Até que enfim você é minha – Cap 15 1


Anteriormente:

– Não! Ele foi maravilhoso. – respondeu a menina beijando o namorado.

– É melhor deixarmos os casais, Remo! – disse Mariana.

– Concordo… – respondeu puxando ela para a pista de dança.

A festa correu melhor que o esperado. Todos eram muito simpáticos e a música muito boa. Todos foram dormir extremamente tarde. E para a infelicidade de Tiago, Lílian, Kely e Sirius, tiveram que ir cada um para a sua cama.

Cap 15 – Olá Petúnia

Todos acordaram um pouco tarde no dia seguinte. Remo foi o primeiro a levantar e se arrumar, então rumou para o quarto dos amigos para acordá-los. Primeiro foi no quarto de Sirius.

– Acorda, Sirius! – pediu, mas Sirius nem se mexeu – Por que eu ainda chamo? – perguntou para si mesmo pegando a varinha e fazendo Sirius ficar da cabeça para baixo, segurado pelo tornozelo.

– Você é muito delicado me acordando! – resmungou Sirius.

– Você não acorda quando eu chamo… – respondeu Remo dando de ombros e fechando a porta atrás de si.

Rumou então para o quarto de Frank, que acordou rapidamente, assim que Remo entrou no quarto ele já abriu os olhos.

– Estava acordado? – perguntou Remo.

– Não! É que tenho o sono leve. Acordei com você abrindo a porta. – respondeu se sentando na cama.

– Que bom… Não estava a fim de te azarar.

Logo em seguida foi para o quarto de Peter, que por sinal estava trancado. Remo estranhou, mas murmurou um feitiço e a porta se abriu, mostrando um Peter só da cuecas na cama, fazendo Remo gritar de horror:

– Ninguém merece ver isso logo cedo! – disse enquanto Sirius e Frank chegavam.

– Eu não entro aí nem que me paguem! – disse Sirius.

– Alguém vai ter que acordá-lo. – disse Frank.

– Acho melhor não. Deixe-o aí… Não vai fazer muita falta… Ele só come… – disse Sirius rumando para o quarto de Tiago. – Vocês não vêm acordar o Tiago? – perguntou.

– Se esqueceu que agente não consegue entrar no quarto dele? – perguntou Remo revirando os olhos.

– Me esqueci que vocês não são de confiança… – disse com um enorme sorriso antes de abrir a porta do quarto do amigo. – Pontas! – chamou, mas nada aconteceu. – Por que sempre tenho que te acordar do jeito difícil? – perguntou para o menino ainda dormindo. – Lily, minha princesa, vem me dar um beijinho! – disse Sirius.

– Não chegue perto dela. – disse Tiago na mesma hora procurando a varinha.

– Relaxa… Só estava te acordando. – respondeu Sirius rindo.

– Todos já acordaram? – perguntou Tiago se espreguiçando.

– Só os homens da casa… – falou Sirius maliciosamente.

– Perfeito! Vou acordar a minha namorada! – disse ele se colocando de pé.

– Idem. – disse Sirius saindo.

– Aonde vão? – perguntou Frank assim que os dois saíram do quarto.

– Acordar nossas namoradas… – disse Sirius.

– Por que não fazemos uma surpresa para elas? – perguntou Frank.

– Como o quê? – perguntou Tiago

– Café na cama. – disse Frank.

– Adorei a idéia. – Disse Sirius animado.

– Que mancada… Mariana vai ficar chateada se não receber nada… – disse Remo.

– Mas ela vai receber… – começou Sirius.

– Você vai levar… – completou Tiago. – Vou tomar banho e arrumar café da Lily! – disse indo em direção ao seu quarto.

Uma meia hora depois os quatro rapazes estavam com bandejas nas mãos indo em direção aos quartos das namoradas.

– Alice, meu amor… Acorda! Já está tarde… – disse Frank antes de dar um beijinho no rosto da moça fazendo-a despertar.

– Que horas são? – perguntou com voz de sono.

– Passa das onze. – respondeu ele calmamente. – Trouxe seu café da manhã.

– Que fofo, Frank! – disse ela se sentando e encostando levemente os lábios nos do namorado.

**
– Kely… Kely… Minha flor… – chamou Sirius.

– Só mais um pouco, Lily… Já, já levanto…

– Não sou a Lily. – falou ele indignado fazendo a menina abrir os olhos.

– Ah… Olá, Sirius!

– Vim trazer seu café. – disse ele mostrando a bandeja.

– Que bom… Estou morrendo de fome. – respondeu ela se colocando logo a comer.

**
– Mariana? Está acordada? Posso entrar? – perguntou Remo ainda na porta.

– Pode sim, Remo. – disse a menina.

– Vim lhe trazer seu café. – disse entrando.

– Obrigada! Eu logo ia descer. – disse ela se sentando na cama. – Venha comer comigo…

– Ruivinha! – chamou Tiago. – Lily! – chamou mais uma vez colocando a bandeja nos pés da cama. – Meu amor… Acorde! – pediu passando levemente a mão no rosto da menina fazendo-a se mexer. – Até dormindo se faz de difícil… – disse ele rindo e admirando a moça. – Meu anjo… Acorde… – pediu ele depositando um leve beijo nos lábios da amada, fazendo a abrir levemente os olhos. – Bom dia!

– Bom dia! – respondeu ela olhando para ele.

– Dormiu bem? – perguntou.

– Como um anjo… – respondeu ela se sentando.

– Que bom! Trouxe café para nós… – disse pegando a bandeja e colocando próximo dela.

– Você é um namorado perfeito, senhor Potter! – disse ela lhe puxando para perto.

– Faço o possível, ruivinha. – respondeu antes de beijá-la docemente. – Vamos comer antes que o café esfrie. – disse quando a soltou.

Depois de quase uma hora todos já estavam na sala conversando animadamente.

– Afinal… Cadê seus pais, Tiago? – perguntou Alice.

– Tiveram que sair… Parece que Voldemort atacou de novo… – respondeu um pouco triste.

– Relaxa… Eles estão bem. – falou Sirius com um sorriso reconfortante.

Mas antes que Tiago pudesse responder, a campainha tocou, e logo Tiago se apressou a abrir a porta, afinal Fifi estava na cozinha.

– Minha nossa! Eu não sabia que estava vindo para a sua casa, meu Deus Grego! – disse Petúnia pulando no pescoço de Tiago.

– Estava tudo bom de mais… – começou Remo.

– Se eu fosse você o soltava agora mesmo, Petúnia. – disse Lílian seriamente com a varinha em punho.

– Você ainda tem ciúmes dele? Não entendeu que ele vai ser meu, querida irmã? – perguntou Petúnia sarcástica.

– Ela é pior do que pensei… – cochichou Frank para Sirius.

– Afaste-se dele. Não vou avisar de novo! – disse Lílian claramente tentando controlar a raiva.

– Se acalme, meu amor. – disse Tiago se afastando rapidamente de Petúnia.

– Meu amor? O que é isso, afinal? Encontro-me por infelicidade em uma linda casa, com um lindo homem, que alias ficar melhor sem óculos, querido, e tenho que ver essas aberrações me olhando assim… Lílian, você é realmente desprezível, sua ABERRAÇÃO!

Antes que Lílian pudesse azarar Petúnia, Kely retirou a varinha da mão da menina.

– Vamos com calma, galera… – disse Sirius tentando acalmar os ânimos.

– E que lindo homem seria esse? – perguntou Alice debochadamente.

– Não falo com aberrações como vocês, falo só com a Lílian, porque sou obrigada, e com o meu Deus Grego. – disse Petúnia irritada indo abraçar Tiago novamente, mas ele a repeliu.

– Primeiro e mais importante: Eu tenho namorada, querida cunhada! – disse Tiago repelindo a moça a sublinhando a palavra cunhada.

– Eu não me importo! Estou noiva e nem por isso deixo de ver a beleza que…

– Mais uma palavra e explodirei você! – disse Lílian apontando a varinha de Tiago para a menina.

– Lá vem você de novo… Você não pode fazer magia fora da sua escola… Não tenho medo de você… Você não é nada sem esse pedaço de madeira. Sem contar que será muito bom ter uma despedida de solteira com o meu Deus Grego… E nossa… Temos outro bruxo lindo aqui… – disse se aproximando de Sirius, mas Kely se colocou entre os dois.

– Acho que você está mexendo com fogo! – disse Kely.

– Calminha, meninas… Vamos resolver isso com calma. – disse Remo.

– Que loirinho mais fofo! – disse Petúnia para Remo.

– Fofo, lindo, gostoso e meu. – disse Mariana visivelmente irritada.

– Mari… – começou Remo, mas Lílian o interrompeu.

– Petúnia, acho melhor você ficar o dia inteiro trancada dentro do quarto. Não quero você perto de nenhum dos meus amigos e muito menos do Tiago… Fui clara? – perguntou a menina tentando ser paciente ainda com a varinha de Tiago em punho.

– Já disse que você não me intimida, aberração. E fico perto de quem eu quiser… Não é, Tiaguinho querido…? – perguntou tentando abraçar Tiago que a repeliu.

– Vamos deixar uma coisa clara… Eu não gosto de você, tenho raiva de você e posso usar magia contra você… Só te respeito por ser uma Evans também.

– Melhor ainda, querido! Você não vai fazer nada contra mim, eu sei… A única que teria coragem é a idiota da Lílian, mas coitada, ela não pode… Não pode usar a varinha dela contra mim… Coitada! – disse Petúnia muito irônica, agarrando Tiago e lhe dando um selinho antes dele a empurrar irritado.

– Não posso usar a varinha, mas… – e Lílian jogou a varinha de Tiago em cima dele e se jogou em cima da irmã puxando os cabelos dela. – Não chegue perto dele! – disse ainda batendo na menina.

– É isso aí, Lily. Arrebenta essa idiota! – gritou Kely, Mariana e Alice animadas.

– Alguém faça alguma coisa! – pediu Peter se desesperando.

– Não vai fazer nada, Tiago? A Lily vai matar a menina… – começou Frank

– Melhor que mate… Antes que a Petúnia faça a Lily brigar comigo… – respondeu Tiago sentando no sofá e observando a briga.

– Não estou te reconhecendo, Pontas… – disse Remo. – Vem, Sirius, vamos dar um jeito nisso. – disse Remo tirando Lílian com dificuldade de cima da irmã, enquanto Sirius segurava Petúnia.

– Se controla, Lily! – pediu Remo.

– Vem para cima se é mulher! É só isso que consegue fazer? – disse Petúnia limpando o sangue saindo de sua boca enquanto Sirius a mantinha afastada da irmã.

– Chegue perto do meu namorado de novo e não vou responder por mim. E não vai ser só a sua cara que vai sair arrebentada da próxima vez… – gritou Lílian se soltando de Remo e subindo para o quarto sem nenhum arranhão.

– Faz alguma coisa, Tiago! – pediu Mariana.

– Já volto. – disse ele indo atrás de Lílian

– Posso entrar? – perguntou batendo na porta do seu próprio quarto.

– Entre… O quarto é seu… – respondeu Lílian arrumando os cabelos em frente ao espelho de Tiago.

– Esta com raiva de mim? – perguntou um pouco preocupado.

– Nem um pouco… Só que se mantenha afastado da Petúnia antes que eu a mate. – respondeu ela ainda séria.

– Sobre isso não precisa se preocupar, ruivinha… – disse ele abraçando-a por trás.

– Estou com um pressentimento ruim, Tiago. – disse Lílian observando o namorado pelo espelho.

– Eu estou com você! Não vai te acontecer nada… Eu não deixo.

– Eu simplesmente amo você, Ti! – disse ela se virando para fitá-lo

– Eu também… Amo-te muito… Você nem imagina o quanto.

– Não me ama mais que eu te amo.

– Claro que sim… – respondeu ele indignado antes de beijá-la e antes que percebessem já estavam deitados na cama.

– Acho melhor descermos. Deixamos a Petúnia com o pessoal… – disse ela empurrando docemente o namorado.

– Tem razão! – disse ele se levantando.

Assim que Tiago e Lílian desceram deram de cara com Alice, Mariana e Kely discutindo com a garota.

– Desinfeta, Petúnia. – disse Lílian sentando no sofá. – Sobe antes que azarem você, e eu ajude!

– Não vai me defender dessas loucas, meu amor? – perguntou ela para Tiago.

– Não sou seu amor… Meu coração pertence a uma linda dama de olhos verdes, e não a você. E sobe logo, pois eu adoraria ver todos lhe azarando, seria até mais legal do que quando azaramos o Snape – disse ele abraçando a ruiva.

Petúnia bufou de raiva e subiu as escadas.

– Por que vocês estavam brigando? – perguntou Lílian.

– Ela é muito chata. Ficou aqui falando mal de você! – disse Kely emburrada.

– Uau! Estavam me defendendo… – disse a menina rindo.

– Não tem graça. Estávamos nos controlando para não azarar ela. – disse Sirius.

– Valeu gente! Vocês são de mais. – disse Lílian abraçando todos.

– Abraço em grupo! – gritou Mariana.

Todos, exceto Petúnia, ficaram até tarde na sala conversando.

– Vamos para o quarto, Kely? – perguntou Sirius.

– Vou dormir no meu quarto… Vai que os pais do Tiago chegam de madrugada… – começou a garota.

– Mas é a nossa última noite… – reclamou ele.

– Por isso mesmo… – respondeu ela rindo.

– Vamos, Alice? – perguntou Frank.

– Claro. Vamos para o seu quarto… – disse a menina puxando o namorado.

– Por que eles dormem juntos e nós não? – perguntou Sirius com cara de cachorro que caiu da mudança vendo o casal subir as escadas.

– Porque eles já chegaram aos finalmentes, e pela cara dos dois… – começou Kely.

– Não era para contar! – protestou Mariana.

– Mas esse não é problema… Podemos fazer o mesmo. – disse Sirius malicioso.

– Seu pervertido! – disse Kely dando um tapinha no ombro do menino.

– Só pensei alto… – se defendeu Sirius.

– Dá para o casal se decidir logo? – perguntou Remo rindo.

– Vamos logo para o quarto, Kely! – pediu ele.

– Só estamos namorando há um dia… – começou Kely.

– E que mal tem?

– Só por isso vou dormir no meu quarto! Tchau, Black. Boa noite, pessoal! – disse ela subindo com Sirius atrás.

– Meu amor… Vamos conversar… – falava ele enquanto acompanhava a menina.

– Eu também vou! – disse Remo se levantando.

– Te acompanho. Estou cansada! – disse Mariana. – ‘Noite! – disse para os amigos.

– Vou pegar uma bolacha na cozinha o vou dormir também.. – disse Peter se levantando.

– Tchau! – disseram Lílian e Tiago.

– E ficamos sozinhos novamente. – disse ele ainda deitado no colo da namorada.

– Melhor aproveitarmos, não é? – perguntou ela sorrindo.

– Com certeza! – respondeu ele puxando-a para um beijo.

Os pombinhos ficaram mais algum tempo na sala, e finalmente subiram, passaram no quarto de Sirius para descobrir que fim deu a discussão dos dois, e viram Kely abraçada ao menino.

– Será…? – começou Tiago malicioso.

– Claro que não! – respondeu Lílian fechando aporta do quarto de Sirius.

– Então vamos? – perguntou ele.

– Vou para o meu quarto, e você para o seu. Seus pais podem chegar a qualquer momento.

– Mas, Lily… Não teremos chance de fazer isso de novo… – protestou ele.

– Claro que vamos… Todos no seu dormitório sabem que já dormimos abraçados e juntos. Podemos muito bem fazer isso de novo… Aposto que os Marotos e Frank não vão se incomodar se eu dormir às vezes lá com você… – disse ela rindo.

– Amo você! – disse ele a beijando.

– Eu sei! – respondeu ela divertida.

– Tem certeza que não quer dormir nos meus braços? – perguntou ele galanteador.

– Vai ser melhor. Estou com uma sensação estranha, Ti! – disse ela parecendo preocupada.

– Eu cuido de você! – disse ele pegando-a pela cintura.

– Eu sei… – respondeu beijando-o.

– Queria que o mundo parasse só para poder ficar aqui com você… – disse ele sonhador.

– Não se preocupe… Depois que voltarmos para a escola nada vai mudar.

– Espero que não. – respondeu ele depositando mais um beijo na menina enquanto suas mãos dançavam nas costas dela.

– Boa noite, Ti. – disse ela assim que se separaram.

– ‘Noite meu anjo ruivo.- E cada um foi para o seu quarto.

No meio da noite, Tiago acorda assustados com gritos vindos do corredor:

– CULPA SUA! Sua e dessas aberrações igual a você! – gritava Petúnia enquanto Lílian estava encostada na parede de seu quarto no meio do corredor chorando.

– O que está acontecendo? Você está bem? – perguntou Tiago se aproximando de Lílian preocupado.

– Eu vou matar você! Assim como você fez com ela! – Gritou Petúnia acordando o resto dos amigos de Lílian, que ficaram espantados com a situação. – Você! E só você é a culpada! – gritava Petúnia enquanto Lílian chorava.

– O que aconteceu? – perguntou Tiago novamente.

– Ela matou meus pais! Acabou de matar a minha mãe! Essa aberração! – gritava Petúnia enquanto também chorava.

– Como assim? – perguntou Sirius sem entender.

Tiago pegou o pergaminho que estava na mão de Lílian enquanto a abraçava.

”Querida Lílian,

Não tenho notícias muito agradáveis para lhe dar, mas espero que fique bem… Logo voltaremos para casa, amanhã antes de partirem estaremos de volta, agora estamos no hospital, por causa do ataque que teve durante dia.

Não sei se sabe, mas aquele-que-não-deve-ser-nomeado está cada vez mais forte, e estávamos tendo um pouco de dificuldades para lidar com isso. Logo cedo tivemos que sair às pressas de casa, porque recebemos um aviso urgente do ministério. Voldemort estava atacando trouxas, e realmente tivemos trabalho, ele está conseguindo muitos aliados…

Vamos parar de enrolar e dizer logo… Acho que você já está aflita com essa carta… Não tem jeito melhor de falar, então vou direto ao ponto… Sinto informar, mas sua mãe foi uma das vitimas do Lord das trevas, sinto lhe informar ainda mais, mas ela não sobreviveu, e não temos nem ao menos um corpo para velar e enterrar. Sinto muito, ruiva, mas sua mãe foi pega quando estava voltando do trabalho hoje um pouco mais cedo.

Se precisar de alguma coisa, pode contar conosco. A casa sempre estará aberta para você e sua irmã. Avise Tiago que estamos bem. São só mais alguns arranhões para a coleção.

Meus pêsames;
Sara e James Potter

– Eu não acredito! – disse Tiago assim que terminou de ler a carta. – Não é possível que sua mãe… – começou, mas não termino porque Lílian foi arrancada por Petúnia de seus braços.

– Tudo culpa sua! Se não fosse essa aberração, meus pais ainda estariam vivos! – dizia Petúnia enquanto sacudia uma Lílian quase desfalecida de tanto chorar, e pálida como um papel. – Você não gostava dela, não é? Por que não saiu de casa? Por que teve que mandar um bruxo matá-la?

– A culpa não foi dela. Ela é tão vítima quando você! – disse Tiago tirando Lílian de perto da irmã.

– Preciso de ajuda! – pediu Tiago segurando Lílian em seus braços enquanto uma Petúnia furiosa tentava bater na menina.

Remo correu e segurou Petúnia, enquanto as meninas entraram nos quartos atrás de poções.

– Leve-a para o quarto, Pontas! Ela não parece nada bem. – disse Sirius analisando Lílian que além de tudo estava gelada.

Remo levou Petúnia para o quarto com a ajuda de Frank, enquanto Kely e Mariana corriam para o quarto de Tiago que depositava a namorada cuidadosamente na cama. Alice correu para o quarto de Petúnia para dá-la uma poção do sono.

Depois que colocaram Petúnia para dormir todos correram para o quarto de Tiago.

– Como ela está? – perguntou Alice entrando.

– Vai ficar bem. Demos um calmante para ela. – disse Mariana.

– Pelo menos ela não está mais tão pálida.. – disse Sirius.

– O que aconteceu, Tiago? – perguntou Mariana.

– Voldemort matou a mãe dela, e pelo que entendi, Petúnia culpou a Lílian. – respondeu ele ainda preocupado, segurando a mão da namorada.

– Vou matar a Petúnia por fazer isso com ela. Olha o estado que a Lily esá… – disse Kely com raiva.

– Se acalme, Kely… Não queremos mais ninguém alterado por hoje… – disse Sirius segurando a namorada.

– Vou ficar aqui com vocês. Minha amiga precisa de mim… – disse Kely tentando se soltar de Sirius.

– Ela precisa do Tiago. Não se preocupe. Ela vai ficar bem… A poção calmante já está fazendo efeito. – disse Remo.

– Vamos deixá-los sozinhos. Precisamos dormir bem para dar força para a nossa amiga enfrentar a irmã amanhã – disse Mariana rumando para a porta. – Cuide dela, Ti!

– Não se preocupem. Não vou sair do lado dela. – disse ele sem tirar os olhos da menina, que mantinha os olhos abertos e mais parecia olhar para o nada.

– Vamos! – chamou Frank levando todos para fora.

Depois de alguns minutos, Lílian saiu do estado de choque em que se encontrava.

– Está melhor, Lily? – perguntou Tiago extremamente preocupado sentado ao lado da menina, acomodando-se em uma poltrona.

– A culpa não foi minha, Tiago… – começou ela chorando, antes do menino correr para abraçá-la. – Eu juro que não foi minha culpa…

– Eu sei que não foi, meu lírio! O único culpado é o Voldemort. Acalme-se!

– Primeiro ele mata meu pai e agora… – começou ela.

– Seu pai? Não me disse que foi um acidente? – perguntou ele sem entender, fitando aqueles olhos verdes.

– Falei para que não fizesse mais perguntas… Foi Voldemort. Ele matou meu pai, é por isso que minha mãe me tratava daquele jeito… – respondeu ainda chorando.

– E Petúnia?

– Ela nunca gostou de mim… Ela me odeia!

– Ela não te odeia. Deve ter inveja… Você tem tudo que ela não tem… – disse ele.

– O que, por exemplo? – perguntou ela olhando fixamente para ele e parando de chorar.

– Você tem ótimas notas, ótimos amigos, é uma bruxa, linda, maravilhosa, ruivinha.. – começou ele fazendo-a sorrir levemente. – E tem um namorado muito gostoso, como você diz quando acha que eu não estou ouvindo. – completou ele fazendo-a rir. – Você tem o sorriso mais encantador que conheço, você é um anjo que apareceu na minha vida, Lily…

– Obrigada! – agradeceu o abraçando.

– Agora tente dormir um pouco.

– Mas estou no seu quarto… – começou ela.

– Não se preocupe. Deite, meu lírio, e tente dormir, ficarei aqui do seu lado.

A menina deitou e depois de algum tempo conseguiu dormir, porém, de tempos em tempos, ela acordava chorando, e Tiago calmamente a abraçava e consolava, fazendo-a dormir novamente. Quando eram quase oito da manhã, Tiago ouviu alguém bater na porta.

– Quem é? – perguntou ele.

– A galera inteira…

– A Petúnia não está junto? – perguntou ele apreensivo.

– Não! – respondeu Sirius.

– Podem entrar! – falou ele permitindo que todos vissem o quarto.

– Como ela está? – perguntou Kely vendo a amiga dormir.

– Está melhor. Conseguiu dormir um pouco de noite. Logo ela voltará ao normal… – respondeu um Tiago cansado.

– E você? Como está, Tiago? – perguntou um Sirius preocupado fazendo todos repararem no estado de Tiago, abatido, com olheiras, parecendo cansado.

– Estou bem… – respondeu ele.

– Ficou a noite inteira acordado? – perguntou Mariana analisando o primo.

– Passei! Lily não estava muito bem… Fiquei velando seu sono…

– Você precisa dormir um pouco. – disse Alice.

– Não! Preciso cuidar dela. – falou ele observando sua amada dormindo calmamente.

– Você precisa se cuidar. – disse Remo.

– Não se preocupem comigo… Se preocupem com a Lily… Meu lírio está muito abatida… – dizendo isso ele observou Lily abrir os olhos. – Bom dia, meu lírio!

– Está bem, Lily? – perguntaram os demais em um coro.

– Estou bem, gente… Obrigada pela preocupação… – respondeu com uma voz fraca. – E Petúnia? – perguntou.

– Não saiu do quarto ainda. Deve estar dormindo. – disse Frank.

– Preciso falar que a culpa não foi minha e que… – começou se desesperando fazendo Tiago a abraçar, e quando o menino o fez ela não conseguiu segurar mais o choro.

– Calma meu amor… Eu estou aqui… – falava ele enquanto mexia nos cabelos ruivos dela e ela chorava.

– Estamos com você, Lily. – disse Sirius solidário.

– Petúnia é uma idiota de colocar a culpa em você… Isso não é verdade… – começou Kely.

Depois de algum tempo chorando no ombro do namorado ela se acalmou.

– Viu só? Foi só sentir o meu cheiro gostoso que ela se calma… Eu sei que sou irresistível… – disse Tiago divertido fazendo Lily rir.

-Convencido! – exclamou rindo.

– Vamos… Ela está em boas mãos… – disse Mariana vendo Lílian rindo e puxando os demais para fora do quarto.

– Você precisa de um banho, meu amor…

– Está falando que estou fedida? – perguntou ela incrédula.

– Não… Estou falando que eu posso te ajudar a tomar banho se quiser… – começou ele maliciosamente.

– Seu bobo, pervertido! – exclamou ela rindo.

– Se não disse não… Então vou te ajudar… – disse ele pegando ela no colo e indo em direção ao banheiro.

– Seu doido! Põe-me no chão!

– Só vou te ajudar a tirar a roupa, meu amor… – disse ele sorrindo enquanto a colocava de pé no banheiro.

– Nem pensar. Estou te expulsando desse banheiro! – falou ela divertida empurrando ele para fora.

– Mas esse banheiro é meu! – protestou ele quando ela fechou a porta na sua cara.

– Agora é nosso! – respondeu ela com a porta fechada.

– Certo… Vou tomar banho no seu banheiro, então… – disse ele saindo.

– Vejo que conseguiu animar a Lily. – disse Sirius no corredor.

– Foi fácil… Mas preciso tomar um banho urgente… Ver se relaxo um pouco… – disse Tiago.

– Não se preocupe, se demorar, cuidamos da Lily… Ela vai adorara ter um cachorro lindo como eu de campainha… Sou um ótimo contador de piadas… – disse Sirius.

– Obrigado! – agradeceu Tiago antes de entrar no quarto de Lily.

Depois de uns vinte minutos Lílian sai só de toalha reclamando pela casa.

– Tiago, abre essa porta! Eu tenho que pegar uma roupa! – pediu ela batendo na porta.

– Já vou. – disse ele do outro lado. – Pronto! – disse abrindo, mas quando viu ela só de toalha na sua frente foi logo completando – Quer ajuda com a toalha? – perguntou maliciosamente.

– Quero que feche os olhos. Não fique me olhando assim… – disse ela vendo ele a analisando de cima a baixo. – E feche a boca para não babar… – disse ela antes de entrar no quarto.

– Desculpe! – murmurou ele tímido fazendo ela olhar para ele e reparar que ele estava só de toalha também, com o peito ainda molhado, e ficou um bom tempo olhando para ele. – Eu não posso te admirar e você pode? – perguntou brincalhão.
– Não estava olhando nada. Estou esperando você sair para que eu possa me trocar. – respondeu saindo de seu transe.

– Sei… – respondeu ele rindo. – Não se preocupe, meu lírio… Não vou fazer nada que você não queria. – respondeu ele começando a tirara a própria toalha.

– Não ouse tirara essa toalha, Tiago Potter! – gritou ela vermelha de vergonha.

– Por que não? – perguntou ele com carinha de cachorro sem dono. – Não a nada aqui em baixo que você não possa ver… – respondeu tirando a toalha e fazendo a ruiva se virar rapidamente.

– Ponha essa toalha logo! – pediu ela de costas para ele com as mãos no rosto.

– Por quê? – perguntou ele ao pé do ouvido dela, encostando seu corpo levemente no da ruiva.

– Hum-hum… – disse Kely na porta. – Eu preocupada com os dois e vocês fazendo coisas indecentes… – disse ela rindo.

– Vejo que esqueceu de tirar o shorts do Pontas, Lily. – disse Sirius rindo.

– Você me enganou… – disse a menina se virando para o namorado e constatando que ele não estava pelado, e sim de shorts.

– Não enganei não. Avisei que não tinha nada que você não pudesse ver… – respondeu ele rindo do constrangimento da namorada.

– Agora saião todos. Preciso me trocar… – disse ela.

– Não precisa. Estou tento uma bela visão aqui! – disse Sirius maliciosamente e levando um tapa no braço, que sua namorada dera.

– Todos para fora! – expulsou Tiago fechando a porta e ficando com a ruiva.

– E você também! – disse a menina abrindo a porta e o colocando para fora.

– Tem certeza que não quer ajuda para tirar a toalha, Lily? – perguntou ele antes dela fechar a porta na sua cara.

– Acho que isso foi um não, Pontas! – respondeu Remo rindo.

Cap Anterior

Próximo Cap


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

One thought on “Até que enfim você é minha – Cap 15

  • Wateru

    Ai, pelo título eu já sei o que vai ter nesse capítulo.
    Petúnia: :pedala:

    Quote:

    – Obrigada! Eu logo ia descer. – disse ela se sentando na cama. – Venha comer comigo…

    :peter:
    :hihi:
    :porn:
    😳

    tá, parei :va:

    Quote:

    – É isso aí, Lily. Arrebenta essa idiota! – gritou Kely, Mariana e Alice animadas.

    :tenso:
    mas eu adorei a surra que ela levou :hebe:

    Ah, ainda bem que ele tava de short :hebeacusa: :hebe:

    Olha… Só uma questãozinha – a morte da mãe da Lily. Mesmo sendo odiada pela mãe, e odiando-a também, não sei se ela conseguiria rir e participar das brincadeiras do Tiago… =/
    Mas é só minha opinião, tá? :ddd:

    Continua, que a história tá muito boa ^^

    Eu também odeio a Petúnia :odio:

    [Responder]