Até que enfim você é minha – Cap 11 1


Anteriormente

– Tiago Potter corando? Tínhamos que ter tirado uma foto. – disse Kely rindo.

– Acho melhor irmos dormir, Tiago. – disse Lílian fechando o livro.

– Você que sabe! – respondeu ele dando de ombros.

– Vamos então… – disse se levantando.

– ‘Noite galera. – disse Tiago.

– Vão ficar aí? – perguntou Lílian parando no pé da escada.

– Vão indo. Logo subimos. – disse Kely.

Cap 11. M

Enquanto Tiago e Lílian tomavam banho para dormir, os demais conversavam na sala:

– E então acham que até o final da semana eles já se entenderam? – perguntou Kely sentando no sofá.

– Acho que antes disso, eles já estarão namorando! – disse Sirius.

– Tiago só precisa convencê-la que não foi culpado, afinal os dois se amam. – disse Remo.

– E essa vai ser a parte difícil. Ninguém acreditaria nisso. – disse Peter.

– Está duvidando que a culpa não foi do Pontas? – perguntou Remo rindo.

– É estranho… Num dia ele é o maior galinha, e no outro não é mais… E depois está agarrado com outra no Salão Principal… – começou Peter.

– Como ousa duvidar do seu próprio amigo? Você sabe que a loira a beijou! Você estava lá! – disse Sirius nervoso.

– Não estou falando isso… – começou Peter.

– O que está falando,então? – gritou Sirius indo para cima de Peter.

– Se acalme, Sirius. – pediu Kely tentando segurá-lo.

– Estou falando que se Tiago não quisesse beijar a menina ele não teria beijado! – respondeu o Maroto.

– Eu vou matar você! – gritou Sirius indo para cima de Peter enquanto Kely o segurava.

– Vamos subir logo, Peter, antes que eu mesmo queira te bater também. – disse Remo puxando o amigo.

**
– O que foi isso? – perguntou Lílian abrindo a porta do banheiro e se esquecendo que estava só de toalha.

– Pareceu o Sirius. – disse Tiago preocupado. – O que será que aconteceu? – perguntou ele olhando para a menina e corando ao ver seus trajes.

– Não sei. Só um minuto e vamos ver o que houve. – disse Lílian fechando a porta de novo furiosamente corada.

– Não se preocupe, não vi nada. – disse Tiago.

– Espero mesmo! – respondeu ela ainda com a porta fechada.

**
– Peter, sabe que a culpa não foi do Tiago! Ele não pode sair por ai falando o contrário… E se a Lily escuta e acredita…

– Calma Sirius! Ele só estava comentando que é difícil de acreditar nessa história.

– Tiago nunca mentiria para nós e muito menos para a Lílian. – dizia Sirius ainda irritado

– Eu sei! Mas ela não sabe.

**
– Você não deveria ter falado aquilo! – disse Remo quando chegaram ao corredor.

– Eu não menti. É difícil acreditar no Tiago.

– Você sabe que ele é inocente.

– Eu sei, mas a ruiva não sabe. – falou Peter um pouco alterado.

– O que eu não sei? – perguntou Lílian abrindo a porta do quarto ainda secando os cabelos na toalha.

– Nada não, Lily. – disse Remo.

– Agora até eu quero saber. – disse Tiago saindo detrás da ruiva. – O que aconteceu? Era o Sirius que estava gritando? –perguntou ele terminando de abotoar a camisa

– Peter e Sirius se desentenderam. – respondeu Remo.

– Por quê? O que aconteceu? – perguntou Lílian preocupada.

– É melhor vocês dois nem saberem. – disse Sirius chegando e estava aparentemente nervoso

– Por que não? – perguntou Tiago.

– Segue o conselho do Sirius. Nenhum dos dois vai querer saber. – disse Kely.

– Afinal o que houve? – perguntaram os dois juntos.

Os quatro se olharam procurando saber se falavam ou não.

– Podem ir falando. Esse olhar de vocês mostra que é algo sério. – disse Tiago.

– Eu só falei uma verdade que o Sirius não gostou. – disse Peter sem importância.

– MENTIROSO! Você estava mentindo! Nunca pensei que você desconfiaria do… – mas Sirius não completou a frase.

– Se não contarem por bem vão contar por mal! – disse Tiago começando a ficar irritado.

– Tiago, te aconselho a não saber disso agora. – disse Kely ainda segurando Sirius.

– Viu o que você fez, seu rato imprestável! – falou Remo puxando Peter para o quarto e fechando a porta atrás de si.

– Abre essa porta! – pediu Tiago dando uns socos leves na porta. – O que ele falou de mim Sirius? – perguntou Tiago.

– Como sabe que falaram de você? – perguntou Kely.

– Conheço os Marotos como ninguém. – disse Tiago calmamente para a menina. – Vamos lá, Sirius… O que ele disse?

Sirius olhou de Tiago para Lílian pensando se contava ou não.

– Ele pegou no seu ponto fraco, Tiago. – disse Sirius mais calmo.

– O que ele falou dela? – perguntou Tiago irritado.

– Não foi dela… – disse Kely tentando achar as palavras certas.

– Podem ir falando logo! – disse Tiago nervoso já se esquecendo que Lílian estava lá.

– Nós estávamos falando que vocês dois estão se entendendo, e o assunto chegou à loira da Corvinal. – disse Kely.

Accio Varinha! – disse Tiago furioso. – Alohomora! – disse apontando para a porta. – O que você falou, seu rato imprestável? – perguntou Tiago entrando no quarto com a varinha apontada para Peter.

– Foi sem querer, Tiago… – disse Peter tremendo de medo ao sentir a varinha de Tiago próxima.

– Só vou perguntar mais uma vez… O que você falou? – perguntou ele com a varinha voltada para o coração de Peter e extremamente furioso.

– Calma aí, Tiago. – disse Remo entrando entre a varinha de Tiago e Peter.

– Sai da frente, Remo. – pediu Tiago sem mover a varinha.

– Peter fez um comentário maldoso. – disse Remo tentando consertar as coisas.

– Comentário maldoso? Falar que ele teve a intenção de beijar aquela menina? Isso é só um comentário maldoso? – perguntou Sirius tão furioso quanto Tiago, mas Kely estava o segurando, e ele não se movia para não machucar a menina.

– Eu não acredito que você falou isso! Você sabe que é mentira! Você estava lá quando ela me agarrou. – gritou Tiago já vermelho de raiva.

– Só falei que seria muito difícil Lílian acreditar nessa história, Tiago. – disse Peter se escondendo atrás de Remo.

– Claro que vai! Mas você não precisa ajudar… – disse Tiago. – Você sabe o quando eu a amo… Nunca faria isso! – gritou Tiago.

– Desculpe, Tiago. Só falei da boca para fora. Claro que você não trairia a ruiva… Só que você e Sirius ficam com todas… É estranho você parar de repente… – disse Peter tremendo de medo escondido atrás de Remo.

– Você nunca esteve apaixonado para saber! Eu faria tudo por ela… – gritou Tiago. – Sai da frente, Remo! Tenho que me acertar com Peter. – disse Tiago tentando parecer mais calmo.

– Se eu sair da frente você vai matar ele. Sabemos que tudo que diz respeito à Lílian te deixa assim… Se acalme, Pontas… Pense nela… Ela não iria gostar que você machucasse seu amigo por causa disso. – disse Remo que também tinha se esquecido que a ruiva assistia tudo.

– Eu não posso perdê-la! – gritou Tiago parecendo mais triste do que nervoso. – Lílian é tudo na minha vida! E se ela escuta meu amigo falando uma coisa dessas, ela nunca vai acreditar em mim… E ele sabe que isso é mentira! SAI DA FRENTE, REMO! – gritou Tiago revoltado.

– Nós vimos à loira te agarrar, Tiago. – disse Peter parecendo mais assustado que antes.

– SE VIU ELA ME AGARRANDO COMO TEM CORAGEM DE DIZER UMA COISA DESSAS? – gritou ele.

– Eu não medi as palavras… – começou Peter. – Somos amigos, Tiago… Não coloque uma mulher entre a nossa amizade… Uma mulher não vale a pena… – começou Peter.

– Como tem coragem de falar assim dela? – gritou ele ainda mais nervoso. – SAI DA FRENTE, REMO!

Remo saiu da frente de Peter rapidamente.

– Calma Tiago… Você entendeu errado… Lílian…

– NÃO FALE O NOME DELA – disse ele ainda com a varinha em punho. – Estupe… – mas ele não terminou o feitiço, pois Lílian se colocou entre a varinha dele e Peter.

– Não vou deixar você fazer isso. – disse ela seriamente.

– Por favor, Lílian, você não entende! – disse Tiago calmo, quase suplicante.

– Você que não entende. Nada do que Peter falar vai me fazer mudar de idéia. Acalme-se, Tiago! – pediu ela abaixando a varinha dele com calma.

– Mas… Você tem que acreditar em mim… Não quis fazer aquilo… A culpa não foi minha… – ele estava suplicando para a ruiva.

– Eu sei. Vem… Você precisa deitar… Entregue-me a varinha. – disse ela calmamente tentando pegar a varinha da mão de Tiago.

– Você tem que acreditar, Lily… Eu te amo – começou ele ainda em tom suplicante.

– Eu sei… Calma, Tiago… Não ligue para isso… Ele disse sem pensar… – disse ela finalmente pegando a varinha dele. – Vamos para o quarto. – disse pegando na mão dele docemente e o conduzindo para fora do quarto.

– Nossa! Ela realmente tem um grande poder sobre ele… – disse Kely.

– Você não sabe o quanto. – respondeu Remo.

– Você foi salvo pela Lílian! – disse Sirius para Peter antes de sair do quarto.

– Que ruiva! – exclamou Peter sentando na cama. – Nunca pensei que alguém pudesse controlar o Tiago desse jeito.

– Fique feliz por ela não ter se ofendido com tudo que você disse. – disse Kely saindo atrás de Sirius. – Se fosse eu, não teria feito o mesmo. – completou na porta.

Lílian deu uma poção para Thiago e o deitou cuidadosamente na cama, deitando-se ao seu lado mantendo a cabeça dele apoiada em seu colo enquanto acariciava os cabelos rebeldes.

Foi então que Sirius e Kely entraram no quarto.

– Se acalmou? – perguntou Sirius.

– Dei uma poção para ele dormir. – respondeu Lílian.

– Dá para explicar por que defendeu o Rabicho? – perguntou Kely sentando na beira da cama.

– Vi o quanto Tiago ficou transtornado com essa história. – respondeu ela abraçada ao moreno.

– Se fosse, eu iria ter ficado nervosa com tudo aquilo por minha culpa. – disse Kely.

– No começo fiquei sim… Mas depois de tudo que Tiago falou… – disse Lílian de cabeça baixa.

– Acredita que ele é inocente? – perguntou Sirius depois de alguns instantes.

– Agora acredito, mas em uma coisa Peter tem razão…

– Não acredito que vai acreditar naquele rato… – começou Sirius.

– É difícil acreditar nessa história… Tiago sempre foi o segundo maior galinha da escola…

– Obrigado pela parte que me toca. – respondeu Sirius de cara fechada.

– Estou falando sério, Black. Tiago não pode ter mudado de repente.

– Ele não mudou de repente.. Mudou porque você pediu. – disse Kely.

– Até que enfim alguém falou uma verdade! – comentou Sirius. – Tiago te ama tanto que faz de tudo por você, ruiva. Agora é só você perdoar ele, mas não porque ele beijou outra, afinal isso não foi culpa dele, mas perdoá-lo pelo passado que ele tem, e por não ter percebido que a menina que queria com ele logo de cara era você. – disse Sirius indo para a porta.

– Até que enfim você disse alguma coisa que preste. – disse Kely abraçando Sirius na porta.

– Assim você vai estragar a minha saída triunfal. – disse o menino rindo.

E os dois saíram do quarto deixando Lílian com seus pensamentos e com Tiago adormecido em seu colo.

Na manhã seguinte, Tiago acordou primeiro que a ruiva e ao ver que estava deitado no colo dela resolveu não se mover. Ficou pensando em tudo que tinha acontecido na noite anterior, em como o dia tinha sido perfeito enquanto a noite tinha sido um pesadelo.

Assim que ele fez menção de levantar a ruiva acordou:

– Está melhor? – perguntou ela logo que abriu os olhos e viu o menino a fitando.

– Não sei… Depende de você… Acreditou no que ele disse? – perguntou Tiago tentando se levantar, mas a ruiva o impediu.

– Continue deitado! – pediu – Não acreditei em nada do que ele disse. Só no que você disse. – respondeu ela com um leve sorriso.

– Como assim no que eu disse? – perguntou ele confuso.

– Se não se lembra, eu estava lá desde do começo da briga! – perguntou ela rindo.

– Estava? – perguntou ele parecendo não acreditar.

– Estava sim! E Mérlin, como você é nervoso… – disse ela rindo.

Tiago corou.

– E então… Está mais calmo? – perguntou ela.

– Você me perdoou? – perguntou ele.

– Pelo beijo já faz algum tempo… Mas como Sirius disse… Não te perdoei por não ter percebido logo o que aquela menina queria.

– Então vai ser minha de novo? – perguntou ele feliz.

– As coisas estão indo rápido de mais… Deixa-me pensar… Quando me decidir você vai ser o primeiro a saber. – disse ela selando os lábios dele com um selinho, mas antes dele poder aprofundar o beijo ela se afastou. – E então? Quem toma banho primeiro?

– Pode ir! – disse ele levantando do colo dela.

– Ah, antes que eu esqueça… Finja que nada aconteceu ontem… Será melhor. – disse ela antes de fechar a porta do banheiro.

– Ela me perdoou! – gritou Tiago comemorando e pulando de alegria.

– Tudo bem? – perguntou Lílian abrindo a porta do banheiro escutando o menino gritar.

– Ótimo! – respondeu ele parando de pular.

O café da manhã correu estranhamente tranqüilo.

– Quem diria que em plena segunda- feira estaríamos sem nada para fazer. – disse Kely.

– Quem disse que não temos nada para fazer? – perguntou Lílian.

– E o que seria? Lição? – perguntou Peter.

– Exatamente. Temos que fazer o dever de poções. – respondeu Lílian.

– Eu tinha até me esquecido que o professor passou lição para fazer durante essa semana de folga. – disse Remo pensativo.

– Afinal era para fazer o que mesmo? – perguntou Tiago.

– Dois pergaminhos sobre a poção Polissuco. – respondeu Sirius.

– Me espanto de saber que está informado, Sirius. – disse Lílian rindo.

– Fazer o que, não é? Estou andando de mais com você! – respondeu ele rindo e fazendo todos rirem.

– Ainda bem! Você está virando um certinho…? – começou Lílian.

– Ou é você que está virando uma Marota? – perguntou Sirius.

– Se depender do Tiago ela com certeza seria uma Marota. – disse Remo.

– Não! Gosto da Lily do jeito que ela é, mas se ela quiser ser uma Marota não vou me importar nem um pouco. – respondeu Tiago com um enorme sorriso maroto.

Depois do café da manhã todos foram para a biblioteca estudar, ou melhor, fazer o dever de poções.

Logo depois do almoço voltaram para a biblioteca terminar o dever. Depois de quase meia hora Tiago resolve quebrar o silêncio:

– Que droga! Não sei para que estudar isso. – disse ele fechando o livro.

– Para você reconhecer um impostor. – disse Lílian abrindo o livro do menino.

– Mas eu sou péssimo em poções! – disse ele olhando o livro.

– Pensei que a Lily estivesse te ajudando nisso. – disse Sirius tirando a cabeça do livro.

– E estou! – disse Lílian

– Não era para ele estar melhorando? – perguntou Remo.

– Calma, gente… Foi só uma aula… – disse Tiago defendendo Lílian.

– Nisso ele tem razão. – disse Peter apreensivo, afinal os dois ainda não tinham voltado ao normal desde a noite anterior.

Lílian olhou apreensiva para Tiago e ele respondeu:

– Eu sempre estou certo, Rabicho. – respondeu tentando parecer simpático e convencido como sempre.

– Convencido… – comentou Kely.

– Só para quem pode… – disse Sirius.

– Ninguém merece esses dois! – disseram as meninas fazendo Remo e Peter rirem.

– Afinal por que estamos fazendo lição se ganhamos o jogo de vôlei? – perguntou Tiago depois de algum tempo.

– É verdade… Eles tinham que fazer a nossa lição… Foi o combinado do jogo. – disse Peter.

– Vocês estão se esquecendo que isso só vai valer quando voltarmos para a escola. – respondeu Remo.

– Droga! – disse Tiago.

– Vamos lá, gente… Falta pouco… – disse Lílian tentando animar os amigos.

– Pouco para você! – disse Kely relaxando os ombros e voltando a se debruçar sobre a mesa.

Quase na hora do jantar todos já tinham terminado a redação e estavam na sala. Kely e Sirius se agarrando em um canto, enquanto Lílian estava sentada no sofá conversando com Remo que estava encostado nas pernas da menina no chão. Tiago estava brincando com o pomo deitado no sofá com a cabeça no colo da ruiva, enquanto Peter assistia TV Bruxa.

– E o que vamos fazer depois do jantar? – perguntou Lílian.

– Sinceramente, não estou a fim de fazer nada… Meu pescoço está doendo por ficar fazendo lição o dia inteiro. – respondeu Remo.

– Podemos assistir filme igual aquele dia. – disse Tiago.

– E que tal irmos dormir mais cedo para aproveitar mais o dia amanhã? – perguntou Lílian.

– Lily, faz um favor? – perguntou Remo massageando seus ombros.

– Fala, Remo.

– Faz uma massagem aqui, vai! Essa dorzinha esta me matando. – disse ele ainda com as mãos no ombro.

– Claro, Remo. Pega um creme lá em cima. – respondeu ela.

– Pega lá, Tiago! – pediu Remo.

– Você vai ganhar uma massagem da minha ruiva e ainda quer que eu pegue o creme? Abusado! Você está muito abusado, Aluado! – disse Tiago jogando o pomo na cabeça de Remo.

– Deixa que eu mesmo pego. – disse ele fazendo um feitiço convocatório.

Lílian estava fazendo a massagem em Remo distraidamente.

– Você tem mãos muito macias. – disse Remo.

– Obrigada! – respondeu ela corada.

– É melhor eu nem desconfiar de que você está dando em cima dela… – começou Tiago.

– Claro que não, Pontas. Não precisa ter ciúmes de mim. – disse Remo.

– Nossa, Remo, o que é isso? – perguntou a menina vendo uma mancha preta, e tirando o creme de cima pode ver perfeitamente um lindo M desenhado. – Certo cansei desses M’s…. Afinal, o que é isso?

– Isso o quê? – Remo se fez de desentendido.

– Esse M! Tiago, Sirius e até o senhor Potter tem um e agora você!

– Senhor Potter! – repetiu Peter. – Falando assim nem parece que está falando do seu sogro. – disse Peter rindo.

– Não mudem de assunto… O que são esses M’s? – perguntou ela ainda corada por causa do comentário.

– Pense bem, Lily… O que todos que tem a marca têm em comum? –perguntou Tiago.

Lílian pensou por alguns momentos.

– Vamos lá, Peter! Quero ver a sua marca também! – disse Lílian se levantando e fazendo Tiago bater a cabeça no braço do sofá.

– AI! – reclamou o menino.

– Desculpa. – disse ela para Tiago. – Vamos lá, Peter… Estou esperando! Tiago tem a marca na perna, Sirius nas costas, no braço, e Remo no pescoço. Quero ver a sua. Quero ver a sua marca de Maroto. – disse a menina decidida.

– Sem chance! – disse Tiago se levantando.

– Se vi a de todos, por que não posso ver a dele? – perguntou Lílian sem entender.

– Porque está em um lugar impróprio. – respondeu Remo.

– Impróprio? – Lílian estava confusa. – Posso saber onde?

– Basta saber que a dele não é um desenho perfeito. – respondeu Tiago. – Não sei por que, mas ele não se tornou um Maroto por completo.

– Eu quero ver! – disse Lílian. – E quero ver agora!

– Lily, acho melhor você não ver… A marca do Peter é na bunda. – respondeu Sirius chegando.

– Que marca? – perguntou Kely.

Mas Lílian não conseguiu falar. As palavras não saiam.

– Vem, Lily. – disse Tiago puxando a menina pela mão.

– Afinal, que marca estão falando? – perguntou Kely impaciente vendo Tiago e Lílian saindo da sala.

– De uma cicatriz que o Peter tem. – respondeu Sirius naturalmente.

– O que aconteceu? – perguntou Lílian ao chegarem à biblioteca.

– Você descobriu um dos nossos segredos. – respondeu Tiago sentando em uma poltrona.

– E por que eu não consegui falar para a Kely sobre a marca dos Marotos? – perguntou ela sem entender.

– Lily, tem uma magia protegendo o segredo. Você só consegue falar sobre isso com outra pessoa que saiba. – disse Tiago.
– Dá para ser mais claro?

– Conhece a magia do fiel segredo? Aquela magia que muitos usam para esconder um lugar? – perguntou Tiago.

– Conheço. Mas o que tem haver?

– Funciona quase do mesmo jeito. Você só consegue falar sobre aquela marca com quem já sabe o que ela significa.

– E por que, afinal, vocês fizeram essa magia? – perguntou ela.

– Pergunta errada, Lily. Lembre-se que só posso te responder o que você já sabe.

– Que droga, Tiago! Como vou descobrir se você não ajuda? – perguntou ela parecendo frustrada.

– Se eu pudesse já tinha te contado naquele dia quando me perguntou. – respondeu ele calmamente.

– Certo… Pense, Lílian… – pensava ela em voz alta sentada na frente dele.

Tiago a observava calado.

– Tem algum livro que posso saber mais sobre esse feitiço? – perguntou Lílian depois de algum tempo.

– Pensei que nunca fosse perguntar. – comentou ele sorrindo.

– Você tem aqui? – perguntou ela curiosa.

– Claro que sim. Sou um Maroto, Lily. – disse ele sorrindo – Accio Marotos’ book – disse Tiago e o livro foi voando para a sua mão. – Aqui está, meu lírio. – disse ele entregando o livro.

– Um livro inteiro só sobre os Marotos? – perguntou ela olhando o índice.

Como surgiu;
a história;
marcas;
perfeição do desenho;
Como identificar um Maroto;
porque guardar segredo;
magias ocultas dos Marotos;
poderes concedidos;
como virar um Maroto;
como deixar de ser Maroto;
tirando dúvidas

– Dá para você resumir o livro inteiro para mim? – perguntou ela folheando o livro.

– Não. Mas posso te mostrar as coisas mais importantes. – disse ele tirando o livro da mão dela e folheando.

– Que loucura! – exclamou ela antes do Maroto lhe devolver o livro.

– Bem vindo ao meu mundo, Lily! – disse ele entregando o livro para ela mostrando uma página que se lia claramente: “Como identificar um Maroto”.

Para ser um Maroto a pessoa tem que ser, acima de tudo, inteligente, esperta, ousada, corajosa, não gostar de regras e ser fiel. Sem essas qualidades ela não será um Maroto! Para identificar um Maroto comece pelo básico, saiba se ele tem a marca M, perfeitamente desenhada, caso isso não seja possível pode começar pelas qualidades vitais dos Marotos. Lembrando –se sempre que assim que uma das qualidades seja perdida a marca ,assim como o título de Maroto, irá ser perdido também…

– Isso prova que você…

– Não te traí aquele dia. Para caso você tivesse alguma dúvida. – respondeu Tiago.

– Posso ver a marca?- perguntou ela apreensiva.

– Claro que pode. – disse ele sorrindo e colocando a perna nas pernas da moça a sua frente.

– Ela é… – começou Lílian maravilhada.

– Perfeita! Sou um Maroto por completo assim como meu pai e Sirius.

– Os outros não são? – perguntou ela sem entender ainda com os olhos na marca.

– Não! A de Remo, se você não percebeu, está faltando um pedaço da perna do M, e a do Rabicho, além de faltar um pedaço também, é meio apagada e borrada… – respondeu ele pensativo.

– Mas por que isso? – perguntou Lílian.

– Significa que eles não são Marotos por completo. Remo já está mais que na cara o motivo, não é? Ele é certinho de mais.

– Mas e Peter?

– Sinceramente não sei… Mas isso não importa muito. – respondeu Tiago.

– Agora pode me contar, afinal, que feitiço era aquele que os meninos usaram na porta aquele dia na sala de troféus?

– Um feitiço que só Marotos podem executar. – disse ele pegando o livro e folheando mais uma vez. – Aqui está. – disse ele devolvendo o livro e mostrando a pagina para a amiga.

Feitiço dos Marotos: o feitiço só é desfeito com um tipo de prenda oferecida, um sentimento ou ação, que todos os participantes não experimentaram juntos ainda, que demonstre o mesmo sentimento de ambos os lados, quanto maior a prenda, mais rápido e mais eficiente o feitiço é. – leu Lílian em voz alta. – Afinal… Que sentimento você usou para abrir a porta? – perguntou ela olhando para o Maroto a sua frente.

– Primeiro pensei em amizade, mas já tínhamos feito as pazes e nada tinha acontecido, então comecei a pensar em ódio, mas mesmo que você me odiasse como tanto dizia, eu não sentia o mesmo, então descartei a idéia, logo depois pensei em amor… Mas era muito arriscado para eu tentar alguma coisa com você, sem contar que eu nunca imaginaria que fosse verdade, depois pensei em desejo, e te dei aquele beijo… – respondeu Tiago pensativo, mas ainda com um sorriso maroto nos lábios.

– Desejo? E como sabia que eu iria corresponder ao seu desejo? –perguntou ela tentando entender todas as informações recebidas.

– Não sei ao certo. Eu simplesmente sabia. E era por isso que eu sabia que você tinha gostado do meu beijo, por isso fiz você ficar na vontade aquele dia no lago.

– Isso é muita maldade! – respondeu Lílian se segurando para não rir.

– Maldade é você falar que me odiava! – respondeu tentando ficar sério.

– Estamos atrapalhando? – perguntou Kely que estava parada na porta.

– Não. – respondeu Tiago levantando e colocando o livro na estante.

– Resolvemos vir ver se estava tudo bem… Vocês estavam demorando em voltar… – dizia Sirius com uma expressão enigmática.

– Estamos ótimos. Só conversando. – respondeu Lílian.

Kely olhou desconfiada para a amiga:

– Que cara é essa, senhorita Evans? – perguntou Kely séria.

– Cara de quem vai matar a amiga senão parar de atrapalhar o casal aqui. – respondeu Lílian tentando parecer nervosa.

Todos riram.

– Por que saíram correndo daquele jeito? – perguntou Kely ainda rindo.

– Eu confesso… A puxei para cá porque fiquei com ciúmes dela com o Remo! – mentiu Tiago parecendo bem convincente.

– Deu para ter ciúmes dos amigos agora ,Tiaguinho? – perguntou Sirius rindo sabendo que aquela história não era totalmente mentira.

– Claro que sim. Se algum de vocês chegarem perto da minha ruiva eu mato vocês. – disse Tiago sério.

– Sua ruiva? – perguntou Lílian – Eu não sou sua ruiva! E é Evans para você! – gritou ela irritada.

Assim que a ruiva gritou, Sirius e Kely já estavam saindo da biblioteca para deixar os dois discutirem.

– Desculpa. Pensei que estávamos nos entendendo…

Cap Anterior

Próximo Cap


sobre Vanessa Sueroz

Autora dos livros Confusões em Paris, Minha última chance, Odiado Admirador Secreto, Presente de Aniversário, Eu te amo mais e Três Botões.


Obrigada pela visita. Por favor, deixe um comentário com a sua opinião, isso é muto importante para nós.

One thought on “Até que enfim você é minha – Cap 11

  • Wateru

    Até que enfim a Lily descobriu o segredo :happy:
    Até que enfim a Lily perdoou o Tiago :happy:
    Aleluia, tava com vontade de bater neles já :pedala:

    AAH, NO FINAL A LILY DESTRÓI TUDO DE NOVO :paris: :paris: :paris: :paris: :paris: :paris:

    Essa menina é do mal >.<

    Ué. O Remo não é um maroto por completo por ser certinho? Isso existe nos livros? :think:
    E o Peter… Infelizmente sabemos porque ele não é um Maroto por completo :tsc:

    Indo ler o capítulo 12, já! o/

    [Responder]