos?

– Lily… Aqui não é lugar para conversar sobre isso. – disse Tiago.

– Lupin, vá para o quarto… E vocês dois – disse Kely apontando Tiago e Sirius. – Tomem um banho e desçam. Se demorarem mais de meia hora, vamos atrás de vocês.

– Lily… – começou Tiago.

– Sobe, Tiago! – mandou a menina. – E desce para que eu cuide desses machucados. – falou mais calma.
– Vocês estão ferrados. – disse Remo subindo com os amigos.

Meia hora depois, Lílian e Kely já estavam no Salão Comunal prontas esperando os meninos.

– Vamos subir. Eles devem estar enrolando. – disse Kely.

– Vamos. – concordou Lílian.

– Se tiver alguém sem roupa é bom colocar logo. Eu estou entrando. – disse Kely antes de abri a porta.

Remo estava só de calça, enxugando os cabelos, Peter estava ainda com as roupas de noite passada, deitado na cama comendo bolachas, Sirius estava só de toalha agachado pegando uma roupa, e Tiago estava de frente para espelho tentando arrumar os cabelos.

– Pelo menos eu sei que ele tenta. – disse Lílian rindo ao ver o namorado tentando inutilmente arrumar os cabelos rebeldes.

– Temos visitas, Sirius. – disse Tiago assim que viu as meninas.

– O quê? – perguntou o menino se levantando assustado quase deixando a toalha cair.

– Toma cuidado. Kely não quer te ver sem roupa ainda. – disse Peter rindo.

– O que estão fazendo aqui? – perguntou Remo se apressando em colocar a camisa.

– Vim cuidar do Tiago. – disse Lílian mostrando uma malinha.

– E eu vim brigar com o Sirius. – disse Kely.

– Acho melhor você esperar um pouco para brigar com ele… – começou Tiago.

– Que tal me ajudar a colocar a roupa? Assim fazemos as pazes rapidinho… E de um jeito muito especial. – disse Sirius indo abraçar Kely.

– Sirius, por favor, vai se trocar. Não quero levar um susto vendo você sem roupa. – disse Lílian fazendo os amigos rirem.

– Não vem comigo, Kely? – perguntou ele galanteador.

– Não! – respondeu a menina se jogando na cama dele sedutora. – Vou te esperar aqui. E cada minuto que você demorar vai corresponder a um dia inteiro sem beij… – mas a menina não terminou, foi interrompida pelo barulho da porta do banheiro se fechando, dizendo que Sirius já estava indo se trocar.

– E quanto a você… – começou Lílian. – Tire logo essa camisa. – disse ela autoritária.

– Acho que invertemos os papéis… Quem me dera já estar sem roupa como o Sirius… – começou Tiago malicioso.

– Quero cuidar do seu machucado. Vi que estava sangrando. – disse ela puxando o namorado para a cama.

– Já disse que quando quiser me ver sem roupa é só avisar… Mas quando me quiser na cama… – começou.

– Cala a boca, Pontas! – disse Remo rindo.

– Vai tirar a blusa logo ou vai esperar que eu faça isso? – perguntou Lílian irritada para Tiago.

– Se quiser… – disse ele abrindo os braços como se chamando ela.

– Se eu fizer isso, vai ter que comprar uma camisa. – disse ela irritada.

– É tão selvagem assim, Lily? – perguntou Sirius maliciosamente e rindo enquanto saia do banheiro terminando de abotoar a camisa.

– Não vou me dar ao trabalho de responder. – disse ela para Sirius. – Estou esperando, Potter! – disse para Tiago.

– E voltam as formalidades. – disse ele começando a desabotoar a camisa.

– Por que não nos contou logo, Sirius? – perguntou Kely quando o namorado sentou ao seu lado.

– O segredo era do Remo, meu amor. – respondeu ele calmamente.

– Não era não. Já sabemos há muito tempo sobre o Remo. Poderiam ter nos contado! – disse Kely começando a ficar mais calma.

– Como assim já sabiam? – perguntou Remo em pânico.

– Sabendo. Sabe como é… Você some toda lua cheia, aparece péssimo no dia seguinte… – começou Lílian.

– Minha namorada é um gênio. – disse Tiago orgulhoso.

– E continuaram falando comigo normalmente? – perguntou Remo sem acreditar.

– Claro que sim. Você é uma ótima pessoa, um homem muito inteligente, educado, bonito, simpático… – dizia Lílian.
– Ele entendeu. – disse Tiago interrompendo a namorada que apertou o algodão fazendo arder.

– Você é um ótimo amigo, Remo. Nunca pararíamos de falar com você por causa de uma coisa que não é culpa sua. – disse Lílian fingindo que não tinha sido interrompida.

– Apoiado! Só fico chateada por você não ter nos contado. – disse Kely.

– Ele não contou nem para nós. – disse Peter.

– Tivemos que descobrir. – disse Sirius.

– E mesmo assim ainda vão com ele em toda lua cheia. – disse Kely orgulhosa. – Meu namorado é um fofo! – disse beijando Sirius.

– Ele é meloso… Até colocou uma coleira com seu nome. – disse Tiago rindo.

– Não sou eu que fico vendo lírios por todos os cantos… – disse Sirius fazendo Lílian rir.

– A questão é que vocês deveriam ter nos avisado. – disse Lílian.

– Se sabiam que o Remo era um lobisomem… Por que foram para os jardins? – perguntou Tiago sério, tentando dar uma bronca nas duas.

– Porque nossos namorados irresponsáveis sumiram na lua cheia! – disse Lílian nervosa. – Se vocês tivessem avisado, ou nos contado, não teríamos ido.

– Pensei que iria te perder! – disse Tiago triste. – Quando te vi…

– Eu sabia que conhecia aquele cervo… – disse Lílian.

– Também… Você arrumou o maior veado do mundo como namorado… – disse Sirius rindo.

– É cervo! – disseram os dois fazendo os outros rirem.

– Parece que ela já pegou o espírito da coisa. – disse Peter rindo.

– Pode colocar a blusa de novo, Tiago. – disse ela guardando as poções.

– Não posso ficar assim? – perguntou ele com carinha de cachorro sem dono.

– Não. Aquelas vadias já dão em cima de você com roupa… Piorou quase sem camisa. – disse Lílian irritada.

– Mas como ela é ciumenta, Pontas. – disse Remo rindo.

– Pontas…? – perguntou Lílian pensativa e logo em seguida começou a rir.

– Está rindo do quê? – perguntou Tiago confuso.

– Finalmente entendi o apelido. Cervo tem… – começou ela.

– Pontas! – disse Tiago com um sorriso.

– E por que Almofadinhas? – perguntou Kely

– Já viu como o pelo do seu namorado é macio? Parece uma almofada… Sem contar que ele é um exibido. – disse Tiago.

– Não acredito que está me traindo com o cachorro do Sirius. – disse Lílian tentando ficar séria.

– Falei que era para guardar segredo, Tiaguinho. – disse Sirius pulando no colo do amigo.

– Perdi meu namorado pro veado do Tiago. – brincou Kely fingindo estar triste.

– É cervo! – disseram Tiago e Lílian. – E eu nunca trocaria meu lírio pelo pulguento aqui! – disse Tiago jogando Sirius no chão.

– Agora vejo que você só queria meu corpinho… Meu usou, abusou, fez o que quis e agora me despreza. – disse ele com uma voz fina, levando a mão a cabeça como se fosse desmaiar.

– Dramático! – disse Tiago antes de beijar Lílian.

– Já está na hora do café. É melhor descermos. – disse Peter se colocando de pé.

Cap Anterior

Próximo Cap


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

2 thoughts on “Até que enfim você é minha – Cap 18

  • Wateru

    Aw aw, eu sempre rio muito quando o Sirius de faz de bicha :hebe:
    Fica :tenso: , mas é muito engraçado :lmao:

    Mas essas meninas, hein? É lógico que os meninos vão pra acompanhar o Remo, ué :hades: elas achavam que eles iam se arriscar pra morrer, é? :lmao:
    Aiai, garotas. Pensem melhor :tsc:

    Estou quase atualizando :surto: quase :surto:

    [Responder]